domingo, novembro 29, 2015

O que te faz feliz, Rafael ?

Tive como resposta 2 frases, surpreendentes, amorosas e para recordar:



- As "macacadas" do pai (brincadeiras)


- Fazer rir o mano...



Um palhacito em formação, portanto !

domingo, novembro 22, 2015

Aos olhos da Rita - O lançamento do Livro da Rita Bulhosa

O lançamento do livro já  estava previsto há muito tempo. 
A Rita tem 15 anos, tem paralisia cerebral e é filha de uma amiga minha e do jornalista Mário Augusto. Mas parece uma mini-adulta na forma de se expressar e pensar. Fala mesmo bem.
A minha intenção sempre foi ir com a família toda, principalmente com o JP. 
No entanto, a profissional complicou-se e o JP precisou de ir para a avó. 
Eu percebi que mesmo indo directo, teria de chegar atrasada.
Mas recebo uma mensagem do JP a pedir-me muito para ir ao lançamento deste livro. Tinha visto na comunicação social e ele quando quer algo consegue ser muito persuasivo. 
Ok, chegaria ainda mais atrasada mas iríamos lá com a esperança de que estivesse muita gente e conseguíssemos uma cópia autografada, mas principalmente que o JP se cruzasse e conhecesse a Rita, como ele tanto desejava.
Conseguímos. Ficou feliz, todos ficámos. Adoramos conhecer aquele furacão de força. 
Eu já comecei a ler o livro e o JP vai ler a seguir. Acho que vai adorar e vai identificar-se com imensas coisas.
Ao sairmos de lá, disse logo que daqui por 5 anos seria ele a escrever um. 
Não sei se a vocação dele é essa. Eu adoraria ver todos os pensamentos dele escritos. Porque a Rita vai verbalizando o que pensa. O João Pedro, vamos apenas percebendo aos poucos através do computador. 
Seria uma imensa riqueza e surpresa, certamente mas não sei se escrever tanto, será tarefa para ele. Logo se verá.
Seja como for, este é um daqueles exemplos que eu quero que ele "beba".
Sim, os menos capacitados, conseguem fazer coisas absolutamente maravilhosas. Tenho lido o livro e  sinto-me inspirada por uma menina extraordinária de 15 anos.

sábado, novembro 21, 2015

Desistir nunca

Eu quero muito que os meus filhos sejam ambos uns lutadores. Trabalhadores e perseguidores de objectivos. Motivados e felizes.
Antes de mais, tenho de dar o exemplo.

A nossa vida não é simples. De facto, não há vidas exemplares e totalmente simples. Há umas mais difíceis, outras menos difíceis. Só temos de aceitar a nossa, com um sorriso, com vontade, com muita garra e trabalhar até à exaustão. 

No meio disto, muitos beijinhos, abraços e carinhos, para ganhar forças e ânimo para tudo, obstáculos, exigências e contratempos que sempre teimam em surgir.



No dia 20 de Novembro, foi o dia do Pijama. 
Dia de lembrar a importância de ter um lar e uma família.
O mais pequenino lá foi de pijaminha para a escola, todo feliz.

O maior já não, mas não posso deixar de pensar, na quantidade de deficientes institucionalizados e rejeitados que não têm uma família. O meu coração esteve com eles. Abracei o meu com mais força ainda e agradeci o facto de ele estar comigo, com saúde e senti-lo tão doce. Uma criança tão cativante. Diz que ama a mãe, todos os dias receia por mim....


Quando desanimo, eu trato de me erguer bem rápido. Tenho uma família que precisa muito de mim.
Sorrio porque sou útil. 
Sorrio porque apesar da deficiência grave do meu filho mais velho acredito que venha a ser bem mais útil para esta sociedade do que eu alguma vez posso ter ambição de ter sido. 
E quem sabe o futuro reserva ao pequeno o mesmo ? Todos falam da importância de deixar um mundo melhor para os nossos filhos....e não esquecer o quanto é importante deixar filhos melhores a este mundo. Tento fazer a minha parte.

Desanimar é um luxo para quem pode.