sexta-feira, agosto 31, 2007

Como um peixinho

O JP percorre os primeiros passos para a independência na água...largamo-lo e ele nada ! Debaixo de água...sem pressas de chegar à mãe. A mãe é que tem pressa de o apanhar...

O mais engraçado é que faz tudo isto sem medos...
E difícil é controlar as gargalhadas com o suster da respiração.

E quem o tira de lá?

PS: Um grande obrigado à R- terapeuta do JP. A sua
dedicação é tão grande que nem aproveitou as férias até ao fim...
-Sem si, seria muito mais difícil. Esta pequena vitória é vossa (sua e do JP).
Adenda às 15.30 h :Soube agora que nasceu ontem o meu sobrinho Francisco. Chegou para ser muito feliz e brincar com o seu Maninho de 21 mesinhos. Chegou para dar uma prendinha antecipada aos seus papás.
Benvindo querido.

terça-feira, agosto 28, 2007

Um ser social

Conclusões precipitadas de ter comparado o JP ao pai e à mãe ? Ainda estamos a descobrir a personalidade do JP. Se inicialmente parece um tímido, depois de alguém lhe dar confiança e miminhos, ele tenta permanentemente conquistar a sua atenção e companhia. Se a confiança cresce, repudia a companhia do papá e da mamã. Quer "ficar" com o seu novo amigo/a.
A tia do JP era assim...tudo servia para ir para a casa da vizinha.
Os papás eram os dois mais recatados...eram...e ainda são.

Os amiguinhos da escola também já há tempos que são fixos. O amigo da cabeça amarela encontrou-nos no shopping e foi vê-los aos dois, felizes e contentes de estarem juntos. O amigo J. - a cabecinha amarela - não gosta de sólidos. O JP não é simpatizante de sopas e menos ainda de ervilhas ...mas comeu tudo o que o amigo lhe deu (à boca, eheh) !
Gosto de interpretar esta independência e esta vontade de se "safar" dos pais, como algo bom...ele bem sabe que o nosso amor está sempre ali para ele. Então, seguro de si próprio, quando pode, gosta de conviver com outras pessoas...


Bem, ou é isso..ou sou uma "seca" de mãe !
P.S: Agora deu mesmo para rejeitar o Noddy...já via o Ruca, mas agora só o quer mesmo a ele. Será que o Noddy são desenhos animados de bebé e eu não sabia?

Consulta de Fisiatria e Terapeuta da fala

Única semana do ano em que o colégio encerra. Férias forçadas, mas bem vindas.
Hoje o dia foi só para o J.P. .Consulta de fisiatria de manhã e últimos acertos com a terapeuta da fala.
Da consulta apenas uma recomendação com o pé esquerdo. Pela primeira vez há uma tendência para o pôr ( o esquerdo) em bicos ...e não havia. Agora vamos fazer exercícios muito específicos para evitar o botox (sim...o mesmo das rugas, também serve para a reabilitação).

Depois, encontro com a nova terapeuta. Iniciará para a semana e entregou-nos o relatório da avaliação feita aos 30 meses.

Ao nível da comunicação simbólica Formal (linguagem) : O JP identifica imagens pela sua acção, função, realiza emparceiramento de imagens iguais e o emparceiramento de imagens que se completam.

Ao nível da Comunicação abstracta: Vocaliza e produz palavras e produz gestos isolados, embora desorganizados (ex: Adeus).
O JP apresenta um bom nível comunicacional, tendo em conta as suas limitações físicas. É uma criança simpática, atenta e com um nível de cognição e linguagem adequado à idade. A maior dificuldade reside na articulação das palavras.
Na articulação sei que há muuuuuito trabalhito a fazer. E é aí que mais contamos com ela. Mas tenho uma sensação boa, de que já não partimos do zero.

sexta-feira, agosto 24, 2007

Que miminho maravilhoso !

Obrigado por isto...Fizeram-me sentir realmente especial !
P.S: Não, não fico convencida. Pelo contrário, ultimamente tenho me sentido insegura...nestes 2 anos e meio poderia estar a verificar mais progressos do que os que vejo a nível motor...e às vezes questiono-me se fiz tudo bem. Julgo que sim, e bem sei que o desenvolvimento dá-se por saltos. Só que há muito tempo que não há saltinhos por aqui...daí a insegurança.

quarta-feira, agosto 22, 2007

A entrada no Clube dos Crescidos (o mais fixe)

Eu mãe me confesso...

