domingo, dezembro 30, 2007

As nossas festas

Este mês de Dezembro foi intenso e muito exigente. Depois de todo o frenesim vieram as desejadas férias e por aqui instalou-se um estado de preguiça avassaladora.

Toda a família foi ao Circo. O JP mais uma vez absorveu tudo com grande atenção e adorou os palhaços.
Na noite da consoada tivemos a visita do Pai Natal que entrou pelo terraço e nos autorizou a abrir as prendas, porque nos portámos bem este ano. Foi uma noite alegre e com muitas crianças.
O JP gostou bastante de ver o Pai Natal e até lhe arrancou um bocadinho da barba. A sua consciência dos acontecimentos é já muito diferente, mas muito engraçada.
As boas prendas, são na sua perspectiva, as que têm maior volume.
Gosta de abrir não só as suas como as dos outros.
O sentimento de posse - vulgo "É meu!" assume proporções assustadoras.
Mas continua simpático e desejoso de agradar como habitualmente.
Aproxima-se agora um ano novo. Não traço metas, nem persigo sonhos como fazia noutros tempos. Apenas desejo para mim e para todos os que amo:
Muita saúde e a graça de Deus.
Seguirei a fórmula dos anos anteriores: Acreditar e viver cada dia tão intensamente quanto possível.
Feliz 2008!

segunda-feira, dezembro 17, 2007

Desporto adaptado no Natal

Um fim de semana cheio de psicomotricidade e principalmente muita brincadeira. O JP andou de terapeuta em terapeuta com enorme à-vontade, cheio de boa-disposição. No fim desta intensa estimulação ficou muito cansadinho...
Gostámos muito desta iniciativa, que se destinava a todos os meninos, com ou sem necessidades especiais.


Os papás aproveitaram para pôr a conversa em dia com a familia Serrano que esteve lá em peso e como habitualmente, cheia de energia ! O meu JP era o mais novinho e foi muito cobiçado !!!
Graças a ti, meu querido JP, conhecemos estas iniciativas tão saudáveis, fisica e psicológicamente!

"Celebrar as diferenças individuais "

sexta-feira, dezembro 14, 2007

Sem sentido

Quando acho que esta correria não faz sentido...
Quando sei que esta vida não é a que quero levar
Quando vejo o tempo passar diante mim
sem o conseguir agarrar...
Sem conseguir estar convosco como gostaria
Só os vossos sorrisos me animam... e me dizem que afinal tudo vale a pena.
Esses momentos são tão pequenos....
Ainda bem que hoje é sexta-feira !

Está feita a "àa-vooo-eee"

Este ano fizemos as decorações muito tarde...mas finalmente já nos estamos a aprontar para o Natal !

Esta é a "Áa-voo-ee" do JP e da familia.
Sinto-me de coração cheio.
O meu pequenino vibra tanto com todas estas coisinhas e nós vibramos com ele !

segunda-feira, dezembro 10, 2007

Sem parar - Parte II

Fim de semana em grande: Espectáculo do Noddy e baptizado do primo do JP.

Assim continuamos cheios de actividades.

No Fim de semana que vem temos desporto e brincadeira adaptados. Já nos inscrevemos aqui.


Sabemos que vamos gostar.



Só vai dar para descansar para o ano !!!

sexta-feira, dezembro 07, 2007

Sem parar - Neuropediatria e Desenvolvimento

Ainda no rescaldo das festas, fomos ouvir contar esta história- Quiquiriqui. O JP é mesmo um miúdo com sentido de humor e também de muito apetite...
Fartou-se de rir. Já conhecia a história e tive receio que se assustasse com a personagem do gato, visto que mostrava um bocadinho de medo em casa, quando lhe contava a história. Afinal não teve medo nenhum e achou uma graça enorme a tudo. No fim, quis repetir a dose de bolo e dividir (que tinha a ver com a moral da história) foi muito difícil para ele....gostámos muito e voltaremos para ver outras histórias.
Na quinta, dia 6 de Dezembro tivemos consulta de desenvolvimento e neuropediatria. Nada de especial a acrescentar. A consulta do desenvolvimento foi abreviada por necessidades fisiológicas do JP. Queríamos mostrar que sabiamos as cores todas, desde o castanho ao violeta, etc...mas a Dra já tinha verificado isso na consulta dos 2 anos e meio e nem insistiu. A consulta foi mesmo bastante simples, limitou-se a fazer perguntas ao JP, verificar que ele respondia que sim e que não, que sabia e entendia o que ela lhe perguntava...
Pronuncia 2 dúzias de palavras diferentes a pedido e uma ou duas interrogações. Sabe muitas mais, mas ainda lhe é dificil articular...
O que mostrou ficou áquem do que ele sabe, mas acho que provavelmente aos 3 anos a nível cognitivo, sem oralidade, talvez só interesse verificar estas coisas bastante simples. Fiquei sem tirar a dúvida, mas o JP só pensava mesmo em fazer algo que ninguém podia fazer por ele....e não tivemos a hipótese de aprofundar muito mais.
Seguiu-se a neuropediatria. Observações silenciosas. Perguntas da minha parte. Nunca sobre prognósticos.
Sem tempo para fazer visitas, vou registando aqui estes pequeninos acontecimentos...

domingo, dezembro 02, 2007

A Festa dos teus 3 anos


Correu tudo bem. Para o ano haverá com certeza mais.
Tirando alguns amiguinhos doentes, a família esteve em força, primos, primas e também amigos. Estiveram lá muitas pessoas realmente importantes, para nós.
A animação foi muito gira. A história da Maria Coração arrancou-te valentes gargalhadas. As pinturas eram tão giras, mas foste o único que teimou em não ser pintado!
Sobre os presentes já mostras clara preferência...e preferes brinquedos, claro (como se tivesses poucos!)
Algumas pessoas muito especiais e com bastante sacrifício vieram mostrar o quanto se importam connosco. E nós sentimo-nos especiais. Muito.
Quem não esteve presente deu-nos um miminho fantástico de ligar a dar os Parabéns.
Quando chegou a hora de soprar as velinhas estavas eufórico. O teu bolo Ruca feito pelas nossas amigas Célia e Ana, estava tão giro que custou desmanchá-lo...
Na 2ª f ainda comemorarás na escolinha com os teus coleguinhas !
Mas de coração cheio, já suspiramos de alívio.

sábado, dezembro 01, 2007

3 Anos de muita emoção

Parabéns meu filho, meu amor e lutador.
A tua alegria ilumina cada dia meu.
As lágrimas vêem-me aos olhos só de pensar nestes lindos 3 aninhos.
Foram 3 anos que nunca mais se repetirão.
Estão para trás de nós e já tenho saudades.
Por outro lado estás cada dia mais encantador.
E só quero aproveitar cada dia teu,intensamente, junto de ti e do teu papá.
Que tenhas um ano inteiro de felicidade e muitas descobertas.
Que te sintas muito querido , amado e desejado, como o és realmente.

