domingo, julho 22, 2012

A procura do Equilíbrio

Um dos enormes desafios com que me deparei como mãe  tem sido o de conciliar a minha vida e aspirações profissionais com tudo o quero ser como mamã de 2 meninos (sendo um muito especial).  Ser uma mãe presente, disponível , participativa  está sem dúvida no topo das prioridades da minha vida. E por culpa desta crise prolongada, tive oportunidade de o ser muito mais nestes últimos 2 anos. Acredito que dei um património emocional diferenciado ao JP a nível de atenção e acompanhamento mas sei que ainda consigo ser melhor mãe (apesar de dar menos atenção) se me sentir mais equilibrada. O exercício de conciliar tudo, apesar de provocar desgaste e stress, é estimulante para mim. 
A maternidade é uma experiência única e irrepetível. No entanto ficar em casa, dedicada apenas a vivê-la, é algo extremamente difícil para as mentes habituadas aos desafios intelectuais, às interacções sociais e ritmos impostos pelo ambiente de trabalho. É uma mudança muito profunda que se traduz numa infelicidade camuflada nos sorrisos, gargalhadas e beijinhos dos filhos. Tenho noção de que o Rafael ainda é muito pequenino e precisa de mim mas por outro lado sinto que ele adora estar com outros meninos e bebés. É uma intuição fortíssima. Afinal ele é o menino que fica rabujento se não dá os seus passeios rotineiros. 
Para o JP preciso muito de ter uma solução para depois da escola e idas às terapias. 

Apesar de as coisas estarem difíceis em território nacional na minha área de actuação e não estar ainda a ponderar a sério sair do país, quero que no fim neste mês a minha vida se comece a organizar para voltar ao activo.   

Quero mostrar, principalmente aos meus filhos, que na adversidade, adaptamo-nos e procuramos outros caminhos. Não deixamos de sonhar, acreditar e de trabalhar para que as coisas possam melhorar.

4 comentários:

ClaudiaMG disse...

Minha amiga, como te compreendo. Em tudo na vida tem de existir o equilibrio e esse é saudável para nós e para o nosso bem estar físico e psíquico. Ate hoje sempre consegui conciliar o trabalho com a maternidade e acho que não deixei de ser igualmente boa em nenhum deles. Hoje, também devido à enorme crise na nossa área profissional, estou em casa e esta situação não me agrada em nada, pois sei que ainda tenho muito para dar e que ser mãe a tempo inteiro não é preenche a 100%. Ao contrário de ti equaciono ir para o estrageiro, mas até isso está dificil. Ideias novas e empreendedoras também não são o meu forte, pelo que actualmente vou dando o meu melhor à procura de um trabalho que faça a minha cabeça "trabalhar".
Beijinhos grandes

Flor Guerreira disse...

Também não deixo de sonhar, apesar da adversidade e da crise..é bom não perder a força e não ter medo!

Mina disse...

Força Grilinha:)
Há sempre um timing para tudo.
E vais concerteza encontrar o equilibrio.
Beijinhos

Helena Barreta disse...

O que lhe desejo é que encontre o seu caminho e se realize profissionalmente e se surgirem obstáculos que sejam fáceis de contornar para continuar a seguir em frente.

Os seus filhos vão agradecer-lhe a coragem e a força que lhes transmite.

Beijinhos