Não sei se os meus métodos de educação são os melhores. Mas vão funcionando.

Faço uma certa chantagem...pois, faço. Sei que o JP não aprecia sopa, mas adora o chocolatinho (sobremesa láctea ) da Nesquik. Então se come a sopa toda...tem direito a comer chocolatinho. É que os crescidos podem comer chocolate. Comer chocolate não é coisa de bebé.

O JP adora passear e enfada-se se ficar no restaurante a esperar que os papás acabem. Pois os crescidos sabem esperar e depois têm direito a andar naqueles carrinhos e motas que balançam e nos sacam 1 Euro num piscar de olhos...Acreditem que o JP também passa a saber esperar...

E assim para que peça as coisas sem choramingar...para que faça as necessidades no bacio...para que se porte melhor e empreste os seus brinquedos.

Ele quer entrar no mundo dos crescidos que é bem mais fixe. E eu quero que ele se deixe de comportar como um bebé. Então negociamos...e é tão bom negociar com ele !

segunda-feira, agosto 20, 2007

Exigências

Alguns comentários feitos no Post anterior relembraram-me algo que me costuma deixar pensativa. Efectivamente, os pais da actualidade já não querem filhos iguais. Querem filhos diferentes sim, mas para melhor (isso inclui muitos parâmetros e frequentemente um excelente desempenho escolar...) É um mundo muito mais difícil este...

Como pais devemos realmente preparar os nossos filhos para este mundo bastante exigente e devemos exigir empenho.
Na minha modesta opinião, empenho sim, mas não competitividade. Não há nada como uma infância descontraída, sem pressões, como foi a minha.


A minha primeira classe correu muito mal. Se fosse hoje ter-me-iam diagnosticado Deficit de Atenção e ter-me-iam colocado um "rótulo qualquer" que me encheria de complexos e dado aos meus pais centenas de conselhos. Mas afinal, sem grandes exigências dos meus pais, acabou por dar tudo certo. Segui o percurso dos meus manos muito bem sucedidos escolarmente...Fui sempre razoavelmente boa aluna e dedicada (às vezes até um pouco "croma", eheh).

Como se delineará este contorno entre exigência necessária e o amor incondicional de que é feita a auto-estima? Gostaria de me sentir mais segura neste campo... mas acho que só terei de actuar como todos os outros pais. Como os meus pais. Conhecer as potencialidades do meu menino e exigir, q.b.

Sei que não devo esperar pouco empenho, só porque ele tem diferenças. No que tiver capacitado, o JP deve e tem de colaborar. Para mim, não me interessa nem um bocadinho que seja o melhor. Quero que cumpra os mínimos. Basta. De resto, o que mais desejo é que ele seja genuinamente uma boa pessoa e que saiba fazer amigos.

Sei que ele já tem algumas percepções sobre o que se passa. Parece-me aceitar muito bem, mas nem sempre. Irrita-se quando quer algo e não chega lá sozinho. Mas só vejo frustração...não vejo tristeza. Tento que se domine, que se acalme. Que volte a tentar...mas não é tarefa fácil.

Por outro lado julga-se esperto (talvez porque nós não esperando grandes espertezas, ficamos boquiabertos com o que ele já mostra saber...) e por isso adora jogar a tudo o que possa evidenciar as capacidades dele. É vê-lo à gargalhada deliciado enquanto "mostra o que sabe"...todo vaidoso.

Estamos numa fase que temos muitas birras que se controlam com conversas. Temos momentos de ternura e começamos a ter um grande companheiro de galhofa.

Os 32 meses são deliciosamente vivos...uma fase de muita descoberta, mas já muita percepção do mundo ao seu redor. Sinto que o JP será nosso companheiro e amigo, para toda a vida.
P.S: Há toda a legitimidade em desejar que os nossos filhos tenham bom desempenho escolar, pois não queremos todos "o melhor para eles" ? A única coisa que não concordo é colocar isso no topo das prioridades e fazê-los sentir essa pressão desde pequenos. Essencial é educar, amar e criar BOAS pessoas (amáveis, autónomas, responsáveis) . Se forem bons em tudo, melhor ainda !

sexta-feira, agosto 17, 2007

Só os parvos não mudam de opinião !!!

