terça-feira, novembro 30, 2010

Comemorando

Amanhã queremos que seja um dia especial. Há mais de uma semana que só fala de anos, anos, anos....
E como não é todos os dias que se fazem 6 anos, amanhã juntaremos alguns amigos (poucos) e alguma família.
Através do projecto "Patinhos na Água" foi à piscina com a escolinha e passará a ir todas as terças-feiras. Foi bom vê-lo interagir tão bem com os seus companheiros. Estava feliz. E os miúdos estavam contentes de estar com ele.
Na 5ª feira que vem, a unidade lá da escolinha preparou uma surpresa para um outro colega que também fez anos, mas ele vai por arrasto. Vai conhecer jogadores do Benfica e tenho a certeza que ele vai adorar a prenda do amigo.
Ainda não sabe de nada. Vai ser uma surpresa para todos. Quem me dera ser uma mosquinha nesse dia...

Há 6 anos atrás....

Estava a ter um dia muito mauzinho....
A esta precisa hora (16,30) estava a implorar por uma epidural, que só veio 4 horas mais tarde. O marido fazia companhia a ler o jornal e dando alguns palpites.
E faltavam apenas 8 horas para conhecer a carinha do meu JP. O meu recém nascido cabeludinho e de lindos olhos rasgados que parece já ter vindo a sorrir! Veio ao mundo no dia em que completava 39 semanas.

segunda-feira, novembro 22, 2010

Emoções

Quem me dera às vezes SENTIR menos.

Quando o JP saiu do colégio, eu sabia que teria de cortar um cordão umbilical que tinha mesmo de ser cortado. Ele tem imensas saudades, eu também. Mas este é o nosso caminho e temos de o percorrer. Lá deixámos a paixão nos nossos relacionamentos.
Sentimo-nos desamparados e não se deve ao facto de o JP ter necessidades especiais. Uma outra mamã cujos filhotes "normais" saíram do mesmo sítio, sentiu exactamente o mesmo.

Esta nova escola não o conhece desde os 9 meses. Ele é mais um entre muitos. A vida também é mesmo assim. Somos apenas mais uns pais de um menino com PC, ele é apenas mais um número nas estatísticas. No nosso universo restrito de amigos, pais e profissionais, temos sempre alguma esperança que nos façam sentir especiais.
Mas por vezes tenho a sensação apenas que sou apenas " a mãe chata e ansiosa". E ele um menino "sortudo, com tudo para ser muito feliz porque tem uma mãe que o apoia ao máximo".
E de que me posso queixar eu mesmo ? Ele está bem, todos se esforçam para que ele seja incluído em tudo. Gosta de ir para a escola, gosta de todas as professoras e dos amigos. Não me posso queixar verdadeiramente de nada.
Sinto é falta da paixão a que estávamos habituados.
Provavelmente apenas estaríamos apenas muito mal habituados...

Palavras Irreflectidas

Quando o JP nasceu, eu não tinha entre o meus conhecimentos ninguém com filhos com deficiência ou algum tipo de doenças ou perturbações. Entretanto percebi também que não tinha nunca travado qualquer conhecimento com pessoas com algum tipo de incapacidade. E logo desfiz essa lacuna e conheci algumas das pessoas mais fantásticas.
Entre elas, comecei a falar com uma moça, já pelos 40 anos. Também ela com paralisia cerebral. Não foi preciso passar muito tempo para perceber que éramos (e somos) amigas. Íamos falando com alguma regularidade, pelo skype, messenger, pelo telefone, desde banalidades até a assuntos mais profundos e íntimos.
Ela segue este blogue com atenção. Leu o Post anterior e reagiu.
É verdade que às vezes precisamos de levar um "abanão" para perceber e mudar opiniões. Ela deu-me esse abanão.
Explicou-me de certa forma o que passou (e passa) porque o pai sofria imenso (infelizmente faleceu) com a condição da filha e o que ela sentia em relação a isso. Que ficava triste e magoada. Sentindo que o pai sofria quando ela dava um trambolhão, de certa forma sentia que o estava a desiludir.
Mas ela só pensava em levantar-se !!! Cair era um pretexto para voltar a erguer-se. E que eu devia pensar que a vida de quem tem PC, pode ser um rol de coisas boas, felizes.
Senti que lhe doía pensar que também não fora a filha desejada.
Mas aposto que foi e é.
Assim como o meu JP. Há coisas que eu não tinha imaginado, mas ele é o meu filho sonhado sim. Como mãe todos os dias aprendo tantas coisas. Esta foi uma das mais importantes. A ti, AMIGA, um enorme obrigado por seres sincera e me abrires tantas vezes os olhos.
Não consigo imaginar a dor que possa sentir se algum dia ele me disser que eu não sou a mãe sonhada...

