terça-feira, setembro 30, 2008

Época das Festas ! Mais uma vez...

Chegámos aquela época do ano das festas da família e amiguinhos.
Este domingo foi no parque de diversões !
O meu pequenino é um aventureiro que quer experimentar tudo e que não se assusta com nada. Os divertimentos que me deixaram enjoada, branca e mal disposta, deixaram o JP 100 % divertido.
Sempre disse que o seu ponto fraco são mesmo os barulhos estridentes (foguetes, etc) com que se assusta imenso, mas as brincadeiras radicais não lhe metem medo nenhum!
Continua muito rapazolas nos gostos. Adora brincar com camiões e carrinhos mas também sei que gosta de brincar às bonecas com as meninas na escolinha ! Voltou o apetite devorador. Come, come, come, como se o mundo acabasse amanhã ! E cresce .
Agora estamos a entrar no ritmo de cruzeiro.
Não temos descanso, trabalhamos muito, mas aqueles minutinhos no fim do dia em que trocamos beijinhos e ele diz que adora os papás (logo a seguir às traquinices), compensam tudo e faz-nos pensar que estamos a trilhar o caminho certo !

sexta-feira, setembro 26, 2008

Programa educativo- 2007/2008

Com tantos problemas que surgiram na fase final da gravidez, só depois do JP ter nascido comecei a pensar onde iria deixá-lo. Tinha muito receio de colocá-lo numa escola. Imaginava um local sem calor humano, e pouco adequado ao que eu pretendia para o JP.
Resolvi questionar a pediatra do JP, que me disse: Ama, nem pensar ! Só se a conhecer e ela tiver poucos meninos. Muitas tratam da casa, de tudo e mais alguma coisa, para além de não terem a formação adequada. Numa boa escola é orientado nas suas brincadeiras e desenvolver-se-á muito bem.

Indicou-me o colégio onde ele está actualmente. O JP era um bebézinho e levei-o quando fui visitar a escola. O espaço tinha instalações novas naquele ano. Imaginei-o muito bem ali. Mas o JP ficou com uma prima minha até Julho que lhe deu mimo e carinho até mais não e só em Setembro, com 9 meses foi para o berçário. A adaptação foi fácil. Teve a educadora certa. Firme e carinhosa. Somos amigas.
A sua atitude no inicio era que nunca queria ficar na escola e no fim do dia, nunca queria vir para casa...
Ontem tivemos a reunião de apresentação do programa educativo à semelhança de todos os anos lectivos. Este ano todo o colégio estará empenhado no tema da defesa do Ambiente.
Apresentaram-nos os seus objectivos, o estabelecimento da rotina, as áreas de brincadeira/actividades existentes na sala e outras actividades-passeios e intercâmbios a realizar.
O caderninho onde colocam fotos das actividades realizadas pelos meninos na sua rotina deve ser complementado com o registo das actividades desenvolvidas pelos pais no fim de semana (se assim o entendermos) . Assim a relação família/escola será ainda mais estreita.
Mais uma vez percebi que a preocupação de que os meninos se sintam seguros é uma constante e a vontade de que eles cresçam no seu ritmo também. Para isso não poupam em carinhos, conforto, colo...tudo o que os meninos adoram.
Saí descansada e tranquila. As actividades são girissímas, as brincadeiras em grupo são as que ele mais gosta e ontem no fim do dia , o nosso JP , mais uma vez, ficou feliz por nos ver, mas ainda queria ficar lá mais um bocadinho !
Na semana passada o seu grande amiguinho lá da salinha, acompanhou-nos à hipoterapia...mas o "valentão" teve medo de subir no cavalo e ficou só a ver.
Estamos já na fase de combinar lanchinhos com os seus amiguinhos da escola ao fim de semana...e é tão bom fazer novos amigos através dele !

segunda-feira, setembro 22, 2008

Levantando-se

A levantar-te ... Ficas tão eufórico e entusiasmado quando começas a treinar coisas novas !

