quarta-feira, janeiro 13, 2016

Reunião do fim do primeiro trimestre 5º ano

Ainda onte tive a reunião do fim do primeiro período do 5º ano do JP.
O JP anda numa fase de muito entusiasmo pela escola, ou melhor dizendo, por algumas disciplinas.
Teve tudo positivo, algumas boas notas. Mas sinto que apesar de estarem criadas as condições para ele estar bem, está ali  o  tal " mundo cão " que todos os adultos conhecem. 
E que o JP também está a começar a conhecer. 
Existem FELIZMENTE também os magníficos professores empenhados mas existem os que o vêem como um estorvo. 
Os que o admiram e os que não o entendem nem nunca terão capacidade de o entender. 
Nem o que sentem e vivenciam os pais de uma criança assim. O que passámos. O dar cada dia com saúde como uma benção. E depois o conseguir fazer concentrar, obedecer, controlar as emoções.
Nem têm ideia do que foi preciso para chegar a este nível. Nem dos sacrifícios que todos os dias fazemos para ele ir à escola, arranjar equipamento, ser bem sucedido, ir acompanhando, e como também nós temos imensas limitações. 

Um dia eu achei que ele era um filtro que fazia conhecer gente boa. 
Agora eu sei que ele é um filtro também de saber quem são os bons professores. 

Parece presunção. Mas ontem percebi que não.
As disciplinas que ele ama, que estuda sem eu pedir, inventa resumos e procura respostas na net, eu sei que tem ali um professor que o motiva. 

Mas ontem na reunião de pais, percebi, que afinal, os que ele gosta, são os que os outros gostam e têm também boas notas. Em conversa com os pais, tirei a radiografia.
No fundo é geral. No fundo ele é só mais um, entre muitos.

Há disciplinas que sem perceber porquê (ou até percebo muito bem)  não teve tão boas notas, não estuda sem ser obrigado. Ou recusa-se a estudar de todo. E lá vai passando entre os pingos da chuva. 
Não gosta. Ou gostou um dia no passado e deixou de gostar. 
E esses professores andam aí, com muita pena minha...

Valha-nos os bons. Já vi alguns pequenos excertos dessas aulas e percebi que o fazem com paixão.  Mantém uma relação próxima e ordeira com os miúdos, mandam os TPCs com o meu conhecimento, alguns dão-se ao trabalho de adaptar algumas fichas, muitas vezes nem sendo necessário.
Estão ali porque gostam e querem. Ensinam e transmitem paixão pela aprendizagem. E eles aprendem felizes sem opressões, sem ameaças.

Enfim, este é o mundo real que ele terá daqui para a frente. O BOM E TAMBÉM O MAU....

2 comentários:

Mocas disse...

Igual com o R. por aqui Grilinha. Há certos professores que fazem dele o que querem (no bom sentido) outros é uma miséria. Coragem! muitos bjs!

Joana disse...

Olá Helena, Quando andava na escola passei por algumas situações menos agradáveis. Duas por parte de professores e várias por parte de colegas. Depois vamos-nos adaptando e ele vai acabar por conseguir isso. Ele vai conseguir! Um beijinho para todos. Ele é forte!