Amo-te.

segunda-feira, novembro 26, 2007

Está quase...


A menos de 1 semana do seu terceiro aniversário.
Começamos com os preparativos !
Convites já feitos pelo Papá.
A cada dia a euforia aumenta.
Pela primeira vez com amiguinhos, porque já gosta.
No dia 1 de Dezembro faz 3 anos que nasceu o meu menino ...

quinta-feira, novembro 22, 2007

Esta noite

observava o meu rebento sentado, concentradinho no bacio, apenas com um pequenino apoio na base ...e toda a sua perícia e controlo para não desequilibrar.

O nossa história faz lembrar o conto da Lebre e da Tartaruga. Nós (porque somos uma equipe) somos a Tartaruga. Uma tartaruga extraordinariamente lenta. Mas tenaz e muito motivada. Temos um objectivo concreto e todos os dias batalhamos por ele. Todos os dias queremos andar mais um metrinho. Aquele metrinho que a lebre demora segundos a percorrer, mas que nós temos de nos esforçar muito mais.


Quem está de fora nem percebe, mas olhamos para trás e já lá vai alguma distância. E que bom perceber isso...tudo conseguido com muito empenho, amor e estimulação. Sabemos que o caminho a percorrer é ainda maior, mas não tem qualquer importância. Gostamos de caminhar.

Sigo desde algum tempo mais duas gerações de Pedros. Um com 16, outro com cerca de metade. Este fim de semana, sem grandes planeamentos ou expectativas, conheci o Pedro mais velho . A vida por vezes surpreende-nos de formas que nos fazem novamente sentir crianças de escola. Pela sua forma de estar, pelo seu positivismo e boa disposição, deixei-me render a esta família e em especial ao Pedro. Senti-me infantil, porque vi nesta família os meus "ídolos"...senti experiência e tranquilidade natural. Senti-me entre amigos. E como é isso possível ? Não sei nem quero saber. Aproveitei.


O Pedro é um ser social. E fez-me sentir muito especial. Fiquei fã. Será nosso amigo para a vida...

terça-feira, novembro 20, 2007

Inverno

Gosto muito de algumas coisas dele.
Gosto de ouvir a chuva a cair, enrolada nos lençois, mas detesto ter de sair deles e enfrentar o mau tempo...odeio as filas de trânsito e as botas com lama. Não gosto do céu cinzento. Só do conforto de ficar em casa, de volta dos livros, do computador...ou a lanchar com amigos.

Não gosto dos dias parecerem mais curtos. Tem-se a sensação de que se trabalha mais. Que sobra menos tempo.

Mas no nosso caso tem mesmo sido assim...muito trabalho, pouco tempo até para o JP. Curiosamente não lhe passou ao lado.

A sua "grande independência" social, sofre um recuo e em vez de querer ir sempre a colo alheio e ficar feliz de ir para a escola, prefere agora ficar com a mamã...

Eu acho piada a esta manifestação de saudade, mas fico mais tranquila quando ele me "manda dar uma curva"...pois sei que está bem menos carente.

sexta-feira, novembro 16, 2007

Notas Soltas

  • O JP está ansioso pelo dia dos seus aninhos. Sabe que terá festa. Quando perguntamos quem está quase a fazer anos, solta logo um "Eu !"
  • "E agó?" ( e agora?)...é logo a primeira pergunta no começo de um fim de semana. Acho que ele sonha com estes dois maravilhosos dias (ele e eu !!!)
  • À partida os três anos afiguram-se mais calmos que os 2. O JP está numa fase que adora agradar-me. Está cá um menino do coro !!! Faz as coisas que sabe que me agradarão...mas ainda me desafia (e se calhar isso nunca passará...)
  • Já não liga tanto a volantes. Está mais numa fase musical. Pianos com ritmos, batidas...Música ! Ele quer é fazer música. Acabou uma carreira de piloto, mesmo antes de começar...
  • Deliciosos 3 aninhos...quase!

Este fim de semana começo a fazer algumas comprinhas de Natal e vou encomendar coisas giras daqui.



P.S: Amiga Lobita- Reconheces ? Um beijo enorme e obrigado.



terça-feira, novembro 13, 2007

Uma agenda preenchida

As actividades do JP, enchem o seu dia. Curiosamente ele adora-as.

Muitas vezes o meu coração receoso de mãe temeu que com uma agenda tão preenchida, ele não conseguisse ser criança e estar tranquilo.

Felizmente consegue. É um menino que adora as suas actividades e quando sabe, por exemplo, que não vai à comunicação aumentativa fica muito desapontado. Eu diria que ele até é mais feliz com elas.

Computadores, piscina, cavalos...são palavras mágicas para ele. E assim é tudo bem mais fácil, para todos.
Aos fins de semana temos encontros com amigos e/ou espectáculos infantis.
Sobram apenas algumas horas para descansarmos juntos e fazêmo-lo...e ainda lemos histórias , brincamos e as gargalhadas ecoam na nossa casa...(bem as birras também, mas agora bastante mais controladas)
Agradeço a Deus a boa-disposição que consigo manter e a magia de fazer desaparecer todas as preocupações quando estou junto do JP.

sexta-feira, novembro 09, 2007

São Martinho !

Hoje na escola do JP houve almoço com acompanhamento de castanhas .
Sala decorada de castanho.
E Assador de castanhas para o fim do dia...


