segunda-feira, outubro 29, 2007

Porque temos filhos?

Lembro-me de ser criança e de ouvir o meu pai comentar o quanto a vida era difícil. Eu ria-me e insistia com o meu pai que não era, não... Era até bem fácil ! Claro que sim...e assim deve ser sempre nos olhos e no coração de uma criança.
A vida começou por ser mais exigente a partir do dia em que acabei o curso e comecei a trabalhar. Depois, mais difícil ainda, quando saí de casa para me casar. Complicou muito mais quando engravidei, mas depois de ter nascido o JP senti toda uma responsabilidade acrescida.
Nem me refiro agora a nada relacionada com os seus particulares problemas.

Refiro-me apenas e só a ser mãe. Ou ser pai.
Se ser um pouco irresponsável ainda me era permitido, agora não me ocorre.
Dar condições, comida, escola, roupa e casa arrumada. Cumprir horários. Pensar no bem estar no nosso piolhinho. Abdiquei de parte de uma personalidade mais rebelde. Poderei a voltar a tê-la se me sair o Euro-milhões, mas até lá, só quero garantir que nada falta ao meu filho. Sou agora um pouco mais prisioneira da sociedade. Sou uma abelhinha, que só quer fazer o seu mel.
E dou comigo a questionar-me porque gostamos nós de ter filhos ? Porque equacionamos ter ainda mais filhos e complicar tudo ainda mais? Sem dúvida que vale mesmo a pena para se hipotecar tanto da nossa individualidade e da nossa vida.

O prazer de gerar e educar um ser é uma forma de viver uma vida cheia de afectos e emoções. Os filhos são as nossas maiores fontes de alegrias, de preocupações, de tristezas e de vontade de viver. E depois de um dia stressante e esgotante, quem não se desarma com "aquele sorriso" ao nos vislumbrar atrás da porta da salinha ? Passou tudo !
O meu filho nasceu e mudou o nosso mundo. Ele terá sempre um pouco dos dois, mãe e pai, que tanto o amam. É o espelho de um grande amor.

Nunca gostará de mim metade do que gosto dele, certamente, mas este sentimento é muito menos egoísta que qualquer outro que já tenha sentido.
Havendo saúde e amor, tudo o resto compõe-se...com calma, por mais difícil que a vida seja...É maravilhosa com a ajuda dos nossos filhos.
P.S: A propósito de um comentário: São reflexões minhas naqueles momentos de pensamentos profundos.
Mas o estado de espirito com que o escrevi é óptimo e nem um pouco triste ! Muito pelo contrário...
Grande sorte morar nesta grande terra !

quinta-feira, outubro 25, 2007

Uma bela Prenda...

A directora do colégio não sabia que eu ontem fazia aninhos, mas parece que adivinhou...

Fui buscar o JP cedinho, para preparamos o Jantarinho para a família, avó, etc...e eis que fui chamada.
"Ui, que vem agora aí ? - Pensei eu... problemas... querem ver?"
Afinal era só para me dizer que o JP é um menino muito inteligente e que ele mostra isso diariamente. E também para nos dizer que a direcção do colégio nos apoia MUITO, MUITO, MUITO.

O JP continua egocêntrico, tanto que refere-se a si próprio com "Eu".

Aliás já o diz há algum tempo , mas esta mãe distraída precisou que as educadoras confirmassem...ehehe..

Distingue entre vários objectos o que falta, o que está mais, o que não pertence ali.
Sabe onde está um objecto de determinada cor. Sabe que 2 objectos juntos são 2, três são 3...etc.
Começa a saber os contrários: curto/ comprido, alto/ baixo e até mão esquerda e mão direita, jogos com metades e relativamente difíceis...

Parte das suas aquisições são só expectáveis pelos 4 anos.