quarta-feira, novembro 17, 2010

Crescimento/Aceitação

Ainda ontem em conversa com uma velha amiga, falávamos sobre a aceitação da nossas realidades.
Não há a fórmula mágica, nem a regra fixa. Cada um tem a sua maneira de interiorizar o desmonorar do filho sonhado. Há quem ache que aceitei muito bem.
Infelizmente não. Simplesmente consigo esquecer tudo o que planeei e passei a desfrutar de cada dia, sem pensar muito no seguinte. E consigo.
O amor que tenho por o menino JP faz-me acreditar que é este o meu menino, nunca foi outro...
Ele é neste momento uma criança muito feliz, interessada pelo mundo que o rodeia e com muita sede de aprendizagem. E o meu projecto é que ele continue cheio de força e auto-estima. E tudo faremos para que alcance o máximo potencial em todas as áreas.
Tentamos que experimente o mesmo que todos os meninos experimentam. Fazemos questão que tenha uma infância mágica, como qualquer criança tem. E aprendemos a confiar que o futuro nos sorrirá.

p.s: Esta é a cadelinha do JP, mas mora na quinta do avô. Mas ele adora ser "dono" e adora brincar com ela.

terça-feira, novembro 16, 2010

Mais uma reunião PAIS EM REDE

Um dia li este post e fiquei mesmo contente...

Teremos mais um reunião deste distrito no próximo domingo 21 de Nov., na escola Vale Rosal (zona charneca da Caparica), pelas 10.30 h. Apareçam ou liguem 966 698 003, para saber mais informações. Todos são benvindos. Não precisam de ser pais...podem ser amigos, familiares, técnicos. Cada vez somos mais e temos mais força. E é de força que precisamos !!!


Ser mãe de uma criança especial

É ter sempre a pulga atrás da orelha...
Fizemos a reunião, constatámos a situação actual, o que precisa de ser melhorado, o que se vai fazer a curto prazo e ficámos mais ou menos contentes...(eu mais ou menos fiquei).
Quando saímos ia com garantias que tudo está a ser feito e que continuará para que ele esteja pouco tempo na unidade e com os meninos da unidade, porque tem capacidade para acompanhar toda a turma. Ficaram definidas também estratégias para o uso da comunicação aumentativa e acesso à escrita através do computador na escola .
Será possibilitado nas próximas semanas e será outro passo em frente.
Já era hora de almoço e fui espreitá-lo...infelizmente não gostei do que vi. Em vez de estar a almoçar com os meninos da sua turma como sempre fez quando eu ia dar o almoço, estava num cantinho com os meninos da unidade.
Logo me disseram que hoje foi excepção pois as professoras estavam na reunião e por isso teve de assim ser.
Sim, acredito nas professoras e confio nelas mas logicamente que vou estar atenta.
Felizmente o JP tem capacidade de me contar tudo mesmo sem me falar...e isso é fantástico.

Dia 16- Reunião na escola

O JP tem feito toda a sua rotina habitual.
Agora tem algumas terapias feitas na unidade da escola, (psicomotricidade , fisioterapia e terapia da fala).
Continua também a fazer fisioterapia fora.
Terá ainda Hipoterapia e eventualmente piscina (também pela escola), mas neste momento está a fazer connosco. Algumas terei de abdicar porque se duplicam e para não preencher excessivamente o horário.
Tudo corre normal. Porta-se quase sempre bem em contextos fora de casa. Já com os pais está péssimo. Só quer fazer a vontade dele, e da maneira dele e quando ele quer...
Arranja outras maneiras de nos "chatear" que não as birras e nisso está crescido. Mas está muito "infant terrible". Deixa-nos loucos por vezes.
E também independente. Não nos quer perto dele quando está na casa de banho. Diz "ADEUS".

Daqui por meia hora teremos reunião na escola para avaliar e programar toda a sua integração e método de trabalho. Estou com nervoso miudinho. Depois vos conto.

segunda-feira, novembro 15, 2010

Testemunho de mãe na conferência Comunicar 2010

Nestes anos todos de vida profissional fui a inúmeras conferências.
A "comunicar 2010" está bem longe da minha área profissional. E de todas a que fui na vida, foi a que mais gostei.
Fui convidada pela Dra Margarida N. Ponte para apresentar o meu testemunho de mãe e acho que correu muito bem. Na verdade estava nervosa, embora dissessem que não notavam. Levei 3 videos do JP a interagir com outros meninos através do caderno de comunicação e todos gostaram muito. E de resto tentei ser simples e relatar a nossa experiência de comunicação até aos dias de hoje. Fiquei honestamente contente desta iniciativa tão pioneira no nosso país, fiquei lisonjeada de participar nela e desejosa que se repita.
Vou deixar aqui um dos videos do meu JP a brincar na escola que também foi apresentado na conferência (só vai estar alguns dias)