Mais um fim de semana à porta.
Mais aniversários,
mais festas...
Parece-me vir a ser um bom fim de semana.
Carregado de castanhas e festinhas...

terça-feira, novembro 06, 2007

A força que aprendemos a ter

Actualmente sei que quando tenho um dia mau...é só aquele dia. Já me conheço o suficiente para saber que a minha capacidade de dar a volta e de encaixe, está muito treinada...para aguentar os golpes. Mas eles ainda aparecem por vezes.
Ontem tive reunião na Calouste Gulbenkian, entre a equipa de comunicação aumentativa, a terapeuta da fala e a professora da intervenção precoce do JP. Sempre me revoltei com gente que nem está disposta a tentar. Como se pode desistir antes mesmo de tentar?
O JP quando foi avaliado na Calouste Gulbenkian aos 17 meses, disseram-me que ele não era rápido suficiente para usar os braços e mãos, mas eu disse que talvez com o treino melhorasse...Pois agora estão inclinadas para o uso de uma grelha de teclado, onde as mãos são ainda mais solicitadas.
Só porque o meu menino chorou numa consulta inteira, quando tinha 1 mês de idade, já estavam preocupados com o seu potencial cognitivo. Felizmente essa pessoa já percebeu que estava enganada (embora que certezas só quando entrar para a escola...)
Mas continua a afectar-me esta forma de encarar as coisas. Felizmente não é a minha.

Tenho a sorte de ter um marido excepcional que pensa exactamente como eu. Que me dá a maior força. Tenho a sorte de ter amigos. Que me dão tanta força ! Tenho a sorte de ter um filho maravilhoso, que com todos os seus problemas, foi a melhor coisa que aconteceu na vida desta família.

Felizmente hoje é outro dia e "a sova" não deixou sequelas...só vontade de ser ainda mais teimosa.

segunda-feira, novembro 05, 2007

A crescer

Fim de semana deliciosamente descontraído. No feriado, almoço e passeio no Parque das Nações. Um dia lindo, solarengo e ainda usando roupinhas de verão...pouco típico dos Novembros.

No fim de semana, as actividades normais...cavalos, piscina, histórias lidas pela mãe e muita brincadeira a três.
O JP mostra ter um sentido de humor contagiante. Gosta imenso de ver gente aos "socos" (dos de brincadeira, julgo eu), por vezes também troca os nomes dos animais só para me ver "baralhada"...e começa a rir que nem um perdido...

Esta semana ficaremos sem a nossa querida fisioterapeuta que irá ficar de baixa por 2 meses. Vamos arranjar substituta aqui perto de casa, para não ficar esse tempo à boa-vida, mas as burocracias são sempre tantas , que receio que a "nossa" volte e ainda estaremos à procura!

O meu JP está numa fase "doce" como nunca. Faz festinhas à mãe, lança olhares de paixão. Gosta de ter alguns momentos só seus. Na hora da história, pai...nem vê-lo !
Meninos a meninas candidatas a serem seus amigos têm o denominador comum: vivos , muito alegres e traquinas.
Se roçar ligeiramente a hiperactividade, então têm no JP um fã !

O JP reflecte sobre as opções....e já colabora mesmo no que não lhe apetece muito.

Acho que está a ficar um crescido.

segunda-feira, outubro 29, 2007

Porque temos filhos?

Lembro-me de ser criança e de ouvir o meu pai comentar o quanto a vida era difícil. Eu ria-me e insistia com o meu pai que não era, não... Era até bem fácil ! Claro que sim...e assim deve ser sempre nos olhos e no coração de uma criança.
A vida começou por ser mais exigente a partir do dia em que acabei o curso e comecei a trabalhar. Depois, mais difícil ainda, quando saí de casa para me casar. Complicou muito mais quando engravidei, mas depois de ter nascido o JP senti toda uma responsabilidade acrescida.
Nem me refiro agora a nada relacionada com os seus particulares problemas.

Refiro-me apenas e só a ser mãe. Ou ser pai.
Se ser um pouco irresponsável ainda me era permitido, agora não me ocorre.
Dar condições, comida, escola, roupa e casa arrumada. Cumprir horários. Pensar no bem estar no nosso piolhinho. Abdiquei de parte de uma personalidade mais rebelde. Poderei a voltar a tê-la se me sair o Euro-milhões, mas até lá, só quero garantir que nada falta ao meu filho. Sou agora um pouco mais prisioneira da sociedade. Sou uma abelhinha, que só quer fazer o seu mel.
E dou comigo a questionar-me porque gostamos nós de ter filhos ? Porque equacionamos ter ainda mais filhos e complicar tudo ainda mais? Sem dúvida que vale mesmo a pena para se hipotecar tanto da nossa individualidade e da nossa vida.

O prazer de gerar e educar um ser é uma forma de viver uma vida cheia de afectos e emoções. Os filhos são as nossas maiores fontes de alegrias, de preocupações, de tristezas e de vontade de viver. E depois de um dia stressante e esgotante, quem não se desarma com "aquele sorriso" ao nos vislumbrar atrás da porta da salinha ? Passou tudo !
O meu filho nasceu e mudou o nosso mundo. Ele terá sempre um pouco dos dois, mãe e pai, que tanto o amam. É o espelho de um grande amor.

Nunca gostará de mim metade do que gosto dele, certamente, mas este sentimento é muito menos egoísta que qualquer outro que já tenha sentido.
Havendo saúde e amor, tudo o resto compõe-se...com calma, por mais difícil que a vida seja...É maravilhosa com a ajuda dos nossos filhos.
P.S: A propósito de um comentário: São reflexões minhas naqueles momentos de pensamentos profundos.
Mas o estado de espirito com que o escrevi é óptimo e nem um pouco triste ! Muito pelo contrário...
Grande sorte morar nesta grande terra !

quinta-feira, outubro 25, 2007

Uma bela Prenda...

A directora do colégio não sabia que eu ontem fazia aninhos, mas parece que adivinhou...

Fui buscar o JP cedinho, para preparamos o Jantarinho para a família, avó, etc...e eis que fui chamada.
"Ui, que vem agora aí ? - Pensei eu... problemas... querem ver?"
Afinal era só para me dizer que o JP é um menino muito inteligente e que ele mostra isso diariamente. E também para nos dizer que a direcção do colégio nos apoia MUITO, MUITO, MUITO.

O JP continua egocêntrico, tanto que refere-se a si próprio com "Eu".

Aliás já o diz há algum tempo , mas esta mãe distraída precisou que as educadoras confirmassem...ehehe..

Distingue entre vários objectos o que falta, o que está mais, o que não pertence ali.
Sabe onde está um objecto de determinada cor. Sabe que 2 objectos juntos são 2, três são 3...etc.
Começa a saber os contrários: curto/ comprido, alto/ baixo e até mão esquerda e mão direita, jogos com metades e relativamente difíceis...