Respondeu um conceituado politico Português, confrontado com grandes incongruências no discurso antes e após eleições...

E assim estou eu. Se nesta altura , tinha vontade de não me chatear muito, agora estou mesmo disposta a ser teimosa...talvez por ser casada e naturalmente influenciada por um jornalista, que por regra são também muito teimosos...ou talvez só, porque amadureci a ideia. Tenho sempre de ver o que é melhor para o meu filho e será por isso que lutarei, desde que seja evidente que ninguém sairá prejudicado. Felizmente, não ainda não sofri na pele qualquer discriminação, e ainda tenho esperança de não vir a ter situações incómodas, mas como sei que a ignorância existe ...já as espero, ajudo , luto e denuncio!
Sem dramas. Nesta vida, temos mesmo de ir à luta pelo que queremos. E estes casos deixam-me tão revoltada. Mas porque continuo a ficar surpreendida ? Em pleno Século XXI. A Europa ainda precisa destas campanhas.

Ainda teremos muito que evoluir.

terça-feira, agosto 14, 2007

O Disparate

Quantas vezes dizemos coisas sem pensar nas consequências ?

Foi o que aconteceu connosco, mas nada de muito grave. Só curioso, principalmente quando se diz que não há nada mais puro que as crianças...puro onde ? Nos instintos primários, bons e maus , julgo eu...

Após algumas conversas onde a família (não nós, atenção !) tentou começar a introduzir o tema " mano/a para o JP" e verificando os entusiasmos frequentes do nosso piolho ao ver bebés na rua, na televisão, etc...
após perguntarmos se era um bebé em casa o que ele queria e ele responder cheio de entusiasmo que sim...
e não estando nos nosso planos a curto prazo (se é que virá a fazer parte do nossos planos...), dissemos um disparate assimilado em 3 tempos pela sua cabecinha pensadora...."Oh, meu lindo, os bebés precisam de muita atenção, porque choram muito....e depois a mamã não arranja tanto tempo para brincar contigo !"

Quando alguém voltou a perguntar ao JP se ele quer um mano em casa ele respondeu logo NÃO !!!! Ah, aprendes rápido, meu pequenino egocêntrico ! Lá que te fazia bem, fazia...

sexta-feira, agosto 10, 2007

A mamã sabe de quem gostas !

Eu bem sei de quem o JP gosta ! A educadora dele, desde os 9 meses até ao mês passado, mora muito perto da nossa casa, mas está agora de férias e o JP já não a via há 3 semanas. Apesar de carinhosa, ela sempre foi bem firme com ele e muitas vezes ele ficava amuado com ela (sim, porque ele tem "feitiozinho"), mas eu sempre soube que ele a adorava de coração ! Hoje cruzaram-se aqui pertinho de casa e o JP ficou eufórico...e depois não queria vir embora. Veio a fazer birra até casa...inconsolável.

Continua doido por jogos de memória...e eu descobri que afinal quem precisa de obrigar o cérebrozinho a exercitar-se, sou eu ! (Upsss...)

Chega ao banho e pede logo jogos...eu coloco figuras coladas nos azulejos...6, 7 ou mais...depois viro-as ! Pergunto onde está cada figura e ele sabe. Já não sei com quantos bonequinhos faça de maneira a ele errar por vezes e assim não perder o interesse.

Acho que ele já percebeu que decoro no máximo 5 ...Bolas, as crianças dão-nos cada "bailinho" !

