domingo, outubro 02, 2016

Karate


Tinha muita vontade de o inscrever nesta modalidade e ele está a adorar. Ele sofre bastante com a falta de tempo de atenção e esta é uma actividade que ele adora. As duas flores do meu jardim precisam de ser regadas... Começou agora em Setembro e está muito entusiasmado. Também irá recomeçar a natação.

RETIRADO DO PORTAL EDUCARE:
Desejando ocupar os tempos livres das crianças e proporcionar-lhes uma formação completa, incidindo em domínios não abrangidos pela escola, muitos pais optam por proporcionar aos filhos a frequência de atividades diversas.

A escolha da atividade não deve ser aleatória. Ela deve ter em conta as características da criança e a adequação ao desenvolvimento ou à inibição de diversos aspetos, como por exemplo a autoconfiança ou a agressividade. Deve ainda ser feita em conjunto com a própria criança em vez de resultar de uma imposição. Duas atividades com enormes potencialidades são a natação e o karaté. Segue-se uma pequena reflexão acerca das vantagens de cada uma.

A natação pode ser praticada desde muito cedo. Aprender a nadar é fundamental, quanto mais não seja por uma questão de segurança e até de sobrevivência. Na verdade, a sua aprendizagem deveria fazer parte da formação de qualquer criança e todas as escolas deveriam estar equipadas com piscinas e providenciar o seu ensino. No entanto, se a segurança não fosse argumento suficiente, as potencialidades desta modalidade desportiva valeriam por si. Frequentemente ouvimos dizer que a natação é um desporto completo. Ela é ótima para o sistema respiratório, podendo ajudar crianças com dificuldades a esse nível. Contribui também para o desenvolvimento dos músculos. A melhoria da coordenação dos movimentos é outro aspeto a ter em conta.

O karaté pode ser praticado a partir dos 6 anos. A sua prática facilita a concentração. Melhora também o equilíbrio nervoso. Desenvolve ainda a flexibilidade e a coordenação e contribui para uma postura corporal adequada. O desenvolvimento da autoconfiança e do sentimento de segurança são outros benefícios importantes. Por outro lado, o karaté promove a disciplina e a compreensão bem como o respeito para com os outros.

Se estas duas modalidades desportivas podem constituir boas opções, outras existem que se podem mostrar mais adequadas para corresponderem às necessidades de uma determinada criança ou aos seus gostos pessoais. Há, no entanto, que ter conta, peso e medida na hora de selecionar as atividades extraescolares. Nem oito nem oitenta. Se elas forem em número excessivo irão constituir uma sobrecarga. É preciso não esquecer que as crianças precisam de tempo para si próprias, para brincarem livremente.

sábado, outubro 01, 2016

As perguntas....

As férias terminaram. Aproveitamos ao máximo. Como devem ser aproveitadas.
Desejámos mesmo voltar às rotinas, de tão "cheias" que as férias foram. 
O 6º ano foi começado cheio de garra e saudades pela parte do JP.

Pelos 4 anos, há os infindáveis porquês. 
Se o Rafael pergunta tudo o que lhe desperta curiosidade, o JP de quase 12 anos, não lhe fica atrás e agora quer saber tudo sobra a sua condição. 
Porque é ele diferente, porque há outros diferentes, que se passa com eles ?
Gosta de ficar a conversar comigo sobre estes assuntos, na cama, no meio dos lençóis e do mimo. Continua a adorar os aconchegos da mãe, os abraços, as minhas tontas confissões de paixão. 
E ele espontaneamente, retribui-me, pelo facebook, muitas vezes.
As respostas às perguntas dele têm surgido naturalmente. Uso as explicações do coração. Sou muito transparente. Sou eu mesma e não monto um cenário só para o agradar.


Acredito piamente que não vale a pena. 
Eles sentem quando estamos a ser mentirosos e criam barreiras que não quero que existam entre nós.

Ele é diferente, especial mas no que for igual, queremos ser iguais, sem privilégios. 

E há muita coisa que o JP é igual. Valorizo tudo o que tem de bom. 
Lembro-o que é um todo, que não se pode limitar a ver as suas limitações, mas que deve valorizar tudo o que tem de melhor: a simpatia, a persistência, o sorriso cativante. Que na vida, todos temos algumas limitações, que todos somos um pouco diferentes uns dos outros e que ele é ainda um pouco mais diferente porque é deficiente. Mas isso não o impedirá de alcançar os seus sonhos. E que sonhe sempre. Muito. Porque a sonhar ele pode tudo.

O Rafinha, agora também percebe a diferença e muitas vezes quando ralho com o JP, por alguma coisa, lá vem o mini-advogado com um tom de voz muito convicente: "mãe, não te zangues com o mano, ele faz isso porque ele é diferente

Sempre disposto a defender com unhas e dentes o indefensável. 
Acho ternurento.