Parte das suas aquisições são só expectáveis pelos 4 anos.

Fiquei como imaginam...feliz e bastante tranquila!
P.S: Ana nascerprematuro- Reconheces as calcinhas de cavaleiro ????

quarta-feira, outubro 24, 2007

34

Nasci há 34 anos pelas 2 da manhã, no Hospital Particular de Lisboa. Apesar de 3ª filha, foi um parto difícil de 24 horas. Comecei logo por ser rebelde...e assim continuei.
Estamos "cotas" quando deixamos de ficar entusiasmados para festejar os nossos anos.
Este ano, penso nos anos do papá e do filho. Esses sim. Têm de ser especiais. Eu pelo contrário, terei um dia profissional cansativo, daqueles com reuniões marcadas desde manhã até ao fim da tarde.
O que gosto mesmo neste dia é de receber chamadas de algumas pessoas com quem já não falo há tempos. É sempre uma oportunidade de receber um miminho e de manter o contacto.
Também me deixa feliz que ninguém esteja doente (o JP apareceu com Varicela há 2 anos, justamente neste dia) e possa desfrutar de algum tempo junto de quem mais amo.
Teremos então um serão tranquilo, jantar só com a família mais próxima, que na 5ª também se trabalha.
Bolinho simples com uma velinha e cantamos os Parabéns, só porque o JP delira com estas festividades.
Pode ser que para o ano se comemore com festa rija e muitos amigos. Este ano apetece-me muita tranquilidade.
E como hoje mando eu...

segunda-feira, outubro 22, 2007

Encontro " PC ao longo da vida"

Sábado lá fui ao encontro no Centro de Paralisia Cerebral Calouste Gulbenkian e surpreendeu-me a sensação com que saí de lá. Aumentou exponencialmente a minha segurança relativamente ao caminho escolhido e isso deu-me um bem-estar muito grande.
Qualquer mãe de um menino com PC, pergunta muitas vezes a si própria, perante todo o cenário de desenvolvimento motor em "câmara lenta", se o caminho que segue será o caminho mais rápido.

Eu não sou excepção. Penso nisso muitas vezes, mas se grande parte das vezes penso que é este o caminho , noutras tenho a dúvida se poderei fazer mais.

Existe agora a moda de ir a Cuba, e há ainda muitos outros tratamentos intensivos com resultados animadores. Claro que os tenho ponderado. Pois para mim é diferente que ele adquira a marcha com 5 ou com 7...afinal são mais 2 anos de experiências motoras !

Mas essa é uma arma que tem de ser usada com muita, mas muita segurança e precauções, porque também é extremamente perigosa...

Agora penso que depressa e bem...não há quem. Por isso ter calma e persistência será o mote, como tem sido.

O trabalho que deve ser feito com o JP é o que temos feito. E ele está a responder em termos comportamentais lindamente e cada vez melhor. Se é preciso cadeira de rodas para o seu bem-estar psicológico, por mais que me assuste (Céus...e como assusta!), vai tê-la tão rápido quanto for possível.

A equipa de técnicos que o segue é fantástica, sem excepção, mas devia estar a ser coordenada por um médico interessado e competente e não por mim e pela boa-vontade e interesse dos técnicos. Mas não mudarei por enquanto, porque a empatia gerada entre todos estes elementos é um bem-precioso, principalmente para o JP.

Continua a luta...com muita alegria e agora com maior tranquilidade.

sexta-feira, outubro 19, 2007

Contente

Sinto que tenho conseguido o maior dos meus objectivos: Fazer o meu filho muito feliz.

Apesar da sua personalidade teimosa e refilona, ele tem uma capacidade enorme de se afeiçoar a novas pessoas, de seduzir amigos e principalmente amigas...(é impressão minha ou eles começam a "flirtar" bem mais cedo que eu poderia alguma vez imaginar ?). E tudo isto porque porque ele usa e abusa do seu sorriso, das suas expressões faciais ternurentas e não hesita em deliciar-se com uma menina bonita, derretendo-se com todos os seus gestos, metendo os dedos nos seus cabelos, mostrando claramente que está deliciado...

Tem resultado lindamente a seu favor e sinto que o JP faz amigos muito mais facilmente do que eu alguma vez eu fiz...

Está numa fase que em todo o lado encontra razões para se desmanchar à gargalhada. Agora até na fisioterapia acontece, que nada tem de engraçado!

Filho...que mantenhas sempre esse sorriso ! Não o percas nunca porque ele é uma delicia e o sol dos meus dias...

quarta-feira, outubro 17, 2007

Novidades do Início da semana

A semana começou com a apresentação do projecto educativo para a sala do meu JP. A arte Musical. Fiquei radiante visto que a música está presente em força na nossa casa e o JP adora provavelmente desde os tempos que estava naquele Jacuzzi chamado "barriga da mãe". Os pais também contribuem e intervêem nestes projectos escolares. Vai ser fantástico.

Reuni também com as terapeutas que acompanham o JP na Calouste Gulbenkian (Comunicação Aumentativa) e discutimos estratégias para o futuro. Foi muito importante. Orientaram-me e resolvi investigar outros caminhos possíveis. Odeio mudanças, mas às vezes elas são necessárias, porque podem ser para melhor.

Disseram-me que agora ele verbaliza muito mais e falaram-me também em arranjar não um carrinho de bebé apropriado para PC, mas sim uma cadeira onde o JP possa ter autonomia. Sempre tive medo de ver o JP numa cadeira de rodas e ainda tenho, apesar de saber que essa hipótese poderá ser um dos cenários possíveis...

Amedronta-me mesmo muito.

Mas elas fizeram-me ver que do ponto de vista psicológico seria um passo muito importante para ele, sem prejuízo da aquisição da marcha em qualquer altura. Tenho a certeza que têm razão. E vou pensar nisso. Sei que vou decidir seguir os conselhos, mas primeiro tenho de digerir...

Encontrei lá informação sobre Encontros de Sábado e apesar de fora da data aceitaram a minha inscrição. Acho de grande utilidade a troca de informações entre pais/ profissionais e até mesmo de pessoas com paralisia cerebral. Tenho a certeza que aprenderei algo que me possa guiar nesta caminhada. Da equipa organizadora fazem parte psicólogos, médicos e mesmo pais. Embora que já conheça alguma coisa deste caminho e que já não me sinta tão ansiosa , é sempre uma mais valia estar o mais informada possível.

segunda-feira, outubro 15, 2007

Os meus medos

Foi um fim de semana como muitos. Atarefado e repleto de momentos felizes.

