quarta-feira, março 27, 2013

A Fase dos Medos ?

Não sei se o JP está a tomar consciência da vida de uma forma diferente, ou apenas por sonhar mais e perceber melhor os noticiários, mas recentemente mostrou medos diferentes: Medo dos ladrões e medo de perder-se dos pais.


A fisioterapia costuma ser cerca de 2 horas seguidas de cada vez e se algumas vezes trabalho ao computador nessa hora, outras aproveito para sair e fazer algum recado necessário. 

De há alguns meses para cá, o JP não quer que eu saia, porque receia que me esqueça dele e já não volte.
Ele já está com este fisioterapeuta (cubano) há cerca de 3/4 anos e sei que não é receio de ficar com ele, porque eles entendem-se muito bem.

Mas tem mesmo medo que eu não volte. 
Conversámos  bastante sobre o assunto.
Felizmente parece ter resultado.
Nas últimas vezes, depois de chegarmos, ele próprio tomou a iniciativa de me dizer que podia sair.

Fiquei tão feliz de ele enfrentar os seus medos !!!

Vidas perfeitas

Ora bolas...a mim não me calhou uma destas vidas. 

Os meus miúdos gostam de dormir a noite inteira, mas já me deram muitas más noitinhas.

Mas pior que isso é esgotarem-me a paciência antes de ir para a cama. 
E a noite passada, depois de um birra-descomunal-e-nada-própria-de-um-gaiato-de-8-anos, veio também birra gigante do R. . O bebecas parecia gostar da hora de dormir, mas " já era ". 
Há duas noites que chora por sistema antes de dormir. 
Parece que precisa de "descarregar"...e depois o cansaço vence-o e adormece profundamente.
Já o mais velho não tem grande desculpa. Chora porque não quer ir para a cama e tem dificuldade em perceber que chega aquela hora e tem mesmo de ser (apesar de quase tombar a cabeça de sono e catrapiscar os olhos). Claro que não demora mais de 3 minutos para adormecer e já nem a gigante birra do mano o acorda....

Mas também temos novidades na hora de levantar.  

Acordam os dois bem dispostos mas há aqueles 20 minutos que não posso dar atenção ao Rafa- ao dar o banho ao JP e a vesti-lo-  e é justamente quando me pede colo aos berros, com os braços esticadinhos, a um nível de decibéis quase ofensivo para os vizinhos e para os meus ouvidos.
E pronto, porque recusar um colo me doí muito, fico em cacos...

Espero que seja apenas uma fase  :)  (lá estou eu com o meu optimismo incorrigível)



terça-feira, março 26, 2013

Tantas voltas no Carrossel

Não sei se é por perceber que a vida se encarrega de dar as voltas necessárias, que ando tão tranquila
em relação ao futuro e a tudo em geral.  
Como dizia o outro, não há fome que não dê em fartura.
Poucas vezes as coisas se equilibram e por isso, temos de aproveitar cada fase de uma maneira diferente. 
Se nos primeiros anos de vida do JP, não desfrutei do meu bebé como achava que devia, por  estar sempre assoberbada de trabalho (e corridas para as terapias), consegui (por culpa das voltas da vida), fazê-lo , até quase me saturar com o Rafinha. 
E depois, veio mais vez uma fase de avalanche profissional e toca a aproveitar. 
Pouco ou nenhum tempo sobra para as coisas simples e necessárias da vida quanto mais para fazer tudo o que gostaria com o JP e com o Rafa. 
Queria inscrever o mais pequenino na natação e vou adiando mês após mês...
Todos os dias tenho de pôr o JP a fazer standing, mas o dia não parece ter horas suficientes para tudo. 
Fico frustrada.

Mas a vida é assim mesmo. Faz com que valorizemos sempre o "outro lado".
E por saber que a vida é mesmo um carrossel que dá muitas e muitas voltas, fico a aproveitar cada uma, sabendo que cada uma trará algo de muito positivo.


quinta-feira, março 21, 2013

Furacão Rafael

Não sei se já existiu um com um nome assim, mas aqui no Seixal, passa todas as manhãs. 

