quinta-feira, fevereiro 27, 2014

Coisas que nunca contei IV

Quanto mais normal é a nossa vida menos interessante é para contar...mas todos os dias há coisas...

O dia-a-dia aqui em casa gere-se assim mesmo. Ao dia !


O Rafael tem andado doente e esta semana o JP ficou sem transporte da câmara e dependo do ATL e de ajustar os meus horários. De manhã levo-o e como é sempre uma aventura !!!

Esta manhã um senhor aproveitou o lugar de estacionamento de Deficientes da escola ser largo, para encostar o carro dele ao meu, mesmo apertadinho, comigo ali , ainda a montar a cadeira. Não estava a acreditar que mesmo mostrando que a cadeira do JP não passava, ele me mandava "dar a volta". Expliquei que o menino estava daquele lado e que se o lugar dos deficientes é largo é por algum motivo.
Pois não sei até que ponto percebeu ou não percebeu, ou fingiu não perceber (era chinês). Pega na cadeira e vai dar a volta, como se eu fosse a mal educada.

Receei que fosse amigo de clientes meus e inspirei e expirei 50 vezes para me acalmar....Haja muita paciência. Olha, afinal, não são só os Portugueses os mal-educados.

quarta-feira, fevereiro 26, 2014

Coisas que nunca contei III

Uma semana dedicada a olhar para o passado....e a contar coisas que nunca desabafei. 

O tema aqui anda sempre  à volta do mesmo: os meus filhos e a minha família. E se antes era muito obcecada e focada no JP e na sua recuperação, o passar do tempo e o nascimento do Rafael e nova actividade profissional trouxeram-me um ponto de equilíbrio.
É verdade que me sinto muito melhor desde que encontrei a dedicação na dose certa.
A minha vida não são só os meus filhos. Eu preciso de ter desafios. 
Para minha própria sanidade mental.
Eu adoro-os, amo-os com toda a força das minha células mas nunca daria uma boa mãe a tempo inteiro. 
Se dúvidas tive, já as tirei.

Tenho sorte de gostar tanto dos fins de semana  (em que por acaso trabalho bastante) como dos dias de semana. Também adoro estar com eles e ainda ontem nos lembrámos cá em casa como foram boas as nossas férias, apesar de tão exigentes.  E como ansiamos pelas próximas.
Estes serão (não tenho muitas dúvidas) os melhores tempos das nossas vidas.
Ter um filho com deficiência não mudou este aspecto da vida. 
Temos muitos contratempos, temos uma vida muito preenchida, exigente e cansativa. 
Por vezes frustrante. E ainda temos aqueles dias em que a dor fala mais alto.

Mas aos poucos, é cada vez mais uma vida normal.

terça-feira, fevereiro 25, 2014

Coisas que nunca contei II

Estes últimos posts tem sido inspirados por situações dos últimos tempos. 
Escrevo-os durante o Domingo e eles virão todos os dias pelas 10 h para quem me segue.
Por vezes situações com alguma intensidade dão-me vontade de escrever e expressar desta forma.

Confesso que me sinto muito culpada por nunca ter dado ao Rafael nem um quarto do estímulo do que dei ao JP. 

Não é por mal nem falta de vontade. É por falta de tempo e porque o JP continua a exigir muito. 
Por vezes tenho de acompanhá-lo no estudo, fora as idas à fisioterapia e exercícios aqui em casa.
Com o JP brincava imenso, desde bebé que líamos por horas juntos. Fazía
mos exercícios e eu brincava ao mesmo tempo. Contava histórias no carro. Comprei os DVDs da moda.
Íamos à piscina 3 vezes por semana. Cantava-lhe o tempo todo enquanto descobríamos lugares interessantes.
Fomos a imensos teatros, espectáculos musicais, jardim zoológico, quintas pedagógicas e uma infinidade de actividades interessantes. Esteve num colégio 5 estrelas.

