quarta-feira, janeiro 31, 2007

Somos humanos ou somos bichos ?

A 12 dias do referendo sobre a despenalização do aborto em Portugal, surgem centenas de movimentos, uns pelo sim, outros pelo não.
Um ditado popular diz: " a opinião são como os narizes, cada um tem a sua"...


A minha mãe quando, sem esperar engravidou de mim, não devia supostamente ter mais filhos, pois tomava medicação muito forte, para um problema de saúde. Problema esse que a levaria ,infelizmente, 17 anos depois a falecer. Os médicos alertaram para a gigantesca possibilidade de eu estar mal-formada (há 33 anos não faziam ecografias) e para os perigos que a gravidez apresentaria para ela. Por amor a um pequenino feto que tinha dentro dela e que amaria fossem quais fossem as circunstâncias, ela foi contra tudo e todos (incluindo o meu pai) e QUIS ter-me. Não quis abortar. Sou por assim dizer uma potencial defensora da causa NÃO AO ABORTO porque cá estou, não é?

Quando tive conhecimento dos percentagens de risco da minha gravidez, ponderei abortar , apesar de já ter passado o tempo autorizado no nosso país (24 semanas no caso de más formações). Acabei por não o fazer porque as hipóteses de o bebé trazer problemas graves eram mínimas, porque sempre fui uma optimista e porque também já o AMAVA demais...
Agora digam-me: Há quem aborte de ânimo leve ? Quem o quer, ou o precisa de fazer, fa-lo-á, quer seja aqui a 100 km na vizinha Espanha, ou ilegalmente e sem condições. Penalizar de que serve? Afinal só quem tem poder económico para ir ao estrangeiro se sai bem, não é? Quem é pobre faz em más condições e sujeita a ir para a prisão...

Estou com o padre Português que diz que ninguém aborta de ânimo leve. Eu sou CONTRA O ABORTO....sim, claro que sim ! MAS A FAVOR DA DESPENALIZAÇÃO !

Uma criança deve vir ao mundo para ser muito amada, ter um mínimo de condições...Eu confio na capacidade da mulher grávida decidir sobre isso e sobre as suas capacidades. Dou essa confiança às Mulheres que carregam no ventre um ser. Porque sei o que sentimos. Sei que é sempre uma decisão difícil. E quando se chega à conclusão que tem de ser...é triste, muito mesmo...mas até nisso um estado franco e cooperante poderá ajudar a encaminhar a mulher para a melhor opção...

E vocês, que acham ? Apreciarei opiniões muito francas.
P.S: Li aqui cópia de um artigo extremamente interessante.

segunda-feira, janeiro 29, 2007

Nostalgia

O fim de semana não foi tão fantástico como esperado, pois o meu menino tem os últimos dentinhos a nascer e estes vão dar luta. Andou chochinho, pouco sorridente e o meu coração encolheu-se.
No sábado recebemos amigos em casa que têm um lindo bebé de 9 mesinhos.
A minha amiga ainda não conhecia o JP e disse-me logo: Que grande ! Olha que para 2 anos, ele é mesmo um matulão...

E não é que ela tem razão ?
Para além de matulão, já não tem nada a inocência de um bebé...e ainda bem...
Mas nunca imaginaria poder sentir saudades do "bebé JP" tão depressa.
Fui rever fotos. Nesta aqui tinhas 7 meses.
Ainda bem que tirei tantas. Deliciei-me e senti-me nostálgica. Quase triste. Para onde foi o meu bebé ? Porque nos escapa o tempo ? Como o podemos aproveitar melhor ? Já percorremos juntos um longo caminho, filho, mas temos de aproveitar melhor cada minuto, fazê-los passarem devagar.
Como ? Não sei, mas gostaria tanto de saber...

sexta-feira, janeiro 26, 2007

À beira de mais um fim de semana

Desejo muito forte de "arrumar" a minha vida. Regularizar situações, projectos de arranjar casa maior para ter mais condições para brincar com o meu pequenino...sonhos, sonhos...
Os aspectos menos positivos já não penso neles...pelo menos não agora. Claro que volta e meia virão mais uns receios...mas até lá teremos um fim de semana para aproveitar até ao limite !
Sem tempo para muito mais, as visitas, os posts...ficam para segundo plano.