Fiquei como imaginam...feliz e bastante tranquila!
P.S: Ana nascerprematuro- Reconheces as calcinhas de cavaleiro ????

quarta-feira, outubro 24, 2007

34

Nasci há 34 anos pelas 2 da manhã, no Hospital Particular de Lisboa. Apesar de 3ª filha, foi um parto difícil de 24 horas. Comecei logo por ser rebelde...e assim continuei.
Estamos "cotas" quando deixamos de ficar entusiasmados para festejar os nossos anos.
Este ano, penso nos anos do papá e do filho. Esses sim. Têm de ser especiais. Eu pelo contrário, terei um dia profissional cansativo, daqueles com reuniões marcadas desde manhã até ao fim da tarde.
O que gosto mesmo neste dia é de receber chamadas de algumas pessoas com quem já não falo há tempos. É sempre uma oportunidade de receber um miminho e de manter o contacto.
Também me deixa feliz que ninguém esteja doente (o JP apareceu com Varicela há 2 anos, justamente neste dia) e possa desfrutar de algum tempo junto de quem mais amo.
Teremos então um serão tranquilo, jantar só com a família mais próxima, que na 5ª também se trabalha.
Bolinho simples com uma velinha e cantamos os Parabéns, só porque o JP delira com estas festividades.
Pode ser que para o ano se comemore com festa rija e muitos amigos. Este ano apetece-me muita tranquilidade.
E como hoje mando eu...

segunda-feira, outubro 22, 2007

Encontro " PC ao longo da vida"

Sábado lá fui ao encontro no Centro de Paralisia Cerebral Calouste Gulbenkian e surpreendeu-me a sensação com que saí de lá. Aumentou exponencialmente a minha segurança relativamente ao caminho escolhido e isso deu-me um bem-estar muito grande.
Qualquer mãe de um menino com PC, pergunta muitas vezes a si própria, perante todo o cenário de desenvolvimento motor em "câmara lenta", se o caminho que segue será o caminho mais rápido.

Eu não sou excepção. Penso nisso muitas vezes, mas se grande parte das vezes penso que é este o caminho , noutras tenho a dúvida se poderei fazer mais.

Existe agora a moda de ir a Cuba, e há ainda muitos outros tratamentos intensivos com resultados animadores. Claro que os tenho ponderado. Pois para mim é diferente que ele adquira a marcha com 5 ou com 7...afinal são mais 2 anos de experiências motoras !

Mas essa é uma arma que tem de ser usada com muita, mas muita segurança e precauções, porque também é extremamente perigosa...

Agora penso que depressa e bem...não há quem. Por isso ter calma e persistência será o mote, como tem sido.

O trabalho que deve ser feito com o JP é o que temos feito. E ele está a responder em termos comportamentais lindamente e cada vez melhor. Se é preciso cadeira de rodas para o seu bem-estar psicológico, por mais que me assuste (Céus...e como assusta!), vai tê-la tão rápido quanto for possível.

A equipa de técnicos que o segue é fantástica, sem excepção, mas devia estar a ser coordenada por um médico interessado e competente e não por mim e pela boa-vontade e interesse dos técnicos. Mas não mudarei por enquanto, porque a empatia gerada entre todos estes elementos é um bem-precioso, principalmente para o JP.

Continua a luta...com muita alegria e agora com maior tranquilidade.

sexta-feira, outubro 19, 2007

Contente

Sinto que tenho conseguido o maior dos meus objectivos: Fazer o meu filho muito feliz.

Apesar da sua personalidade teimosa e refilona, ele tem uma capacidade enorme de se afeiçoar a novas pessoas, de seduzir amigos e principalmente amigas...(é impressão minha ou eles começam a "flirtar" bem mais cedo que eu poderia alguma vez imaginar ?). E tudo isto porque porque ele usa e abusa do seu sorriso, das suas expressões faciais ternurentas e não hesita em deliciar-se com uma menina bonita, derretendo-se com todos os seus gestos, metendo os dedos nos seus cabelos, mostrando claramente que está deliciado...

Tem resultado lindamente a seu favor e sinto que o JP faz amigos muito mais facilmente do que eu alguma vez eu fiz...

Está numa fase que em todo o lado encontra razões para se desmanchar à gargalhada. Agora até na fisioterapia acontece, que nada tem de engraçado!

Filho...que mantenhas sempre esse sorriso ! Não o percas nunca porque ele é uma delicia e o sol dos meus dias...

quarta-feira, outubro 17, 2007

Novidades do Início da semana

A semana começou com a apresentação do projecto educativo para a sala do meu JP. A arte Musical. Fiquei radiante visto que a música está presente em força na nossa casa e o JP adora provavelmente desde os tempos que estava naquele Jacuzzi chamado "barriga da mãe". Os pais também contribuem e intervêem nestes projectos escolares. Vai ser fantástico.