Quando nasceu temia que fosse muito chorão e pudesse destabilizar as nossas rotinas. 
Mas não. Era um autêntico anjo. Ria imenso e pouco chorava. Tudo se conciliava com um bebé assim.
Agora com 1 ano, é um autêntico furacão. Mexe em tudo. Chora e berra se for contrariado. E se estiver a vestir o mano e não lhe der a atençãozinha....
Esta manhã, enquanto dava banho ao JP, o Rafael ia espalhando batatas e cebolas pela casa toda. 
Quando não é o papel higiénico...o mano mais velho ri-se que nem um perdido.

Quando finalmente entrego os 2 e me sento para começar a trabalhar (e o trabalho é duro), quase parece que me sentei para descansar :) Ufa !

terça-feira, março 19, 2013

Férias da Páscoa

A alegria do meu  JP, hoje ao acordar, era contagiante.


O entusiasmo por ser dia do pai, um dia especial. E as ideias....tantas ideias para fazer hoje.
Para além disso também vai começar uma série de actividades no ATL ( Actividades de tempos livres), já que está de férias. 
Vão haver alguns passeios, idas à piscina, experiências e brincadeiras todo o dia com os seus amigos.

Emociono-me muito e  orgulho-me, como sempre, ao ver a alegria do meu filho mais velho. 
O seu crescimento, a sua coragem para dar novos passos, que nem sempre são fáceis. 
Ele seduz e faz amigos em todo o lado. 
Sei que o JP tem o seu feitio. É mais teimoso do que o desejável mas essa teimosia também o faz andar para a frente. Por vezes essa obstinação é bastante desagradável. Mas nesse capítulo tem de ser tratado como os outros. E eu sou a primeira a exigir que não tratem com "pena" mas como tratam todos os outros. 
Infelizmente ainda há alguns meninos que são intolerantes com ele. 
Na escola...sabemos de um...ou dois. 
Mas ele também sabe disso e sabe que faz parte e nem liga. Ultimamente incentiva-mo-lo a queixar-se à professora, (como fazem os outros). 
Mas o mais importante, é que ele, como quase todas as crianças, integra-se, faz parte, inclui-se. Naturalmente sem imposições. 

Chegou esta manhã no ATL e uma série de meninos vieram recebê-lo, contentes de ele hoje ir fazer parte das actividades.


Nem sempre a vida o receberá de braços tão abertos,  por isso adorei esta sensação de acolhimento.

Estou mesmo contente com as pessoas que fazem parte do ATL. Fomos para lá depois de uma série de percalços desagradáveis.
As instalações são modestas, bastante antigas, mas as pessoas são humanas, atenciosas e calorosas....como nós estamos habituados e gostamos. E aprenderam a conhecê-lo muito rápido. 
As brincadeiras e actividades fazem as delícias do meu menino. E ele está mesmo na idade de brincar em grupo. O JP tem andado muito animado e feliz por ali. E eu assim fico também.

segunda-feira, março 18, 2013

Pérolas da comunicação JP II



(Contado  pela professora do JP)

O JP numa troca de mails com a professora, apanha-a num dispositivo móvel, onde ela não foi capaz de colocar os assentos nas palavras. Como queria muito responder ao mail do JP, mandou assim mesmo.

Resposta do JP: "Professora, também dás erros !"



Pérolas da comunicação JP - I

Como pais, tivemos de aprender a comunicar com o JP de uma maneira nada tradicional.
O JP aprendeu muito cedo a escrever, motivado provavelmente pela ânsia de comunicar. E agora está numa fase em que cada vez mais mais aperfeiçoa os seus textos e frases.


É sabido que as crianças copiam muito os seus pais. Mas a comunicação com o JP infelizmente não permitia muito bem, perceber toda a influência que poderíamos ter nele.
Mas cada vez observamos essa influência e é muito giro.

Nestas férias, o JP foi passar uns dias a casa da avó.
O JP liga-nos por diversas vezes mas nós não ouvimos o telefone.
Mais para a noite, cheios de saudades, ligámos-lhe para o skype, só para falar um bocadinho mas o gaiato não atendia. Percebemos que estava "online" e fomos insistindo.
Às tantas atende.
E logo a seguir manda uma mensagem (cujo skype lê em voz alta com auxílio do GRID) com uma expressão que me fez lembrar TANTO o pai...