Quando passeava Domingo à tarde com o JP e o Grilinho-Pai, pensava como o tempo voou.
O JP cabia no meu bracinho e era tão carequinha. Hoje, está um menino esguio e com cabelo cheio de personalidade (um bocado indomável ).

Quanto caminho percorrido. Tanta mudança. Mudança essa que nos trouxe um enriquecimento pessoal.

Já tive tanto medo. Lembro-me da primeira conversa com ela em que me disse: "Fica tranquila. Isto é para a vida toda " (referia-se ao facto dos nossos filhos terem PC) e na altura eu pensei "pois, isso é o que mais me assusta..."
Custava-me a compreender a sua tranquilidade. A minha amiga já me ganhava em 2 anos de vivência e tinha razão. Não há porque estar com medo.
A vida vive por si só e transforma-se exactamente no que queremos que ela seja. Se queremos um drama, é drama que teremos. Se queremos uma história bonita e positiva, mesmo que com muitas contrariedades...é o que ganhamos.

P.S: Dois grandes beijos para as minhas amigas (M. Poeiras e Célia) que irão aparecer no programa Praça da Alegria (TVI) a partir das 11 h de 2ª f, 15-10-2007 sob o tema -Mulheres que deram a volta por cima. Babada por vocês !

quinta-feira, outubro 11, 2007

Uma agenda muito preenchida

O JP está a caminho dos três anos e continua sedento de descobrir o mundo...e eu cheia de vontade de experimentar com ele novas emoções.
Há tanto para sentir, descobrir e experimentar !

Inventamos muitas actividades para fazer em família. Idas ao parque, à quinta, ao zoo, ao oceanário ou simplesmente dar de comida aos patinhos.

Um destes Sábados fizemos o dia dos transportes públicos.

Como muitos meninos nascidos neste século, o JP não costuma andar de transportes. Naquele dia acordamos cedinho, apanhamos o barco e o eléctrico e fomos passear à baixa de Lisboa. Foi lindo ver o seu ar de felicidade. Voltámos de autocarro. Ficou o comboio e o Metro para experimentar, mas fica para uma próxima vez ! Tenho de o levar ao trem da praia, quero ir à bebeteca, ao Portugal dos Pequeninos, ao Planetário e ainda voltar ao teatro, ao circo e ao cinema. Mas nos próximos fins de semana apenas se avizinham aniversários (muitos!), inclusive o dele a 1 de Dezembro. O mais engraçado é que o convidado é sempre o JP. Ele é que é o concorrido!

Por isso, os próximos tempos serão mais de convívio e confraternização do que de aventura.

Estar com os amigos também é muito bom. E é bom ver estes convívios através dos seus expectantes olhos...

segunda-feira, outubro 08, 2007

Ser mãe não é fácil

Um dia li um Post - SER MÃE É FÁCIL que achei que devia ser muito verdadeiro. Deve ser verdade, mas não posso comprová-lo.

Eu posso dizer muitas coisas: que o meu filho me faz muito feliz, que enche o meu coração...que é o sol dos meus dias...mas não posso dizer que ser mãe é fácil.

Não, infelizmente não tem sido nada fácil. Tem sido maravilhoso, mas fácil não.

Tudo tem de ser conquistado. Temos de lutar pelo nosso lugar. É um desafio e eu gosto deles...mas às vezes também gosto apenas de viver a nossa vida sem batalhas...

Um dia descontraído de cada vez.

É uma vida como qualquer outra. Mas fácil não.

E por vezes acho que não haverá maneira de ser mais complicado, porque já não é fácil.
E que teremos todos do nosso lado...porque não é fácil.
Mas sei que não será assim. Porque o mundo não é assim.

E aqui estarei eu. Sempre pronta a lutar.

sábado, outubro 06, 2007

Apoio Educativo

Na passada 5ª feira tive uma reunião com a professora do ensino especial destacada e a directora do colégio. Definiram-se alguns objectivos para este ano, porém o plano de intervenção não pode ainda ser preenchido por ter sido alterado o Dec. Lei que rege o ensino especial. A técnica é a mesma do ano passado, que o meu JP tão bem conhece e adora.
Falamos mais de uma hora, obviamente sobre o JP. Os seus objectivos são neste momento de promover o mais possível a sua autonomia na sala e no recreio.

Pediram-me que leve o andarilho para a escola. Vou pensar em fazê-lo, mas o JP ainda precisa de aprender a usá-lo mais correctamente. Para além disso a educadora e a auxiliar vão familiarizar-se com a linguagem SPC. Símbolos que o JP utiliza (e passará a utilizar mais agora) para se expressar.

O horário das intervenções serão junto da hora do almoço, para possibilitar a promoção da alimentação autonomamente.
Durante a conversa, estive mais apagada do que o habitual. Tenho muita tendência para pensar em tudo o que é positivo no JP e fiquei muito apreensiva como esta situação de dependência possa estar a afectá-lo psicologicamente. Mas se ele está sempre feliz, julgo que consegue "ir encaixando"...Teremos é de trabalhar para sermos autónomos, tão depressa quanto possível.

Trocámos muitas impressões sobre o JP. É bem conhecido pela directora. Sabem muito bem do que gosta e como ele é.
Adora as aulas de música.
A sua habitual simpatia e boa-disposição também foi elogiada.
Perguntei à directora do colégio se achava que a educadora estava à-vontade com todos os procedimentos. Sempre me deram a ideia que sim, mas quis confirmar. Ela respondeu-me que a educadora estava muito motivada e tudo estava a correr lindamente.

E eu faço votos para que façam um bom trabalho durante este ano lectivo.
PS: Parabéns a esta família...a minha ex-colega da faculdade que reencontrei anos mais tarde justamente por causa da PC dos nossos filhos.

segunda-feira, outubro 01, 2007

Mimos

é o que o JP cada vez mais reflete no seu comportamento...


Sim, acaba por ter MUITOS: meus, do pai, familia, dos nossos amigos, na escola...


E como me calhou um menino bastante narizinho empinado e teimoso, dou-lhe mimos sim (é irresistível), mas tenho de dosear com "o não fazer as vontades todas" e ensinar-lhe também a lidar com frustrações. Tem que assimilar melhor o saber esperar...o respeitar a vontade dos outros.