Um encontro de amigas

Seria tão bom podermos nos encontrar mais vezes, viver mais perto e poder cultivar melhor amizades que de virtuais passaram a reais há muito. Era bom ter sempre ao nosso lado alguém que nos compreende e partilha tantos sentimentos.
Ontem, um Domingo com um sol tímido. Um cafézinho descontraído. As mulheres já se conheciam e já tinham passado juntas algumas horas muito divertidas. Desta vez juntaram-se as crianças e os maridos. O JP a fazer o que sempre faz...arreliar a mamã e querendo , ora sentar-se, ora pôr-se de pé, ora ir espreitar outro local. Sempre atento para pedir para andar nos brinquedos que ia encontrando.
A pequenina Lobita tentando apoderar-se temporariamente dos carrinhos do JP e dizendo com doçura " é meu !".
Depois os dois investigaram os brinquedos do Tiago, que ia observando com muita curiosidade o movimento no quartinho recém-pintado com muito amor, pela sua mamã.
Um lanche, conversas e alguém a dizer-nos que ainda iríamos ser muito felizes. O Lobito-Pai respondeu com sorriso nos lábios (e eu gravei nas minhas memórias): "- Não podemos esperar por coisas futuras para ser felizes...temos de ser com o que temos".
Deu-me vontade de perguntar onde podia assinar por baixo.
Não há dúvida que esta vida tem sido uma eterna corrida de obstáculos, mas vamos aproveitando todos os bons momentos como se eles fossem únicos.

sexta-feira, setembro 19, 2008

Partilha virtual

Esta foi mais uma semana típica, cheia de trabalho, e como sempre, com muitas actividades.


Uma correria para conciliar tudo.
Continuará a partilha virtual com que tem interesse em nos ler.
Obrigado pelas vossas palavras de apoio e incentivo.


Por vezes é espantoso aperceber-me de que quem me conhece sem ser por aqui, não faz a menor ideia,( perante a minha aparente serenidade), do esforço, dos sentimentos e emoções que fervilham dentro de mim.
Talvez este seja até mais um blogue que pode sensibilizar muitas pessoas, principalmente mães, para que cada vez mais todos nós possamos estar despertas para o próximo e angariar mais ajuda na nossa luta por um sistema mais digno.
Porque ninguém, mas ninguém mesmo, sabe o dia de amanhã.
E os meninos saudáveis e fortes de hoje, podem precisar de todos nós um dia.
E também me espanta que não percebam como é dificil ter a incerteza de tantas coisas.
Temos uma capa vestida na rua, ou simplesmente a maioria das pessoas são insensíveis ?
Para além dos problemas motores do JP, sinto agora que a mãozinha tem de ser forte com o meu filho, pois alguns comportamentos passam também a ser um problema. Se a escola lhe faz um bem enorme, comigo em casa abusa.
É certo que começa a ficar mais calmo e consciente, mas a par e passo das suas mais recentes aquisições passa ainda a ter ainda mais vontades de experimentar o mundo. De exigir várias coisas, de querer andar em tudo e mais alguma coisa...disto, daquilo, de adormecer com um abracinho reconfortante...
Mas o que é mais grave é de fazer ainda muitas birrinhas quando não tem o que quer.
Esperar...Ui, ui...vai conseguindo períodos cada vez mais longos, mas ainda é muito difícil para ele.
E como precisa de ser paciente.
Quer fazer fisioterapia e começar a andar ainda hoje. Quando não vê os resultados imediatos, desmotiva um pouco.
Por isso e por tantas coisas, tenho de ir jogando bem com a sua psicologia para o manter no trilho certo.
Mas o melhor de tudo: continua a subir muitos degraus.
É bom ver o seu tónus mais forte.
Vê-lo a agarrar-se para se levantar, fazer tantas coisas novas que não fazia.
Bom fim de semana

terça-feira, setembro 16, 2008

2 Anos e meio de Blogue - The End

Ciclos de Vida. Ciclos que começam e acabam.
A nossa vida continua frenética como sempre.
Mas a vontade de partilhar os mesmos assuntos de sempre vai diminuindo.
O blogue manter-se-á por aqui.
Não será apagado.
Ocasionalmente aparecerei para dar alguma novidade.
E continuarei a ir aparecendo pelos vossos cantinhos.

