terça-feira, dezembro 22, 2015

Ser irmão especial

Acredito que o melhor presente que o JP teve em toda a sua vida foi a vinda de um mano.
Foi algo muito desejado e "planeado" pelo nosso JP.  Quase só por ele.
Foi ao ponto de pesquisar na net como se faziam os bebés e explicar-nos pois estava com receio que não o soubéssemos fazer. 
Nós estávamos demasiado concentrados na sua na sua estimulação e criação de condições para ter uma vida normal. 

Em suma, demasiado preenchidos e cansados. Por vezes percebemos que o mimo que dávamos ao nosso especial era tanto que poderíamos repartir por 3 ou 4 filhos,  que todos teriam suficiente. 
O próprio JP saturava-se de tanta atenção.

Hoje ele é  um pré-adolescente seguro que tem uma irmão para a vida. Por vezes ri-se tanto do pequenino, outras vezes, por já ser mais crescido, satura-se (como nós) dos berros e das infantilidades tão típicas destas idades...mas tem imensa paciência. 
Tem o comportamento responsável de um irmão mais velho, sempre a alertar para os perigos. 
Manda-me ir ao médico com ele de imediato, com receio que algo de mau se possa passar com um dos seus bens mais preciosos. Falou com ele desde que ele estava na barriga da mãe...via e revia as ecografias...uma dedicação quase paternal.
Ultimamente muitas mães especiais tiveram mais um ou dois filhos e é tão bom perceber que a vida destas crianças especiais, ficou mais rica e mais cheia de amor.

O Rafael sofre de alguma insegurança.  É um pouco tímido. Não sei se nasceu com ele. 
É um facto que tem a quem sair. Ambos os papás são assim, tranquilos, envergonhados, por isso, acreditamos que nada de especial se passa com ele.
Espero futuramente saiba sempre lidar com a sua condição de irmão "especial", porque ele vai percebendo mas ainda não de forma muito consciente.
Por vezes vamos a locais que só ligam ao JP, ignorando o mais pequenito que se esforça por ser notado.  Outros, a quem lhe mete impressão a "deficiência", quase só lhe ligam ao Rafa....
Não faz muito sentido. Que tal repartir a atenção pelos dois ?
São ambos queridos e igualmente importantes.

Sei que o Rafael será mais sensível e atento aos outros, mas é também mais vulnerável. 
Gostaria que nunca sentisse vergonha ou embaraço mas não sei se conseguirei evitar esses sentimentos que são descritos como típicos de irmãos de meninos com deficiência. 
Tento educá-lo e dar o meu melhor para o Rafa ser forte e confiante. 
Gostaria que fosse, tal como o seu irmão, um miúdo bem resolvido. Acredito que será.
Que sejam os dois.

segunda-feira, dezembro 14, 2015

Pérolas do mais novo



(Rafa)  "-Mãe, porque é que as pessoas se casam?"

(eu) - "porque gostam tanto uma da outra que querem passar o resto da vida juntos, morar juntos, ter filhos....um dia também vais encontrar uma pessoa assim, vais ver !"

(Rafa)- " NÃAAAAAO , mãe !!!! Eu quero viver contigo para sempre, não quero sair daqui de casa nunca "


cara horrorizada do Rafa ....ah, vou ter saudades disto !!!

terça-feira, dezembro 08, 2015

11 FELIZES ANOS

O meu bebé já tem 11 anos. Está um crescido.
Custa a crer. Está um menino muito querido. A cada dia que passa mais revela sobre si próprio, sobre o seu interior e deixa-me muito orgulhosa.
Tivemos um longo caminho. Um caminho árduo, de muitas e intensas emoções. 
Ainda continuamos esse caminho, cheio de obstáculos, mas agora com mais tranquilidade....pelo menos, por enquanto. Um dia de cada vez...sempre.