O Rafinha foi apenas a um pequeno espectáculo e por vezes lá encaixo um pouco tempo para ler. Fiz uma tentativa frustrada de o levar à piscina aos Domingos de manhã. Para o sossegar enquanto ajudo o JP com alguns TPC deixo-o ver mais desenhos animados do que gostaria...e só no outro dia percebi que adora a Xana Toc Toc. E não temos nenhum DVD dela :)
Mas ele estimula-se imenso, graças a Deus. Canta sozinho, dança e pega nos livros e desfolha. Faz uma festa na banheira com os brinquedos do mano.
Vem perguntar o "o que isto ?" com os livros na mão e lá vamos lendo, conversando e brincando mais a pedido que outra coisa.
Vai mais vezes ao parque e aproveita mesmo a valer, sem dúvida. Os legos não têm segredo para ele e todas as explorações aqui em casa são feitas até à exaustão.

Enfim...a culpa está cá. Mas eu dou o melhor. 
Não posso dizer que a consciência não me pese...mas pelo menos sei que dou o meu melhor. 

segunda-feira, fevereiro 24, 2014

Coisas que nunca contei I

Quem me conhece sabe como eu gosto de olhar para a frente e ser positiva.

Nunca na gravidez do Rafael perdi tempo a pensar nos cenários menos positivos. Acho que depois de ter nascido o Pedro programei a minha mente que ter filhos tem sempre um grande risco e esses infortúnios podem vir em diferentes alturas da vida deles. Passei a viver com menos medo e a aceitar melhor o destino. Pelos menos em teoria.
O Rafael nasceu por cesariana numa quinta feira à noite, com excelente APGAR e no Sábado de manhã,  fui dar-lhe o primeiro banho ao berçário da Clínica de Santo António. Disseram-me que a pediatra iria fazer nessa altura um exame mais completo.
O meu coração gelou e toda a força, foi sugada assim de repente das minhas pernas, do meu corpo, da minha mente. Não consegui dar o banho, tremi, pedi desculpa à enfermeira, estava nervosa e ansiosa e ela assustada de me ver tão pálida, encaminhou-me para o quarto. Pelo caminho ainda tive de me sentar, pois estava quase a desmaiar de pânico.

Não dei aquele primeiro banho e as lágrimas escorriam pela minha face sem parar. Meia hora mais tarde vieram ao quarto dizer-me que o exame da pediatra tinha determinado que o Rafael estava óptimo. Perfeito. Eu também estava a recuperar lindamente e poderia ir para casa naquele mesmo dia. Acabei por decidir sair só no Domingo. Aquele episódio de medo e pânico arrasou comigo. Já me tinham descansado e as lágrimas continuavam a escorrer.
Foi um momento genuíno de fraqueza. Durou um par de horas.  Mas fui forte o tempo todo. 
No fundo tive direito a ele.


domingo, fevereiro 23, 2014

Obstáculos - Piscinas / Câmara Municipal do Seixal

Sempre estiveram e estarão presentes no dia a dia de uma mãe de uma criança especial.
Ora bem. Ir à piscina com a escola faz parte do programa dos terceiros e quartos anos.

Qual é a novidade ? Não têm nas piscinas Municipais de Corroios quem assista o JP e S. dentro de água.

Constatação: ninguém na turma tem ido, porque a professora disse que só vai com a turma toda. Mas a outra turma de 3º ano vai....

Resolução ? Mãe do JP expôs a situação ma Câmara do Seixal, (sem resultados) e agora esperamos que uma carta dos outros 19 pais possa ter mais impacto.

Ah....sempre a lutar....nem podia deixar de ser.

2 anos do meu Olhinho Azul



Comemorámos em família os seus 2 anos neste mundo. 

É um menino muito especial e muito querido. Tem coisas únicas. Mas tem igualmente um feitio muito decidido e firme. São tantas as coisas especiais e que acabarei por esquecer que vou registar as suas particularidades mais marcantes.