Anda doido por observar o céu...as estrelas e a lua...fica tão entusiasmado ! Será que puxa ao meu irmão ex-astrónomo ?
Ainda temos uma semanita de férias no fim do mês, para aproveitar ...entretanto lá vem aí mais um belo e grande fim de semana com feriado a reboque...iuupiiiii !
p
Adenda: Hoje o papá também experimentou "jogar"...acho que o único aqui em casa que não precisa de exercitar a memória é mesmo o próprio JP...o papá também anda com uma memória de galinha, eheh !

terça-feira, agosto 07, 2007

As nossas Férias - I

O que mais aprecio no período maravilhoso de férias é o tempo que passa despreocupadamente e sem obrigações. Perdermos-nos em beijinhos e abraços sem olhar para o relógio. Passá-lo junto da família, com quem nos mais sentimos nós próprios...é boa disposição constante ! Senti isso. Acho que sentimos todos.
p
Também adoro a mudança de ares e a quebra das rotinas. Mimámos-nos às noites com passeios nocturnos de manga curta . Sentámos-nos à beirinha do mar a contemplar o luar, a gracejar...e o JP acompanha as nossa boa disposição ! Aliás...reparei que cada dia mais se parece connosco. Ambos os progenitores são escorpiões...algo tímidos, reservados...embora que nos entreguemos às amizades e ao amor de corpo e alma. E assim é ele. Quando não conhece as pessoas, fica bem comportado. Não fala, nem refila...fica tímido. Algum tempinho depois (basta 20 minutos ou meia horinha) se gosta de alguém, cola-se que nem uma lapa...pede colinho, implora o colinho deste ou daquele...e já nem quer voltar para o colo dos pais. Gosta de conquistar as pessoas com quem ele engraça. E aí sim ! A vergonha vai-se embora e toca a fazer gracinhas e a mostrar a faceta da boa disposição. A timidez não é uma mais valia para ninguém e também não será para ele . Porém, respeito e gosto do meu filho assim como ele é. Também eu sou assim e nunca me dei mal. Lá faço as minhas amizades...poucas mas boas ! E penso que assim fará ele. Hoje voltou à escolinha e foi recebido efusivamente pelo seu amigo de "traquinices" J. e pela grande amiga F. Foi a única coisa que o fez sorrir esta manhã !
p
O JP bem mereceu estas férias. Teve um ano cheio de actividades e sempre de cara contente para tudo. Agora está cada vez mais crescido. Muito nos enganamos quando pensamos que ele percebe na mesma medida de que fala. Mas não. Percebe TUDO e reage até a conversas com linguagem mais elaborada. Identifica os números. Faz puzzles de associações, causa-efeito, adora genuinamente "puxar pelo miolo", tenta nomear todos os objectos, mas fá-lo de uma forma muito deficiente. A girafa pode ser "iaaaaafa", o Leão é "iiiião"...o leite é "Aite" ou "eite", cavalo é "aa-aa-lllo" . Infelizmente custa-lhe bastante a pronunciar correctamente. Mas a partir de Setembro iniciará a terapia da fala e espero que haja boas evoluções.
Bem...nestas férias as evoluções motoras julgo que foram zero para não arriscar dizer um ligeiro retrocesso. Há quase um mês que não tem fisioterapia e natação. Nadou nas piscinas e no mar, mas não aguentava tanto...enfim. Esperemos por um período mais fértil em evoluções motoras.
p
No regresso e como brinde destas maravilhosas férias, recebemos o relatório dos 10 meses de intervenção com o JP, no Centro de Paralisia Cerebral Calouste Gulbenkian.
Resumindo: o JP é Interessado, curioso, concentra a atenção por longos períodos, é bastante interactivo, gosta de trabalhar no computador. Entende pequenas regras , como esperar pela sua vez em actividades de grupo...e propõem passar para duas aulas por semana de 1.30 h cada ! Se ele aguentar tanto tempo concentrado dá baile à mãe que nem na faculdade conseguiu render tanto !
p
Iniciamos agora as rotinas que se manterão pelo ano fora. Com as aulinhas de 1.30 h + terapias diversas, ter-se-á de se deitar mais cedo. Mantemos o ritual da história antes de dormir, o banho, a massagem e o "eite"...
Esta semana estamos a ler um livro com contos deliciosos sobre meninos diferentes : Menino de Olhos azuis de água de Octaviano Correia- Editora 7 dias 6 noites, cujos direitos de autor da obra revertem a favor da Associação de Deficientes da Região Autónoma da Madeira. Estamos a adorar ! Aconselho!!! É tão bonito e ensina as crianças terem uma atitude muito positiva e de esperança com a vida...

Voltarei a falar e a relembrar as férias... mas este post já vai bem longo !