sábado, agosto 27, 2016

O Rafael orgulhoso do seu irmão


Tenho tido alguma preocupação para desmistificar a diferença do JP e que o Rafa a aceite como normal da
nossa vida.  
E que entenda que a diferença faz parte do  mundo. Do nosso e não só.

Temos um parque infantil perto de casa onde o JP anda à vontade na sua cadeira eléctrica e onde o Rafa desfruta ao máximo como qualquer criança o faz. Divertem-se os 2 mesmo a valer.




Como o mano leva a cadeira eléctrica, ele gosta de levar a sua bicicleta para manter o ritmo.


Ontem, 2 meninos observavam o JP e comentavam um com o outro em jeito de cochicho (perto do Rafael, provavelmente sem se aperceber que era irmão). " Anda numa cadeira de rodas".

O Rafael veio todo empertigado mas orgulhoso junto deles e disse: " Anda numa cadeira de rodas ELÉCTRICA !!!" (leia-se que para o Rafa ter uma cadeira eléctrica é algo muito fixe !)

E assim temos o nosso advogado pequenino de 4 anos do mano grande.

domingo, agosto 21, 2016

Momentos em familia 2016

Todas os momentos que passamos com os nossos meninos são absolutamente preciosos mas estes dois pequenos seres amorosos quando em férias acham que os pais têm de ter uma energia inesgotável (como a deles) e fazer tudo. 
É imperativo acordar cedo, ir para a praia Fluvial ou para as piscinas , todo o dia, ir ao parque,  brincar com amigos , passear muito à noite, deitarem-se tarde e saborearem ainda muitas leituras e tudo a que têm direito. 
Diz-se que a paixão nos dá forças,  para o que precisamos. 
Lá fomos arranjando muita energia mas ao fim de uma semana, o pequeno Rafa já se queixava que tinha dores de cabeça (fazia sesta na pré-escola e deixou de fazer nas férias, tirando 20 fatídicos minutinhos que andava de carro). Uma boa noite de sono e um abrandamento do ritmo solucionou  o assunto, mas não foi fácil convencer os dois que estar em férias é também descansar, persuadi-los a fazer umas sestas e trocar tranquilamente miminhos em família,  durante o tórrido calor do interior da nossa terrinha, em vez de estar a aproveitar para estar sempre a fazer algo. 
Na água, os dois andaram atrelados às suas preciosas bóias, sempre com a nossa muito atenta supervisão mas mais autónomos, batendo constantemente as pernas e divertindo-se muito em conjunto. 
Nós, pais, felizes mas "maçadinhos" e eles felizes, maçadinhos, mas ambos cheios de energia...

O JP está numa fase já muito adolescente. Os seus 11 anos estão a manifestar-se com muitas evidências. 
Agora que já chegámos, combina o tempo todo actividades com as suas amigas ou simples vindas cá em casa.  Ouve as suas músicas, de gosto muito próprio de adolescente. 
Estar apenas com os pais e irmão não o satisfaz. 
Por outro lado, o que mais me preocupa é a ansiedade que desenvolveu principalmente devido às noticias do terrorismo e também às doenças, como o Cancro que teme muito. O uso do Facebook também não ajuda, mas ele gosta muito de comunicar com os amigos por lá...
Estas preocupações tem-lhe roubado o sorriso constante e não tem sido muito fácil para mim lidar com estes medos exacerbados. Acredito que seja o meu maior desafio nos próximos tempos.

sábado, agosto 20, 2016

Explicar a diferença do JP ao Rafael

O Rafael já percebeu as diferenças do mano e já as explica aos amigos.
Tento que perceba que ser diferente é normal e não se sinta embaraçado.
A determinada altura pensei em escrever um livro com ajuda nas ilustrações de uma amiga para o ajudar a perceber estas questões de ser irmão de alguém tão diferente e especial. Entretanto conheci este livro e serve exactamente o propósito. O Rafael gosta de ouvir em voz alta e o JP também.


«Maria tinha pressa de nascer. Dava voltas e voltas na barriga da mãe. Era verão, estava muito calor e não havia maneira de ficar mais fresca. Uma noite, não aguentou mais. Decidiu que era altura de conhecer o Mundo.» E assim começa esta aventura. De uma menina que, desde o nascimento, tem que aprender aquilo que os outros fazem naturalmente. Aprender a segurar a cabeça, a abrir as mãos, a sentar-se, a pôr-se de pé, a andar. Maria é diferente. Tem uma diferença que se chama deficiência. Mas é, sobretudo, especial. Tem uma alegria e uma força incríveis que chamam a si muitos amigos que a ajudam e com ela querem partilhar a sua luta. Enquanto isso, Maria «viajava dentro da sua cabeça para os sítios onde os outros meninos chegavam com as pernas. E ria, ria muito porque estava sempre alegre!»"
 “Maria, a Alegria na Diferença” ´ Recomendo vivamente !