O meu pequenino com tantas limitações, é feliz ! Passa o tempo a querer brincadeira connosco, para depois soltar aquelas gargalhadinhas deliciosas que me fazem derreter o coração como manteiga ao sol. Todos à sua volta se envolvem com ele.
Ontem comprámos um cavalinho todo giro da Chicco -Rodeo para ele baloiçar ! Experimentou-o na loja. As vendedoras quando se aperceberam das suas limitações, desdobraram-se em simpatias e amabilidades....
Ao que o JP "agradeceu" com uma valente birra porque não queria sair de cima do cavalinho! Mas comprámo-lo e com alguma vigilância, acho que vai dar grandes e alegres cavalgadas !
Bom fim de semana para todos os amigos...

terça-feira, janeiro 23, 2007

Angústias

Quantas declarações já fiz ao meu pequenino neste blog ? Tantas, que já deixei de contar.
Mas nem sempre há novidades e por outro lado tenho o coração sempre a transbordar de amor. E acredito que pela sua condição especial, todos os sentimentos são exarcebados....intensos e sofucantes.
Algo que nunca aqui disse é que detesto a denominação "paralisia cerebral". Quem nada sabe do assunto, pensa que o cérebro está parado e consequentemente o raciocionio. Pois eu posso assegurar que o raciocinio do JP, está tudo menos parado. Porém, a parte cerebral que controla o movimento do corpo ou seja a parte motora envia mensagens confusas e não controla normalmente os seus gestos, tónus e acções. Mas é lindo de se ver, no dia a dia, o seu lutar contra as limitações motoras existentes e cada vez mais adquire as pequenas coisinhas normais em bebés: pegar em argolas e empilhá-las. É incrível o quanto ele vibra com algo tão simples....e é impressionante o que eles nos contagia ! Eu admiro-o do fundo do coração ! Sinto-me pequenina e com uma vida simples e banal perante tanta vontade e tanta persistência. E ele é a alegria da nossa casa. Enche-a de gargalhadas e boa disposição...
Aspectos negativos actuais: Começo a ter dúvidas da sua capacidade de falar fluentemente...é verdade que tudo se atrasa neste processo de recuperação. Ele entende tudo , o que já é muito importante...verbaliza quando quer realmente MUITO, mas nunca de uma forma sistemática. Agora a angústia apodera-se um pouco de mim, talvez porque sempre fui positiva ao ponto de achar que sim, que falará. Talvez seja hora de pensar o contrário (mas é um duro golpe) e o que vier, será uma alegria das melhores...Daremos tempo ao tempo, mas agora sem grandes expectativas. Não estou triste... felizmente não. Mas há novamente algumas expectativas...alguma ansiedade.

sexta-feira, janeiro 19, 2007

Evoluindo como pessoa e como mãe

Recentemente descobri outros blogs de pais de crianças com Paralisa Cerebral.
Lembro-me de ter lido sobre uma mãe que deseja algo muito simples: que o seu filho que tem Paralisia Cerebral, não a tivesse. E que confessa !
Sei como é desejar ter simplesmente um filho que não seja Diferente. Sei porque já o desejei muito...
Agora, nem sei dizer se é isso que desejo. Estranho dizer isto, mas eu não queria ter outro JP. Quero este. Não quero mudar nem o passado nem o meu menino. Gostaria apenas de melhorar o futuro.
São sentimentos estranhos, talvez até contraditórios, mas aceito o meu menino exactamente como é, tendo orgulho na sua condição de guerreiro e lutador , batalhando cada dia pelo dito "normal".,só porque a normalidade acaba por ser o melhor para se viver bem neste mundo.
Mas não consigo desejar ter como filho um outro JP, porque esse não seria o meu JP...tal como o conheço e amo.
Sei que sei o significado de "amar incondicionalmente" e isso me preenche e faz feliz. Amamos tanto que ficamos sem lógica. Não dá para entender...

