sexta-feira, julho 28, 2017

Em paz

Durante muito tempo não tive vontade de partilhar. 
Mas eis que surgiu novamente.
A vida é como se diz, como um carrossel e dá muitas e  muitas voltas.
Ontem deu novamente uma daquelas voltas boas que nos traz muita paz. 
O equilíbrio em todas as facetas da nossa vida é importante. 

O meu JP passou para o 7º ano.  Pré-adolescente típico. 
Grupos whatsaap, facebook, colónia de férias, ainda a mesma namorada...
Continua a deixar-me orgulhosa pela forma de estar na vida e com a vontade de beber (bons) exemplos. É uma alma boa. Mas muito complicado por vezes principalmente porque é determinado como tudo e que acha que manda,
A vida não é obviamente um mar de rosas. Não acontecia há algum tempo mas acordou-me esta noite e não voltei a conseguir adormecer. E deu-me para me pôr a pensar ...assim por dizer, a reflectir sobre os últimos 6 anos em que tanta coisa mudou cá em casa. E reflectir é importante. Cada vez temos menos tempo para isso.


Cuidar dos meus dois filhos é uma tarefa pela qual me sinto muito grata. Grata por os ter com saúde. Feliz pela sua felicidade.
Nem sempre foi fácil cuidar de 2 seres dependentes, mas o Rafa, agora com 5 aninhos, está agora a começar uma fase mais independente (até já toma duche sozinho !!!)

Em 2011 veio a crise ao mesmo tempo que diversos problemas de saúde. Soube o que era temer pela vida e até soube o que era não poder falar, como o JP sabe todos os dias.
Quando finalmente melhorei, precisei de me adaptar.
Entretanto pelo meio tive o Rafael .....o nosso sol. 
Tive de aprender novas formas de ganhar a vida e fiz outras coisas. 
Agora faço um pouco de tudo e adoro.

Sinto-me confortável em ser eu a gerir o meu dia de trabalho. 
E como isso é bom para acompanhar os pequenos.

Em 2014, já eu estava mais orientada, levámos outro abanão. 
No fim de 2016 sentia-me com vontade de mudar tudo. 
Em 2017 sinto que me encontrei. 
Estou feliz quando  sinto que todos estão felizes. 
Sinto-me amada, abençoada. 
Por favor...que dure esta fase. 

Eles estão óptimos ! O Rafael está com 1,20. Muito alto e tagarela. Esperto como tudo.
Adora jogar em conjunto com o seu mano minecraft. 
Está convencido que o seu propósito no mundo é fazer rir os outros, principalmente o mano.

Na escola, perguntaram-lhe sobre a família ao que ele respondeu " Família é ajudar o mano". 
Quando vi a frase escrita fiquei extremamente preocupada. Será que ele sente que gira tudo em volta do JP ? Conversei com ele e disse-lhe que a família era mais do que o JP, éramos todos nós e que ele também era igualmente importante. 
Refilou comigo e disse: " Oh mãe, mas eu gosto de ajudar o mano!" e ficou triste de eu não o compreender. 
A verdade é que tenho sentimentos dúbios sobre esta sua resposta.

Mas vamos lidando com tudo isto. Deixei de ambicionar ser mãe-perfeita e de me irritar quando mo indicam (é impressão minha ou esta geração de professores cobra imenso dos pais?), mas dou o meu melhor sempre. Mostro pelo exemplo que na vida temos muitas frustrações e que eles precisam de saber tolerá-las. A vida não é certamente fácil e eles vão percebendo isso.

Mas também é para ser vivida, agradecida e com muito amor e emoção. E está na hora de desfrutar.