"Isto é um abuso ! Quando uma pessoa está a falar com os amigos, é que vocês ligam. "


Estava chateado, pois claro.

E a primeira parte da frase....o pai....100 % .

terça-feira, março 12, 2013

Como surgiu este convite


Numa daquelas manhãs que temos de 6 em 6 meses- as manhãs que o JP vai ao Hospital Garcia da Orta levar a toxina botulínica, a sua fisiatra ficou muito espantada com a "fantasia" que o JP fazia e com a maneira como eu o entendia e comunicávamos sem uma única palavra proferida por ele.
O JP andava na fase que levava a boneca "filha" para todo o lado. 
Depois de levar as picas, dizia-me que a boneca estava doente. 
A "filha" tinha muitas dores e que precisávamos de passar numa farmácia na ida para casa. Pediu-me para prometer que parava mesmo numa. E eu lá prometi...(coisas de mãe)

A Fisiatra olhava intrigada com curiosidade e fez várias perguntas. Como o entendia, como funcionava o caderno, etc. Como comunicava na escola, com os colegas, em casa, com o computador, etc.

No computador também tem o mesmo caderno no feito no GRID para facilitar a memorização, mas tem muito mais coisas, facilitadoras com frases mais completas, com a vantagem do computador "falar" por ele ao seleccionar um símbolo ou tecla.
Nesta fase, ele já não gosta de coisas estabelecidas. Prefere escrever, com ou sem predictor. 
Na verdade, ele gosta mesmo é de mandar mails e por isso, quando conhece alguém, pede-lhe logo o tal do endereço electrónico.
E os assuntos que gosta de saber e falar, são aqueles que todos os meninos gostam também de saber- se a pessoa é casada, tem filhos, onde mora, idade, se gosta de usar o computador. 
Depois também fala dele. Que tem um mano (é um enorme orgulho para ele) e que gosta de fazer contas.
Entre as pessoas da família gosta de espalhar as novidades (que a prima já pintou novamente o cabelo da cor natural, etc)

São muitas as pessoas que se apaixonam por ele. E ele também continua a apaixonar-se pelas pessoas.

É mesmo especial. Muito.
Já em 2010 contámos a nossa experiência com o caderno na conferência "Comunicar 2010".

Fa-lo-emos novamente, agora no Hospital Garcia da Orta com todo o entusiasmo.


Partilhar a experiência


Mais uma vez vou partilhar a nossa experiência de uma comunicação "diferente" mas muito eficiente.

Será no Hospital Garcia de Orta e destina-se a terapeutas, pais e professores interessados na temática.
Posso enviar a ficha de inscrição a quem solicitar pelo mail. Terá lugar no dia 19 de Abril.

Haverá workshops sobre o Magic Eye e o uso da consola Wii como meio lúdico e terapêutico. Divulguem e participem.

terça-feira, março 05, 2013

"- Bolas, não é nada justo !"

Este fim de semana o JP foi a mais um aniversário de um amiguinho da escola. 
À semelhança do ano passado, foi numa quinta que pertence à igreja, sem nenhum planeamento e foi muito divertido. 
Estavam lá imensos meninos da sua turma e a sua amiguinha L., que para além de ser da sua turma, também partilha o ATL com ele. 

Sempre disse que o JP tinha o poder de atrair naturalmente as pessoas interessantes e boas.

E é mesmo verdade. Esta amiga rodeia-o de atenções. Entende-o muito bem e brinca imenso com ele. O relacionamento deles espanta as pessoas. Acho que entende-o até melhor do que a sua namoradinha S. .

É  faladora, adora dar-lhe bolachas e brincar, atenciosa e sabe usar muito bem o caderno de comunicação.

A determinada altura os meninos foram brincar numa zona da quinta com difícil acesso para uma cadeira. E ela, que empurrava a cadeira do JP, sai-se com " - Bolas, não é nada justo !" e ficou o tempo todo com ele.
Felizmente como é tão comunicativa e sociável, junta sempre um grande grupinho à sua volta.
E o JP nunca está sozinho.

Uma jóia muito rara que muito estimamos.