Um beijo

Adenda a 17/09- Amigas, um grande obrigado pelas vossas simpáticas palavras e pelos mails. Estou a reconsiderar sim. Porque as pessoas que me querem bem, querem muito continuar a ler-me. Porque gostaria que o meu filho um dia lesse. Porque recebi mails que adorei.
E porque coincidência das coincidências esta minha amiga hoje começou um blog...e este esteve na sua origem. Voltaremos muito em breve, com muitas novidades.

quarta-feira, setembro 10, 2008

Copinho meio cheio

(A propósito de um comentário que me fizeram recentemente)
Mais um ano começado. Um ano diferente. Mas com excelentes perspectivas.
Há quem pense que tenho força e alegria para dar e vender.
Há quem pense que tenho uma vida triste porque o meu filho não é uma criança como todas as outras. Nem uns tem razão, nem os outros.
Como já muitas vezes disse, encaro os desafios com garra.
Este é o maior, mais degastante...mais forte. O que menos controlo.
Mas que acredito (e cada vez tenho mais razão para acreditar) que o iremos vencendo em cada dia.
Por vezes atinjo grande cansaço.
Talvez não maior do que muitas outras pessoas, mas não tenho uma vida pacata.
Tenho por vezes tempo para não fazer nada, pois o JP dorme todos os Sábados na casa da avó.
Pelas circunstâncias dos locais onde vou trabalhando (hospitais, etc) vejo demasiadas situações complicadas da vida de cada um e cada vez mais aprecio cada dia nosso simplesmente normal.
Cada dia tem de ser saboreado.
Quero celebrar cada um, de cada vez, com o meu filho e com o meu amor grande também, porque não sei quando o deixaremos de o fazer. A vida é mesmo uma caixinha de surpresas.
O JP tem Paralisia Cerebral, mas à parte disso tem sido saudável, graças a Deus.
Frequenta piscinas desde os 4 meses e nunca teve otites. O ano passado não se constipou sequer(vou ali bater na madeira, já, já !!!).
Por isso, tenho de me concentrar na sua reabilitação e olhar para o copo que está meio-cheio e não meio-vazio ! Não, não sou super-mulher, nem super-bem-disposta, mas vou fazendo por isso.
Muito curiosa de ver comentários...

terça-feira, setembro 09, 2008

O JP e a Escolinha

Pelas circunstâncias da vida nunca me foi possível acompanhar mais o JP. Ficar com ele em casa.
Talvez o coração tivesse me impelido a ficar com ele, mas agora sei que este percurso foi o caminho certo.
O meu filho vivenciou e vivencia o dia a dia de uma criança normal, com as devidas limitações. Segue a rotina escolar, o mapa de presenças, a história, o brincar aos cozinhados com os amiguinhos...Ele adora crianças e sabe conviver com elas.
Está familiarizado com a rotina escolar, vai-se habituando às letras, ao ritmo de trabalho. Na rua quer "conversar" e brincar com os meninos que vê. Para ele entabular um relacionamento é natural. Adora conhecer pessoas.
Se gosta delas quer seduzi-las.
Quando o surpreendo na escola nem reconheço o meu filho ordeiro, que come os iogurtes que não gosta, a sopa (nem sempre!!!) e adormece como um anjo, sem grandes fitas (tem dias, mas agora melhorou).
Na verdade o que mais me doí é ver a dependência do seu brincar em conjunto, da vontade de outros meninos. Bem sei que o seu sorriso cativa-os e consegue ter muita companhia. E eu sei que ele se apercebe de todas estas coisas e por isso tanto quer ser como eles. Tanto que quer trabalhar muito, tanto que quer melhorar depressa.
Vale a pena vê-lo com vontade, mesmo que saiba que ainda demorará a alcançar os seus objectivos.
Estes sentimentos fazem parte de um processo natural a que todos os pais de crianças especiais se submetem. E este tipo de tormento acompanhara-me-á até o fim dos meus dias, convivendo com outros sentimentos de orgulho.