Aos 8 meses disse pela primeira vez "tisto?" ( o que é isto?) e agora aos 2 ainda repete umas 50 vezes por dia. Sede de saber tudo. 
Desde bebé, quando lhe damos algo, apressa-se a dizer "Obiá" (obrigado). É algo que me parece "sui generis" porque é muito sistemático e dele.

Quando perguntamos como se chama o pai, diz "Pau", como se chama a mãe diz "Nina", o mano é "Mana" e apesar de saber dizer "RAFA" diz sempre que se chama "Bébé " e ri-se porque sabe que não é bebé que queremos ouvir. Já fala muito, faz frases grandes mas acho que aprendeu na Ucrânia :) e depois fica irritado por não percebemos.
Gosta de ser engraçadinho e fazer rir. Adora que brinquem com ele.
Abraça espontaneamente. E é muito voluntarioso. 
Adora ir buscar coisas que lhe pedimos, ajudar nas tarefas, arrumar (e desarrumar), quer sempre ajudar a montar a cadeira do mano...

Mas este doce não é um poço de virtudes, porque todos temos as nossas particularidades. 
E o Rafael não é nenhuma excepção.
É ciumento. Está sempre a testar-nos e a tentar perceber a sua importância na família. 
Pede muito colo, mas pede principalmente nas alturas em que não podemos mesmo dar (quando damos banho ao mano, o vestimos, etc). Agarra-se a nós, ao colo e não quer sair. 
Temos de o retirar (e como custa fazer isso). E ele berra. Berra muito e é uma coisa que me faz sentir uma péssima mãe e me doí bastante cá dentro. 
O meu JP nunca conseguiu gastar tantos decibeis apesar de também ser de fazer algumas birras.
O Rafael amua com a pessoa que o magoou e não esquece de imediato.
Socialmente não é o sedutor que era o mano. É um bocadinho mais envergonhado. Mas depois de ganhar confiança, é o maior brincalhão e é delicioso ouvir aquelas gargalhadas fáceis.

É mais um boa-boca. Gosta de sopa e adora peixinho. 
É um falso magro, porque é muito alto. Pesa  cerca de  12,5 kgs, mas mede 94 cm. Está bom e recomenda-se.

O JP continua apaixonadíssimo por ele e nós também. 

Imagens de ternura


quinta-feira, fevereiro 20, 2014

Regras para a felicidade....


Happiness is not something ready made. It comes from your own actions.
Dalai Lama


Já pensaram sobre isto ???