Gostaria de conseguir, de forma suave e divertida, proporcionar-lhe uma infância feliz, mas não de super-protecção, de forma a que ele cresça de forma saudável . Ensinar-lhe como é a vida; aprender também a lidar com a frustração e com os momentos menos felizes.
Um dia mais tarde gostaria de sentir que consegui criar um menino seguro, confiante e bem-intencionado. Que a sua confiança possa ser suficiente para que viva com um sorriso no rosto e que procure sempre resolver os seus problemas sem nunca perder a esperança.
A tarefa não é tão fácil quanto parece ...

P.S: Já deu para perceber que "estamos" novamente a usar e abusar das birras ?



Dica da Cristina: Obrigado...vi agora mesmo (Livro de reclamações- Eduardo Sá) e achei fantástico ! É mesmo como eu penso. Mas o espertalhão do JP anda em fase de "testes", eheh !!! Obrigada, amiga. Dica 5 estrelas.

quinta-feira, setembro 27, 2007

Andar a cavalo

Os cavalos sempre me fascinaram. Mas nas poucas oportunidades que tive para experimentar, hesitei...e acabei por nunca experimentar.


O JP começou a andar a cavalo com 13 meses e inicialmente fazia só 15 minutos. A terapeuta dizia que mesmo assim era uma "sova", pois o esforço exigido era bem grande. No inicio ele tinha medo do animal. Aos poucos passou a querer dar festas e despedir-se da sua amiguinha equina. Depois passou a ficar eufórico cada vez que via a figura de um cavalo, ou se falava em cavalos !


No outro dia fiz mesmo por experimentar. Morria de curiosidade de saber o que sentia o JP lá no topo e subi em cima da "Alentejana" . Passou-se qualquer coisa de mágico. Lá em cima senti-me muito especial e poderosa. E senti uma imensa ternura por aquela bichinha que me carregava. Era como se fossemos uma equipa. Senti o balanço...o relaxamento e depois acabou muito depressa ! Ainda equacionei se podia fazer umas aulinhas, mas acabei por desistir ! Achei um maravilhoso hobby a que facilmente me viciaria...


Digamos que há terapias mesmo boas !

terça-feira, setembro 25, 2007

A Felicidade

Qualquer mãe ou qualquer pai sabe que ter um filho com quaisquer que sejam os problemas, desde que sejam graves, não é o máximo ! Inicialmente então, é uma dor indescritível ! Mas acredito que muitas pessoas, embora que receosas com o futuro dos seus filhos, aprendem a desfrutar da vida de uma maneira mais gostosa.
Passam elas próprias a sentirem-se diferentes...e a defender a diferença e a conhecer uma realidade muito bonita.

Confesso que sempre pertenci 100 % aos estereótipos da felicidade, mas só sei que nunca fui tão feliz como passei a ser depois de ter nascido o JP, com todos os seus problemas.

Daí, que apesar de me sentir diferente, de sentir que não pertenço ao "molho" e ao estereótipo da felicidade, sinto muito orgulho em ser mãe de um menino muito especial.

Quem disse que o estereótipo da felicidade era uma família funcional, um bom carro, uma bela casinha e um par de filhos super-perfeitinhos e bem comportados ? Felizmente, a felicidade não é nada disso. A felicidade é muito mais que isso. É saber e ter quem amar. É apreciar pequenos momentos...é ter objectivos na vida. É sentirmo-nos realmente importantes para alguém...

A felicidade pode ser muita coisa...de muita maneira. Bom, é ir encontrando-a...no dia-a-dia.

Nota : Reflexão sobre este post do Pai do Pedro

domingo, setembro 23, 2007

Irresistível !

Sempre achei que não registaria aqui os primeiros usos do penico...mas é irresistível.
Sim, o JP já usa e ele é que o pede...tão naturalmente...sem insistências. Bastou ensinar.

Mas ainda falta o xixi...

A frase mais ouvida

"Oh matulão ! Sai do colinho da tua mãe e vai para o chão..."

Não levo nada a mal. Quem o diz não percebe o que se passa. E na verdade o JP está mesmo muito crescido e dão-lhe muito mais idade do que realmente tem...

Encontros

Esta manhã conheci por mero acaso uma daquelas mães que têm sido incansáveis. Inúmeros problemas com a sua menina. Fantasmas verdadeiramente assombrosos.

Muito trabalho...mas resultados tão encorajadores.

Ela meteu conversa comigo e com o meu JP. Eu adorei conversar.

Há vidas difíceis. Muito mais que a nossa. E há pessoas que parecem ter sido escolhidas a dedo. As contrariedades da vida não conseguiram tirar a luz do seu rosto e muito menos a expressão sorridente e optimista. Espero voltar a vê-las...

segunda-feira, setembro 17, 2007

Como mudam as nossas atitudes

Quando o JP nasceu, desejava que o tempo passasse depressa e me respondesse a todas as dúvidas. Tentei aproveitar o seu maravilhoso tempo de recém-nascido, mas havia sempre uma ansiedade como pano de fundo. Queria que o tempo passasse mais depressa.
Hoje, com algumas das perguntas respondidas, desejo que o tempo passe muito devagar. Que ele possa ser criança por muito tempo. Pois ele é uma criança muito feliz. E eu sou muito feliz com a criança que ele é.

Viver devagar. Saborear cada minuto. Deliciar-me muito tempo com esta carinha doce e sorridente. Apetecia-me parar o relógio do tempo...


terça-feira, setembro 11, 2007

Menino

Estás um menino. Dizem-me que te portas muito bem na escola. Que comes lindamente...
Dormes (finalmente) bem a sesta.

Adoras as tuas actividades...ficas triste no fim de cada uma delas. Choras no fim da terapia da fala, no fim da hipoterapia, no fim da Natação...e até no fim da Fisioterapia.
Adoras que te pergunte o nome das coisas e ficas todo contente quando fico feliz pelo teu esforço...

Para aguentar tudo isto, faço para que te deites cedo.