Reuni também com as terapeutas que acompanham o JP na Calouste Gulbenkian (Comunicação Aumentativa) e discutimos estratégias para o futuro. Foi muito importante. Orientaram-me e resolvi investigar outros caminhos possíveis. Odeio mudanças, mas às vezes elas são necessárias, porque podem ser para melhor.

Disseram-me que agora ele verbaliza muito mais e falaram-me também em arranjar não um carrinho de bebé apropriado para PC, mas sim uma cadeira onde o JP possa ter autonomia. Sempre tive medo de ver o JP numa cadeira de rodas e ainda tenho, apesar de saber que essa hipótese poderá ser um dos cenários possíveis...

Amedronta-me mesmo muito.

Mas elas fizeram-me ver que do ponto de vista psicológico seria um passo muito importante para ele, sem prejuízo da aquisição da marcha em qualquer altura. Tenho a certeza que têm razão. E vou pensar nisso. Sei que vou decidir seguir os conselhos, mas primeiro tenho de digerir...

Encontrei lá informação sobre Encontros de Sábado e apesar de fora da data aceitaram a minha inscrição. Acho de grande utilidade a troca de informações entre pais/ profissionais e até mesmo de pessoas com paralisia cerebral. Tenho a certeza que aprenderei algo que me possa guiar nesta caminhada. Da equipa organizadora fazem parte psicólogos, médicos e mesmo pais. Embora que já conheça alguma coisa deste caminho e que já não me sinta tão ansiosa , é sempre uma mais valia estar o mais informada possível.

segunda-feira, outubro 15, 2007

Os meus medos

Foi um fim de semana como muitos. Atarefado e repleto de momentos felizes.

Quando passeava Domingo à tarde com o JP e o Grilinho-Pai, pensava como o tempo voou.
O JP cabia no meu bracinho e era tão carequinha. Hoje, está um menino esguio e com cabelo cheio de personalidade (um bocado indomável ).

Quanto caminho percorrido. Tanta mudança. Mudança essa que nos trouxe um enriquecimento pessoal.

Já tive tanto medo. Lembro-me da primeira conversa com ela em que me disse: "Fica tranquila. Isto é para a vida toda " (referia-se ao facto dos nossos filhos terem PC) e na altura eu pensei "pois, isso é o que mais me assusta..."
Custava-me a compreender a sua tranquilidade. A minha amiga já me ganhava em 2 anos de vivência e tinha razão. Não há porque estar com medo.
A vida vive por si só e transforma-se exactamente no que queremos que ela seja. Se queremos um drama, é drama que teremos. Se queremos uma história bonita e positiva, mesmo que com muitas contrariedades...é o que ganhamos.

P.S: Dois grandes beijos para as minhas amigas (M. Poeiras e Célia) que irão aparecer no programa Praça da Alegria (TVI) a partir das 11 h de 2ª f, 15-10-2007 sob o tema -Mulheres que deram a volta por cima. Babada por vocês !

quinta-feira, outubro 11, 2007

Uma agenda muito preenchida

O JP está a caminho dos três anos e continua sedento de descobrir o mundo...e eu cheia de vontade de experimentar com ele novas emoções.
Há tanto para sentir, descobrir e experimentar !

Inventamos muitas actividades para fazer em família. Idas ao parque, à quinta, ao zoo, ao oceanário ou simplesmente dar de comida aos patinhos.

Um destes Sábados fizemos o dia dos transportes públicos.

Como muitos meninos nascidos neste século, o JP não costuma andar de transportes. Naquele dia acordamos cedinho, apanhamos o barco e o eléctrico e fomos passear à baixa de Lisboa. Foi lindo ver o seu ar de felicidade. Voltámos de autocarro. Ficou o comboio e o Metro para experimentar, mas fica para uma próxima vez ! Tenho de o levar ao trem da praia, quero ir à bebeteca, ao Portugal dos Pequeninos, ao Planetário e ainda voltar ao teatro, ao circo e ao cinema. Mas nos próximos fins de semana apenas se avizinham aniversários (muitos!), inclusive o dele a 1 de Dezembro. O mais engraçado é que o convidado é sempre o JP. Ele é que é o concorrido!

Por isso, os próximos tempos serão mais de convívio e confraternização do que de aventura.

Estar com os amigos também é muito bom. E é bom ver estes convívios através dos seus expectantes olhos...

segunda-feira, outubro 08, 2007

Ser mãe não é fácil

Um dia li um Post - SER MÃE É FÁCIL que achei que devia ser muito verdadeiro. Deve ser verdade, mas não posso comprová-lo.

