terça-feira, dezembro 13, 2011

Cada vez falta menos...

Assim voa o tempo e já falta tão pouco.
Estamos nas 32 semanas. O meu menino pecarrucho se nascer agora já tem óptimas hipóteses de sobrevivência. Mas queremos que desfrute ainda mais da barriguinha da mãe e venha só em 2012. 
Desta vez atingi mais cedo o ponto de desconforto. Não há grandes queixas. Nem azia, nem males maiores, mas por outro lado existe cansaço, sensação constante de peso no baixo ventre e muita falta de agilidade.
Inevitável comparar com a gravidez do JP, que trabalhei até ao último dia e só me comecei a sentir verdadeiramente desconfortável a partir das 35 ou 36 semanas. 
O JP está agora como adora. À sexta feira fica logo na casinha da avó. É acompanhado pela madrinha às sessões de hipoterapia e passa o resto da manhã a passear com ela. O objectivo é que eu descanse um pouco mais. 
Mas tem sido difícil ter um sono em condições. O pimpolho passa as noites a mexer-se, a acordar-me e a pedir-me que faça lanches nocturnos, quando durante o dia nem consigo comer muito.
Está grande, pesado e assim me sinto eu: volumosa. 
O pai diz que estou na mesma (que é só barriga) e linda. O JP diz que a barriga está a crescer (com um grande sorriso na cara).  Benditos os meus homens que me mimam tanto :)

Se eu sinto uma grande vontade de conhecer o meu R. por outro lado penso muitas vezes que vai ser um estranho mundo novo. A compatibilização de todas as rotinas, o encaixar de mais algumas, o conhecer um novo ser...e o repartir do amor por dois filhos.
Sei que acabarei por estar à altura, mas não escondo que sinto alguns receios deste novo mundo que aí vem. Não por achar que vai correr mal. Só mesmo, por ser desconhecido.

5 comentários:

Paulinha disse...

:D

Já falta muito pouco, Mãe Natal!!!
Estou na corrida com menos 10 semanitas que tu, assim dá para me ir preparando com o que for lendo aqui! eh eh eh

Que bem que me senti ao ler-te!
Fico muito feliz por vocês!

Beijinhos!

ClaudiaMG disse...

Amiga, será efectivamente um mundo novo, diferente do que tens actualmente pois um bébé, por muito que seja o segundo ou o terceiro tras sempre novas rotinas à casa. Claro que vai requerer de vós uma maior planeamento e até se calhar alguma ajuda para conciliar tudo, mas nada, nada é impossível como tu bem sabes. Se dá mais trabalho? Claro que sim, serão dois filhos com idades diferentes que requerem atenções diferentes muitas vezes na mesma altura. No entanto verás que a recompensa é enorme, que eles dão-nos mais a nós que nós a eles e que ter filhos é efectivamente a melhor coisa do mundo.
Tu, como sempre, estarás à altura.
Beijos grandes

. Mas acredita que tudo


e vai requerer de vós algum trabalho, mas vai ser certamente o perío

Helena Barreta disse...

Apesar de eu ser mãe de um só filho, sou tia (para mim, os meus sobrinhos são filhos só que das minhas irmãs) de 8 sobrinhos e 6 sobrinhos-netos, estamos à espera da M. que vai nascer, em princípio, nos primeiros dias de Janeiro e digo-lhe, com toda a convicção, que o amor não se reparte, o amor multiplica-se. Falta pouco para poder dizer-me que o que acabei de afirmar é a mais pura verdade.

Quando o R. nascer vai comprovar que tem a melhor mãe e a melhor família do mundo, ele já sabe e já sente, só lhe falta mesmo é olhá-los olhos nos olhos e sentir o contacto físico.

Beijinho com muita ternura

Paulinha disse...

Não pude deixar de cá vir outra vez...
Gostei tanto da frase da Helena: "... que o amor não se reparte, o amor multiplica-se."

Sorri e emocionei-me, como não poderia deixar de ser!

Grilinha disse...

Paulinha, a Helena tem sempre frases que me deixam de boca aberta....

É verdade que deve ser assim. sempre ouvi que sim.
Eu ainda uso o repartir, por ignorância, por hábito, mas tenho a certeza que vai ser mesmo é multiplicado. claro que sim ! bjinhos !