Um dia a dia, exigente, mas delicioso.


quinta-feira, setembro 06, 2007

Desafio dos 7- Sete coisas sobre mim

Desafio dos 7
Desafiada por esta menina e para que me conheçam melhor , seguem 7 coisas sobre mim:



  1. Minhas origens: Nasci 6 meses antes da revolução dos cravos. Última e não-esperada filha. A minha mãe já tinha 32 anos quando vim ao mundo. Só mais um do que a idade em que tive o JP. Nunca me apercebi o quanto a vida era difícil naquela altura. Não vivíamos com grandes dificuldades, mas sendo uma familia de três filhos, tive sorte da minha mãe ser gestora. Dizem que fui muito mimada. Eu nunca achei...acho que era e ainda sou carente.

  2. O que me entristece: Ter perdido a minha mãe com 17 anos, altura em que ainda não sabia acarinhá-la como ela merecia. Ela não estar cá para me dar o conforto único e especial de mãe.

  3. Como me defino: Bem disposta, tímida, teimosa...empenhada e interessada. Demasiado emotiva para o que gostaria de ser. Demasiado exigente comigo própria. Insegura, por vezes.

  4. O que mais valorizo: A família e os amigos.

  5. O meu maior vício: Trabalho...e Férias. Refugio-me nos inúmeros problemas do meu dia-a-dia, para não pensar nos meus próprios. Esqueço tudo isso, para passar umas belas férias com a familia. Junto deles, não há problemas alguns...

  6. O que mais desejo: Criar um filho que seja uma boa pessoa. Que ele possa se sentir realizado e que seja autónomo. Criar algo que seja meu. Chegar à hora do Adeus e pensar que foi uma boa vida.

  7. A minha religião: Entre o zangada com Deus e agradecida...eu acredito Nele. E sei que ele olhará por nós.

7.1 Pensando no meu marido, tenho de deixar aqui uma nota especial: Tenho o péssimo e irritante hábito de deixar as luzes acesas pela casa toda...estou a tentar emendar isso.

terça-feira, setembro 04, 2007

Regresso à escola

Ontem, foi um dia em cheio. Regresso ao trabalho dos papás e para ti, regresso à escolinha. De manhã não querias ir. À tardinha não querias vir para casa. A verdade é que sei que todas aquelas actividades divertem-te muito e como és uma criança interessada e bastante social, estás muito feliz lá.

Começaste logo de manhã com a Terapia da fala. E tanto quanto me disseram, gostaste tanto que fizeste uma birra quando acabou. E a terapeuta acabou por me dizer que desde a avaliação feita em Junho, nota que já evoluíste. Dizes o nome de mais coisinhas...já o fazes melhor.

Continuas a gostar de brincar com carrinhos e volantes...continuas a comer feito gente grande e a crescer a olhos vistos.
Passas por fases tão diferentes, meu filho. Sempre foste bom para dormir. Práticamente desde que nasceste, que me deste noitinhas tranquilas. Adormecias com facilidade e sozinho, agarradinho ao teu amiguinho toda a noite...Nem a tala (a que já te habituaste há muito) te perturbou realmente nessas horinhas sagradas. Resmungavas quando te ia acordar. Agora a tua grande independência diurna relativa aos papás contrasta com a tua vontade nocturna de vir para a nossa cama. Estás numa fase que é só ma-mã...ma-mã....desesperado por ter a minha companhia.
O teu sorriso é tão ternurento...as tuas festinhas são caricias...Difícil é contrariar-te. Como todas as fases, espero com paciência que esta passe.

sexta-feira, agosto 31, 2007

Como um peixinho

O JP percorre os primeiros passos para a independência na água...largamo-lo e ele nada ! Debaixo de água...sem pressas de chegar à mãe. A mãe é que tem pressa de o apanhar...

O mais engraçado é que faz tudo isto sem medos...
E difícil é controlar as gargalhadas com o suster da respiração.

E quem o tira de lá?

PS: Um grande obrigado à R- terapeuta do JP. A sua
dedicação é tão grande que nem aproveitou as férias até ao fim...
-Sem si, seria muito mais difícil. Esta pequena vitória é vossa (sua e do JP).
Adenda às 15.30 h :Soube agora que nasceu ontem o meu sobrinho Francisco. Chegou para ser muito feliz e brincar com o seu Maninho de 21 mesinhos. Chegou para dar uma prendinha antecipada aos seus papás.
Benvindo querido.

terça-feira, agosto 28, 2007

Um ser social

Conclusões precipitadas de ter comparado o JP ao pai e à mãe ? Ainda estamos a descobrir a personalidade do JP. Se inicialmente parece um tímido, depois de alguém lhe dar confiança e miminhos, ele tenta permanentemente conquistar a sua atenção e companhia. Se a confiança cresce, repudia a companhia do papá e da mamã. Quer "ficar" com o seu novo amigo/a.
A tia do JP era assim...tudo servia para ir para a casa da vizinha.
Os papás eram os dois mais recatados...eram...e ainda são.

Os amiguinhos da escola também já há tempos que são fixos. O amigo da cabeça amarela encontrou-nos no shopping e foi vê-los aos dois, felizes e contentes de estarem juntos. O amigo J. - a cabecinha amarela - não gosta de sólidos. O JP não é simpatizante de sopas e menos ainda de ervilhas ...mas comeu tudo o que o amigo lhe deu (à boca, eheh) !
Gosto de interpretar esta independência e esta vontade de se "safar" dos pais, como algo bom...ele bem sabe que o nosso amor está sempre ali para ele. Então, seguro de si próprio, quando pode, gosta de conviver com outras pessoas...


Bem, ou é isso..ou sou uma "seca" de mãe !
P.S: Agora deu mesmo para rejeitar o Noddy...já via o Ruca, mas agora só o quer mesmo a ele. Será que o Noddy são desenhos animados de bebé e eu não sabia?

Consulta de Fisiatria e Terapeuta da fala

Única semana do ano em que o colégio encerra. Férias forçadas, mas bem vindas.
Hoje o dia foi só para o J.P. .Consulta de fisiatria de manhã e últimos acertos com a terapeuta da fala.
Da consulta apenas uma recomendação com o pé esquerdo. Pela primeira vez há uma tendência para o pôr ( o esquerdo) em bicos ...e não havia. Agora vamos fazer exercícios muito específicos para evitar o botox (sim...o mesmo das rugas, também serve para a reabilitação).

Depois, encontro com a nova terapeuta. Iniciará para a semana e entregou-nos o relatório da avaliação feita aos 30 meses.

Ao nível da comunicação simbólica Formal (linguagem) : O JP identifica imagens pela sua acção, função, realiza emparceiramento de imagens iguais e o emparceiramento de imagens que se completam.