quarta-feira, setembro 03, 2008

8 Anos em comum - Aniversário de casamento

Não me importo de repetir as palavras, a foto e até os elogios.
Na minha vida tive alguns azares e muitas sortes. O meu marido, pai do JP, companheiro de há 17 anos é o meu grande amor, minha paixão. Não é perfeito (nem eu o sou), mas faz-me muito feliz.
E por isso sei que sou uma pessoa de sorte. Alguns podem achar que ela se materializa sob a forma de dinheiro, mas eu não.
Esse ajuda bastante por vezes, mas ter a capacidade de saber apreciar o que temos de bom na vida é a minha grande sorte.
Em 8 anos de vida em comum, foi exigida muita determinação, muita união nossa. Também foi preciso viver o insuportável. Tivemos que aprender a de viver fora dos formatos tradicionais, questionando o nosso futuro constantemente, discutindo opções, investigando . Temos sido os melhores pais que sabemos ser...às vezes esquecemos-nos de ser o marido e mulher de atenção constante que sempre ambicionamos. Mas não acontece um pouquinho com todos nós?
O que mais quero são noites como a de hoje. Como as de todos os dias. Depois de um jantar em família tranquilo com direito a velas e tudo, no pouco tempo que tivemos, brincamos e aproveitamos juntos o nosso menino.
O JP pediu que lhe lêssemos uma história, que colocássemos um CD no leitor com músicas escolhidas pelo pai. Que lhe déssemos beijinhos ternurentos. Feliz foi para a cama...feliz nós ficamos com o sabor doce de sentir que todos nós sabemos apreciar cada dia nosso.

segunda-feira, setembro 01, 2008

Rescaldo das Férias

Naquela manhã o céu estava mais uma vez de um azul que não deixava dúvidas: o dia de partida para o nosso destino seria como imaginávamos. As férias finalmente chegaram e todos nós precisavamos desesperadamente desta pausa depois de um ano de tanta correria.
O mesmo local de outras férias. Familia pelo Sul não falta. O JP foi acarinhado pelas deliciosas primas gémeas. Brincou com elas, andou na motinha emprestada com bateria da Barbie. Fez birras para andar vezes sem conta nela.
Descobriu novos brinquedos, brincou sentado na areia, com a água, balde e pás. Jantares tardios ao relento.
OS nossos amigos, por sua vez, estavam em Espanha com o seu filho e nós com saudades visitámo-los. Aquela combinação é especial. Um dia maravilhosamente passado. Entre os petiscos trazidos de Portugal, servidos descontraídamente num terracinho, volta e meia falamos de banalidades, das contrariedades, da carga dos automóveis, dos filhos, dividindo a amizade e a companhia. O companheiro do JP esgotava a panóplia de traquinices e o JP divertia-se e defendia sempre o seu amigo. É bom perceber que as crianças crescem criando vínculos de afeto e companheirismo.

Nas passeatas o JP aproveitava para ensaiar a sua sedução. Sorria sempre para os empregados/as, procurava constantemente um amigo novo...e acabei por apanhá-lo ao colinho de amigos acabadinhos de fazer.

O sol trouxe-me energia. Energia que me restabeleceu. Injectou boa disposição e optimismo. Um optimismo que andava cansado...
As nossas férias enquanto casal são agora diferentes. Mas graças a avózinha do JP pudemos desfrutar de alguns momentos a sós...sentindo a paz de outrora, longe do ritmo alucinante do dia-a-dia.

A volta foi invariavelmente penosa. Entre os protestos do JP, lembrei-lhe dos meninos que iria re-encontrar na escolinha. Da sua amiguinha mais especial.

E hoje, observei deliciada, o seu re-encontro. A inicial timidez dela e o descarado entusiasmo dele. Depois as suas mãozinhas delicadas de menina, acariciaram a cara do JP. E ele não cabia em si de felicidade. Mais um ano começou. Da melhor maneira.
Das férias muitas histórias guardadas. Algumas irei contando aqui.
Adenda: Realmente, Ana ...é engraçado!!! A nossa amizade começou aqui !
Já eras uma pessoa que gosta de ajudar...e não mudaste! Bjs para vocês.