quarta-feira, janeiro 17, 2007

Pequeninos sinais de progresso

Atordoada pelo ritmo frenético de um dia-a-dia de mãe-mulher-trabalhadora, não tenho tido agora tempo para pensar no futuro...e ainda bem...
Atarefada, cansada, mas feliz. Vejo pequenos progressos com o JP...tão subtis que ninguém nota, só eu, e fazendo um grande esforço. Porém, começa agora a fazer muitos exercicios na fisioterapia de pé e a andar...sinais de evolução ? Espero que sim.
E que satisfação a dele ! Ele adora...tem tanta vontade. Para ele era o tempo todo em cima de triciclos, cavalinhos, etc, etc...
Concentro-me em cumprir os nossos compromissos e em cada dia dar muita atenção ao meu querido filho e divertir-me à grande com ele...a infância só se vive uma vez, nunca se irá repetir. E eu quero que no mínimo adores tanto a tua, JP, como eu adorei a minha.

segunda-feira, janeiro 15, 2007

A adolescência e Babel

Noutro dia, em conversa de café com uma ex-colega de escola, que com o seu lindo 2º filho está também a passar tempos de incerteza, de medo e de coragem, falávamos do que desejávamos para os nossos filhos...
Algo que não gosto de pensar, nem de imaginar, pois tudo o que desejo é que o meu JP seja tão feliz e tão independente quanto possível. Mas tantos são os cenários que se desenham, que me perco na incerteza e nos receios.
Hoje, criança adorável, tem "amigos" e é muito popular lá na escolinha. As meninas mais velhinhas, vêm-no buscar, levam-no ao colo e dão-lhe muitos miminhos, que ele adora. Os meninos da idade dele, rodeiam-no quando está sentado e brincam com ele, sem perceberem se existe uma diferença...
E ao crescer ? Os adolescentes têm tanto para aprender e conseguem ser tão "crueis" !
Vi recentemente o filme "Babel" onde uma jovem surda vive a discriminação da sua deficiência de uma forma dramática...e pensei muito no meu filho. Quem me dera ensinar-lhe saber ser feliz sem se importar com pessoas fúteis, com atitudes burras. É dificil, pois eu própria, sem nada de óbvio que me pudesse incomodar, me senti, tal como aquela jovem Japonesa surda-muda, muitas vezes rejeitada e demasiado vulnerável. Oxalá possa ele ser mais seguro do que eu fui. Oxalá nunca conheça a solidão...o desamparo.
Mas falta felizmente tanto ainda para lá chegar !
E agora o nosso dia-a-dia é tão delicioso e tão cheio de novidades e descobertas. Pensaremos nisso mais tarde...

quinta-feira, janeiro 11, 2007

Vida planeada

A mania de organizar e agendar toda a minha vida é difícil de combater. Antes achava que não era defeito...era feitio. Gosto de sonhar, preparar...e concretizar. E continuo a recorrer a esse método fundamental na minha vida profissional. Nessa, o planeamento e o atingir rápidamente as metas são essenciais.
Comecei por fazer o mesmo com a familia...casar...esperar 5 anos para ter um filho, enquanto viajava e divertia-me..., passados 3 anos ter outro...depois imaginar dentro dos gostos deles, prepará-los para um futuro confortável, etc...etc...
Depois nasceu o JP..."aterrei na Holanda e não na Itália "e com a minha vida virada do avesso comecei a impor algumas metas...sentar-se com 7 meses, andar lá para os 18...falar aos 2 anos ,etc, mas está claro que não depende só de mim...não posso planear ! Posso ter horizontes e trabalhar para eles....mas não os devo perseguir com ansiedade, até porque ele é uma esponja. Hoje basta olhar para ele...para me aperceber, que sem perder de vista alguns objectivos, o importante é "curtir" cada dia. Ser feliz ! Tudo o resto virá com certeza. Quero que a infância dele seja tão perfeita quanto for possível. Este é o meu grande objectivo!!!
P.S: Apesar de não ter feitio para andar a criticar os outros, abro excepções. Vejam aqui este episódio...