Ao nível da Comunicação abstracta: Vocaliza e produz palavras e produz gestos isolados, embora desorganizados (ex: Adeus).
O JP apresenta um bom nível comunicacional, tendo em conta as suas limitações físicas. É uma criança simpática, atenta e com um nível de cognição e linguagem adequado à idade. A maior dificuldade reside na articulação das palavras.
Na articulação sei que há muuuuuito trabalhito a fazer. E é aí que mais contamos com ela. Mas tenho uma sensação boa, de que já não partimos do zero.

sexta-feira, agosto 24, 2007

Que miminho maravilhoso !

Obrigado por isto...Fizeram-me sentir realmente especial !
P.S: Não, não fico convencida. Pelo contrário, ultimamente tenho me sentido insegura...nestes 2 anos e meio poderia estar a verificar mais progressos do que os que vejo a nível motor...e às vezes questiono-me se fiz tudo bem. Julgo que sim, e bem sei que o desenvolvimento dá-se por saltos. Só que há muito tempo que não há saltinhos por aqui...daí a insegurança.

quarta-feira, agosto 22, 2007

A entrada no Clube dos Crescidos (o mais fixe)

Eu mãe me confesso...

Não sei se os meus métodos de educação são os melhores. Mas vão funcionando.

Faço uma certa chantagem...pois, faço. Sei que o JP não aprecia sopa, mas adora o chocolatinho (sobremesa láctea ) da Nesquik. Então se come a sopa toda...tem direito a comer chocolatinho. É que os crescidos podem comer chocolate. Comer chocolate não é coisa de bebé.

O JP adora passear e enfada-se se ficar no restaurante a esperar que os papás acabem. Pois os crescidos sabem esperar e depois têm direito a andar naqueles carrinhos e motas que balançam e nos sacam 1 Euro num piscar de olhos...Acreditem que o JP também passa a saber esperar...

E assim para que peça as coisas sem choramingar...para que faça as necessidades no bacio...para que se porte melhor e empreste os seus brinquedos.

Ele quer entrar no mundo dos crescidos que é bem mais fixe. E eu quero que ele se deixe de comportar como um bebé. Então negociamos...e é tão bom negociar com ele !

segunda-feira, agosto 20, 2007

Exigências

Alguns comentários feitos no Post anterior relembraram-me algo que me costuma deixar pensativa. Efectivamente, os pais da actualidade já não querem filhos iguais. Querem filhos diferentes sim, mas para melhor (isso inclui muitos parâmetros e frequentemente um excelente desempenho escolar...) É um mundo muito mais difícil este...

Como pais devemos realmente preparar os nossos filhos para este mundo bastante exigente e devemos exigir empenho.
Na minha modesta opinião, empenho sim, mas não competitividade. Não há nada como uma infância descontraída, sem pressões, como foi a minha.


A minha primeira classe correu muito mal. Se fosse hoje ter-me-iam diagnosticado Deficit de Atenção e ter-me-iam colocado um "rótulo qualquer" que me encheria de complexos e dado aos meus pais centenas de conselhos. Mas afinal, sem grandes exigências dos meus pais, acabou por dar tudo certo. Segui o percurso dos meus manos muito bem sucedidos escolarmente...Fui sempre razoavelmente boa aluna e dedicada (às vezes até um pouco "croma", eheh).

Como se delineará este contorno entre exigência necessária e o amor incondicional de que é feita a auto-estima? Gostaria de me sentir mais segura neste campo... mas acho que só terei de actuar como todos os outros pais. Como os meus pais. Conhecer as potencialidades do meu menino e exigir, q.b.

Sei que não devo esperar pouco empenho, só porque ele tem diferenças. No que tiver capacitado, o JP deve e tem de colaborar. Para mim, não me interessa nem um bocadinho que seja o melhor. Quero que cumpra os mínimos. Basta. De resto, o que mais desejo é que ele seja genuinamente uma boa pessoa e que saiba fazer amigos.

Sei que ele já tem algumas percepções sobre o que se passa. Parece-me aceitar muito bem, mas nem sempre. Irrita-se quando quer algo e não chega lá sozinho. Mas só vejo frustração...não vejo tristeza. Tento que se domine, que se acalme. Que volte a tentar...mas não é tarefa fácil.

Por outro lado julga-se esperto (talvez porque nós não esperando grandes espertezas, ficamos boquiabertos com o que ele já mostra saber...) e por isso adora jogar a tudo o que possa evidenciar as capacidades dele. É vê-lo à gargalhada deliciado enquanto "mostra o que sabe"...todo vaidoso.

Estamos numa fase que temos muitas birras que se controlam com conversas. Temos momentos de ternura e começamos a ter um grande companheiro de galhofa.

Os 32 meses são deliciosamente vivos...uma fase de muita descoberta, mas já muita percepção do mundo ao seu redor. Sinto que o JP será nosso companheiro e amigo, para toda a vida.
P.S: Há toda a legitimidade em desejar que os nossos filhos tenham bom desempenho escolar, pois não queremos todos "o melhor para eles" ? A única coisa que não concordo é colocar isso no topo das prioridades e fazê-los sentir essa pressão desde pequenos. Essencial é educar, amar e criar BOAS pessoas (amáveis, autónomas, responsáveis) . Se forem bons em tudo, melhor ainda !

sexta-feira, agosto 17, 2007

Só os parvos não mudam de opinião !!!

Respondeu um conceituado politico Português, confrontado com grandes incongruências no discurso antes e após eleições...

E assim estou eu. Se nesta altura , tinha vontade de não me chatear muito, agora estou mesmo disposta a ser teimosa...talvez por ser casada e naturalmente influenciada por um jornalista, que por regra são também muito teimosos...ou talvez só, porque amadureci a ideia. Tenho sempre de ver o que é melhor para o meu filho e será por isso que lutarei, desde que seja evidente que ninguém sairá prejudicado. Felizmente, não ainda não sofri na pele qualquer discriminação, e ainda tenho esperança de não vir a ter situações incómodas, mas como sei que a ignorância existe ...já as espero, ajudo , luto e denuncio!
Sem dramas. Nesta vida, temos mesmo de ir à luta pelo que queremos. E estes casos deixam-me tão revoltada. Mas porque continuo a ficar surpreendida ? Em pleno Século XXI. A Europa ainda precisa destas campanhas.

Ainda teremos muito que evoluir.