Eu posso dizer muitas coisas: que o meu filho me faz muito feliz, que enche o meu coração...que é o sol dos meus dias...mas não posso dizer que ser mãe é fácil.

Não, infelizmente não tem sido nada fácil. Tem sido maravilhoso, mas fácil não.

Tudo tem de ser conquistado. Temos de lutar pelo nosso lugar. É um desafio e eu gosto deles...mas às vezes também gosto apenas de viver a nossa vida sem batalhas...

Um dia descontraído de cada vez.

É uma vida como qualquer outra. Mas fácil não.

E por vezes acho que não haverá maneira de ser mais complicado, porque já não é fácil.
E que teremos todos do nosso lado...porque não é fácil.
Mas sei que não será assim. Porque o mundo não é assim.

E aqui estarei eu. Sempre pronta a lutar.

sábado, outubro 06, 2007

Apoio Educativo

Na passada 5ª feira tive uma reunião com a professora do ensino especial destacada e a directora do colégio. Definiram-se alguns objectivos para este ano, porém o plano de intervenção não pode ainda ser preenchido por ter sido alterado o Dec. Lei que rege o ensino especial. A técnica é a mesma do ano passado, que o meu JP tão bem conhece e adora.
Falamos mais de uma hora, obviamente sobre o JP. Os seus objectivos são neste momento de promover o mais possível a sua autonomia na sala e no recreio.

Pediram-me que leve o andarilho para a escola. Vou pensar em fazê-lo, mas o JP ainda precisa de aprender a usá-lo mais correctamente. Para além disso a educadora e a auxiliar vão familiarizar-se com a linguagem SPC. Símbolos que o JP utiliza (e passará a utilizar mais agora) para se expressar.

O horário das intervenções serão junto da hora do almoço, para possibilitar a promoção da alimentação autonomamente.
Durante a conversa, estive mais apagada do que o habitual. Tenho muita tendência para pensar em tudo o que é positivo no JP e fiquei muito apreensiva como esta situação de dependência possa estar a afectá-lo psicologicamente. Mas se ele está sempre feliz, julgo que consegue "ir encaixando"...Teremos é de trabalhar para sermos autónomos, tão depressa quanto possível.

Trocámos muitas impressões sobre o JP. É bem conhecido pela directora. Sabem muito bem do que gosta e como ele é.
Adora as aulas de música.
A sua habitual simpatia e boa-disposição também foi elogiada.
Perguntei à directora do colégio se achava que a educadora estava à-vontade com todos os procedimentos. Sempre me deram a ideia que sim, mas quis confirmar. Ela respondeu-me que a educadora estava muito motivada e tudo estava a correr lindamente.

E eu faço votos para que façam um bom trabalho durante este ano lectivo.
PS: Parabéns a esta família...a minha ex-colega da faculdade que reencontrei anos mais tarde justamente por causa da PC dos nossos filhos.

segunda-feira, outubro 01, 2007

Mimos

é o que o JP cada vez mais reflete no seu comportamento...


Sim, acaba por ter MUITOS: meus, do pai, familia, dos nossos amigos, na escola...


E como me calhou um menino bastante narizinho empinado e teimoso, dou-lhe mimos sim (é irresistível), mas tenho de dosear com "o não fazer as vontades todas" e ensinar-lhe também a lidar com frustrações. Tem que assimilar melhor o saber esperar...o respeitar a vontade dos outros.


Gostaria de conseguir, de forma suave e divertida, proporcionar-lhe uma infância feliz, mas não de super-protecção, de forma a que ele cresça de forma saudável . Ensinar-lhe como é a vida; aprender também a lidar com a frustração e com os momentos menos felizes.
Um dia mais tarde gostaria de sentir que consegui criar um menino seguro, confiante e bem-intencionado. Que a sua confiança possa ser suficiente para que viva com um sorriso no rosto e que procure sempre resolver os seus problemas sem nunca perder a esperança.
A tarefa não é tão fácil quanto parece ...

P.S: Já deu para perceber que "estamos" novamente a usar e abusar das birras ?



Dica da Cristina: Obrigado...vi agora mesmo (Livro de reclamações- Eduardo Sá) e achei fantástico ! É mesmo como eu penso. Mas o espertalhão do JP anda em fase de "testes", eheh !!! Obrigada, amiga. Dica 5 estrelas.