domingo, janeiro 07, 2007

A minha companhia

Um passeio na baixa de Lisboa no Sábado de manhã. Sentado no carrinho e aproveitando para treinar o seu equilibrio, o JP é uma excelente companhia nos meus afazeres, e eu depois retribuo sendo boa companhia para ele também, vendo os patinhos no lago ou espreitando umas corridinhas de Karts que fazem as suas delicias...
Adoro estar com ele. É o meu filho, meu companheiro...passamos tempos encantadores juntos. É nele que encontro a magia das pequeninhas coisas que julgava perdidas para sempre. Reencontro a felicidade infantil, o prazer de brincar de faz-de-conta...de contar histórias...de me perder em carinhos e meiguices. Nunca pensei que viria a abraçar a maternidade de uma forma tão intensa.
Ser mãe não era uma prioridade. Tinha falta de jeito para crianças e às vezes até falta de paciência. Como mudei...
Adoro um abraço a três, eu, papá e filho...aproveito cada dia, pois sei que não se repetem...

quinta-feira, janeiro 04, 2007

2 anos - O que ele já faz - Registo

Inspirada numa menina muito doce e porque valorizo mais o que o meu pequenino faz, do que o que não faz, aqui vai (algumas já faz há largos meses )
- Senta-se à beira da piscina, num banco ou no carrinho de passeio , sem necessitar de se apoiar, concentrando-se ainda muito em não se desequilibrar (mas ele adora este jogo)...infelizmente ainda só aguenta alguns minutitos....
- Anda espectacularmente bem no carrinho das compras
- É expert em desfolhar e principalmente rasgar revistas!
-Adora rebolar, de cima para baixo, de baixo para cima e rasteja já com alguma técnica...chega a levantar o rabiosque e lá se vai empurrando com as suas pernocas !
-Tem memória visual muito boa. É óptimo a fixar caminhos e a saber onde estão as coisas guardadas...
- Tudo serve para ele brincar, mas tem um sexto sentido para gostar mais de brincar com o que não deve...
-Entende tudo o que se lhe diz e aponta na mamã e nele a pedido, onde está o nariz, a boca, as orelhas, os olhos. Aponta com o dedinho para indicar algo...onde está igual, o que é maior, mais pequeno, etc...
- Reconhece-se muito bem em fotos, mesmo que estejam desactualizadas (e acho que se adora comtemplar, ólha o vaidoso !)
- Usa as palavras muito comedidamente mas não hesita em pedir MAISais ) quando algo lhe está a saber bem, eh,eh...
- Dá muitos beijinhos, manda beijinhos e faz festinhas...
É uma ternura e com ele, qualquer Janeiro, por mais longo e frio que seja, é o melhor dos Meses. Filho, mereces que eu esteja sempre FELIZ !

quarta-feira, janeiro 03, 2007

Janeiro não é o melhor mês

Janeiro...ressaca das festas...falta demasiado tempo para as férias !!!
Por isso antes tirava algumas férias por volta do Carnaval e ia passear, para longe...agora, não dá.
Então, resta-me sonhar...hoje não me apetece viver o presente...apetece-me sonhar, que já é Verão, já estamos quase de férias, que o meu menino faz algumas coisitas mais...
Há uma certa ansiedade por aqui...ou apenas só saudades do Verão. Janeiro, passa depressa. P.F...

terça-feira, janeiro 02, 2007

Um ano inteiro pela frente: 2007

O ano começou da melhor maneira.
Foi bom...três bons dias...três dias muito felizes.
Hoje de manhã, o habitual beicinho encantador e até lágrimas, lá na escolinha, mas bastou que uma "amiguinha de palminho e meio" chegasse e fizesse uma festinha no JP para que o sorriso grande voltasse ao seu rostinho...
Fica no nosso coração uma bela recordação da entrada neste ano. Para mim o ano costuma começar em Setembro, com o final das férias...porém este início do ano tem um certo sabor de "recomeço".
Um ano que desejo que seja de muitas alegrias, muitas conquistas, vindas sem ansiedades, no decorrer de cada dia vivido e saboreado como se fosse o último.
Novo blog recém-nascido e espaço de discussão sobre crianças e inclusão: quem se interessar, espreite.