REGRAS PARA A FELICIDADE


1. Não guardes rancor: As pessoas felizes entendem que é melhor perdoar e esquecer 
do que deixar seus sentimentos negativos dominarem seus sentimentos positivos. 
Guardar ressentimento aumenta a ansiedade e o stress. 
Se esqueceres os rancores, vais poder apreciar as coisas boas da vida.
2. Trata todos com bondade: Sabias que ao realizares um acto altruísta, o teu cérebro 
produz serotonina, uma hormona que facilita a tensão e eleva o espírito? 
Tratar as pessoas com amor, dignidade e respeito, também permite que construas 
relacionamentos mais fortes.
3. Encara os problemas como desafios: A palavra “problema” não faz parte do 
vocabulário de uma pessoa feliz. Um problema é normalmente visto como uma 
desvantagem ou como uma situação instável, enquanto que um desafio é tido como algo 
positivo, como uma oportunidade,  uma tarefa. Sempre que enfrentares um obstáculo, 
tente olhar para ele como se de um desafio se tratasse.
4. Expressa gratidão pelo que já tens: Há um ditado popular que diz: 
As pessoas mais felizes não têm o melhor de tudo, elas fazem o melhor de tudo com 
o que têm”
Terás um sentido mais profundo de contentamento se contares as bênçãos em vez 
de ansiar para aquilo que não tens.
5. Sonha em grande: As pessoas que têm o hábito de sonhar em grande são mais 
propensas a realizar os seus objectivos do que aquelas que não o fazem. 
Se te atreveres a sonhar em grande, a tua mente vai assumir uma atitude mais 
focada e positiva.
6. Não se preocupe com as pequenas coisas: As pessoas felizes entendem que a vida 
é demasiado curta para despender energia com situações triviais ao invés de desfrutar 
das coisas mais importantes na vida.
7. Fala bem dos outros: Dizer coisas agradáveis sobre as outras pessoas encoraja-te 
a pensar positivo.
8. Não procures culpados: As pessoas felizes não culpam os outros pelos seus próprios 
fracassos na vida. 
Em vez disso, elas assumem os seus erros e, ao fazê-lo, proactivamente tentam mudar 
para melhor.
9. Vive o presente: As pessoas felizes não vivem no passado nem se preocupam 
com o futuro. Elas saboreiam o presente envolvendo-se em tudo o que fazem.
10. Acorda todos os dias à mesma hora: Acordar à mesma hora todas as manhãs 
estabiliza o teu metabolismo, aumenta a produtividade e coloca-te num estado calmo e 
centrado.
11. Não te compares aos outros: Se achas que és melhor do que outra pessoa 
ganhas um sentido saudável de superioridade, mas se considerares que alguém é melhor 
do que tu acabas por te sentir mal contigo mesmo. Serás mais feliz se te concentrares no 
teu próprio progresso.
12. Escolhe os teus amigos com sabedoria: A miséria adora companhia. 
É por isso que é importante cercares-te de pessoas optimistas que te vão incentivar a 
cumprir os teus objectivos.
13. Não procures a aprovação dos outros: As pessoas felizes não se importam com 
que os outros pensam delas. Elas seguem seus próprios corações, sem deixar os 
pessimistas desencorajá-los. 
Elas entendem que é impossível agradar a todos. 
Escuta o que as pessoas têm a dizer, mas nunca esperes pela aprovação de ninguém.
14. Aproveita o teu tempo para ouvir: Fala menos, escuta mais. 
Escutar mantém a mente aberta. 
Quanto mais intensamente ouvires, mais silenciosa a tua mente fica e mais conteúdo 
absorves.
15. Cultiva os relacionamentos sociais: Uma pessoa só é uma pessoa infeliz. 
As pessoas felizes entendem como é importante ter relações fortes e saudáveis. 
Procura sempre tempo para te encontrares e falar com a tua família e amigos.
16. Medita: Ficar em silêncio ajuda-te a encontrar a tua paz interior. 
Não precisas de ser um mestre zen para alcançar a meditação. 
As pessoas felizes sabem como silenciar as suas mentes em qualquer lugar e a qualquer 
hora.
17. Alimenta-te bem: Tudo o que comes afecta directamente a capacidade do teu corpo 
produzir energia, o que vai ditar o teu humor e concentração. 
Certifica-te que os alimentos que ingeres irão manter tua mente e teu corpo em boa forma.
18. Faz exercício físico: Estudos têm demonstrado que o exercício aumenta os níveis de 
felicidade. 
Aumenta também a tua auto-estima e dá-te uma maior sensação de auto-realização.
19. Vive com o que é realmente importante: As pessoas felizes mantêm poucas 
coisas ao seu redor porque elas sabem que coisas supérfluas os deixam sobrecarregados 
e stressados.
20. Diz sempre a verdade: Mentir corrói a tua auto-estima e torna-te antipático. 
Ser honesto melhora a tua saúde mental e faz com que os outros tenham mais confiança 
em ti. 
Sê sempre verdadeiro e nunca peças desculpa por isso.
21. Controla a tua vida: As pessoas felizes têm a capacidade de escolher os seus 
próprios destinos. Elas não deixam que os outros digam como devem viver as suas vidas. 
Deter o controlo completo de tua própria vida confere-te sentimentos positivos e de 
auto-estima.
22. Aceita o que não pode ser alterado: Depois de aceitares o facto de que a vida não
é justa, vais ficar em paz contigo próprio. 
Em vez de viveres obcecado com o facto da vida ser injusta, concentra-te apenas no que 
podes controlar e mudar para melhor.



Adorei e concordo !!!