sexta-feira, abril 20, 2012

Triste

Não dá para evitar ficar assim, quando o meu JP diz que quer andar e fazer outras coisas comuns que todos os meninos fazem...
Quando vejo toda a facilidade que o "Formiguinha" pequenito tem em fazer aquisições e verificar que o mais velhinho nunca irá fazer todas...nem metade.

Penso que o mundo é injusto. O JP é apenas uma criança que deveria ter nascido com igualdade de oportunidades...
E eu já devia ter ultrapassado esta forma de pensar. E muitos dias, de facto ultrapassei. Mas outros, dependendo da situação, não consigo deixar de ficar com o coração terrivelmente pequenino. Já fizemos tanto e ainda continuamos a fazer, que, por vezes já não tenho a mesma força anímica para experimentar tudo que é novo como fazíamos antes. Ele também já tem os seus interesses e já não dá para o manter a fazer fisioterapia e actividades aborrecidas o tempo todo.

O JP tem uma cara linda, um sorriso contagiante e uma consciência que não pára. Mas por vezes percebo que algumas pessoas não olham para ele da mesma maneira que olham para o Rafael. Mas por isso, eu lamento. Lamento que não tenham a riqueza e sabedoria de o encarar e descobrir o menino maravilhoso que ele é. Por outro lado, há pessoas que quando se envolvem com ele, criam ligações emocionais incrivelmente fortes. E a isso nos agarramos.


O que faço é tentar banir estes pensamentos negros e sentimentos dolorosos e manter a boa-disposição e humor...porque a vida é curta e temos mesmo de a aceitar como ela é, ou corremos o risco de a desperdiçar.

Gosto de ser mãe destes dois. O JP moldou-me durante 7 anos e o Rafael veio conhecer alguém muito melhor.
Resta-me preencher os outros vazios da minha vida e serei a pessoa que sempre quis ser.

9 comentários:

Marylight disse...

Minha querida, como eu te compreendo... Muitas também dou comigo a pensar, como é tudo tão fácil para o Henrique (por exemplo a aquisição da linguagem) e tão dificil para o Tiago. Como sinto também o meu coração muitas vezes peqeunino, por alguns adultos por vezes preferirem a companhia do Henrique, porque é inteligente e é compincha e o Tiago fica de fora, porque...eu não faço destinção, ambos são meus filhos diferente um do outro independentemente do Tiago ter T21, tento dar as mesmas oportunidades a ambos. Acalma o teu coração, porque ambos te darão algerias enormes e diferentes. Sei que magoa quem faz a destinção, mas olha deita para trás das costas, não vale a pena!

Beijinhos grandes!

Grilinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Grilinha disse...

Pois é Marylight, tu deves compreender sim.
E às vezes saber que nos entendem, já ajuda um bocadinho...

A vida é assim mesmo, e longe de ser perfeita e justa. Enfim, cabe-nos a nós amá-los da mesma maneira e não fazer essa distinção. Bjs grandes.

Helena Barreta disse...

Quem não consegue ver no JP a criança maravilhosa, interessante, inteligente e trabalhadora que é não merece o privilégio de o descobrir e ficar encantado.

"Conheço" o JP por aquilo que partilha connosco e gosto tanto dele, gosto de o saber empenhado no que tem de fazer, do seu espírito lutador, da sua perspicácia e de se questionar, gosto do seu lado reguila e do meigo, enterneço-me com os gestos de amizade e ternura que o JP tão bem sabe cultivar. Gosto do JP pela sua personalidade e quando leio aqui sobre ele fico verdadeiramente contente por ele e por o achar um exemplo, um exemplo de uma criança feliz, curiosa e muito sociável. O que destaco no JP não é aquilo que não consegue fazer, mas o tanto que faz e o que se esforça por fazer.

Infelizmente também sei que a vida nem sempre é justa, mas há que valorizar o que temos de melhor e desfrutar do prazer que é a Vida.

Felicidades e um abraço apertadinho.

Bom fim de semana.

Grilinha disse...

Oh Helena Barreta...em cada comentário seu, aprendo-a a conhecer e a admirar a sua sabedoria. A partilha tem este lado bi-direccional !!! Sem dúvida, que tudo o que escreveu está mais que certo.
É sempre assim, que eu tento que ele próprio se veja. Pelo que faz e nunca pelo que não faz. E é assim que tem de ser, porque nós não somos e nunca seremos todos o máximo ...somos apenas pessoas. Ele tb tem as suas coisas boas e as suas limitações (que poderá tentar contornar)...apenas isso.

Um abraço de volta.

Mina disse...

Já está tudo dito.

Só mesmo valorizar as conquistas e passar ao lado dos comentários que nos magoam...

E para nós mães mais tarde ou mais cedo,acabamos por "compensar",o mais frágil, o que também não sei se é justo, mas acho que acaba por ser natural.

Bjinhos e bom fim de semana

Anónimo disse...

Minha querida amiga,

Nenhum filho é igual ao outro. Mesmo com algumas dificuldades o JP vai ter o seu caminho de sucesso. Eu vi na web a força interior que esse menino tem e vai ser feliz também! Aliás, ele já é feliz, ele ri, vocês fazem tudo por ele. Fiquei muito contente por saber que ele foi à festinha de aniversário da amiguinha e tinha pessoas que o ajudaram a brincar. O mundo está muito mudado. No meu tempo, não havia nada disso éramos empurrados, as crianças não queriam brincar, era penoso até.
Graças a Deus, as mentalidades estão a mudar e o teu filho tem o mundo à sua frente, só que é um mundo, pelo qual o corredor é mais longo, mas ele chega lá.
Quanto aos comentários, não é por mal, é ignorância, é talvez o entusiasmo de ver um bebé pequenino, muita gente até quase que arranca os bebés do colo da Mãe.
O JP é lindo, amoroso, amigo, simpático, expressivo e tem uma força de vontade inabalável.
Tens dois meninos de oiro.
Amanhã, vou falar um bocadinho com ele, já me sinto melhor.

Um beijinho
Joana (Porto)

Grilinha disse...

Mina e Joana

É mesmo...passar ao lado e esquecer mesmo.

Não vale a pena agarrar-me a sentimentos menos positivos e não creio ser solução "ofender-me" com tudo e todos.

Bjinhos

Raquel Costa disse...

Mulher de coragem! Deus a abençoe! Não é fácil! Sobretudo pela forma como os outros olham ...mas nós sabemos, sabemos o quanto somos felizes!
Beijos.