sexta-feira, novembro 06, 2009

Despertar para a vida real

Sou uma pessoa que reflecte muito. Reflicto no trânsito, reflicto se almoço sozinha. Reflicto tantas e tantas vezes sobre tantas coisas.
Se eu pudesse eleger uma mudança na minha vida após o nascimento do meu filho diria: Despertou-me para a dura realidade da vida. Há vidas duras e que me passavam ao lado. Pensava sempre que ainda bem que não era comigo !
Pois o meu filho aconteceu-me a mim. Hoje não consigo ficar indiferente a outras mães, as que sofrem, as que apesar da vida lhes ter pregado partidas mantém a alegria de viver, as crianças e famílias a quem me afeiçoei tanto.
Sempre que vejo uma injustiça, tento ajudar. Sempre que vejo uma mãe perdida e deprimida sem saber o que fazer, apetece-me orientar de alguma maneira. Há tanto a fazer pelas crianças que nascem diferentes. Há tantas alegrias a serem experimentadas na nossa condição de mães especiais. Tantas...a sério.
A maioria das pessoas continuará a dizer: "Ainda bem que não foi comigo".
Sim, ainda bem...mas há qualquer coisa que também estão a perder. Assim como também eu perdi outras. De longe o balanço deve com toda a certeza ser mais positivo para elas. Mas no meu percurso sinto que ganhei algo muito especial. Tornei-me numa pessoa mais segura, mais forte e também mais pura.
Felizmente nem todas as pessoas são indiferentes. Nem todas se sentem totalmente longe desta realidade. Por todas ou mesmo por nenhuma razão.
Tenho encontrado pessoas maravilhosas para quem a diferença é bela. Interessam-se e ajudam. Têm uma palavra amiga, sempre. Gostam de nos ter por perto. Não têm problemas em convidar-nos para uma festa, um convívio. Nem têm problemas de carregar o meu filho ao colo, correndo o risco de outros pensarem que é filho delas. Não têm problemas em sorrir para mim no parque infantil, mostrando a sua admiração e respeito.
Aí sinto que encontro almas puras.
Tenho encontrado tantas.
Dou graças por isso.
Depois há os que se incomodam ou ficam demasiado curiosos. Enxoto-os...não têm lugar na nossa vida. Se calhar são em muito maior quantidade que os outros. Mas não faz mal. Nem os vejo...

24 comentários:

Maria João disse...

Olá amiga,

É isso mesmo, só interessa quem nos mima a nós e aos nossos filhos, todos os outros nem existem.

Força amiga, és uma grande Mãe, Mulher e um exemplo para todas n´s.

Beijos grandes para vocês,
MJF

PS: Se quiseres aproveitar a época de Natal para um venda de angariação de alguma ajuda para o JP, diz, estou em casa e posso fazer algumas peças para ti.

Mae Frenética disse...

Sabes Grilinha, há uma coisa q uma vez me escreveste e q eu nunca mais me esqueci. Disseste qq coisa como "mas vejo que tu sofres porque o perdeste. É só nisso que pensas"

Ou seja, tu reflectes sobre a tua vida, como eu a minha, mas o q nos faz falta é a essência da pessoa e não o trabalho que ela dá/dava. Isso é o q essas pesssoas amigas vêm no JP: a sua essência. O resto? O resto é colo e acessório.

Mãe Sisa disse...

Que coisa!
Parece que me lês os pensamentos...
Muito fixe!´
Infelizmente, ainda há muitos destes últimos - e eu também os enxoto. Não nos fazem falta nenhuma.
Precisamos é de Paz, Amor, Alegria - e muuuuiiitaaa Saúde!
(agora pareço um postal de Natal)

muitos miminhos...

Cindy disse...

Gosto de te ler assim, mais optimista, mais animada!!
Uma beijoca no coração!!
Bom fim-de-semana!

Mina disse...

Todos podem imaginar...
Mas só alguns podem sentir a forma diferente e quanto nos dão os filhos especiais...
No nosso percurso, também tenho encontrado de tudo, mas uma coisa eu dou como garantida, são os pais com uma experiência de vida no mundo da diferença os mais sensíveis, acho que á um click...
Os outros que me desculpem...
bjocas

Grilinha disse...

Maria João...Tu és certamente uma das pessoas de quem eu falo que são boas pessoas. E vamos conversar sobre a sugestão. Beijinhos

Grilinha disse...

Mãe Frenética: Se algum dia me aventurar nalgum plano de ter um segundo filho, podes ter a certeza que foste uma musa inspiradora. Conhecer a tua experiência de irmã é bonita e comovemente. Não imaginava que podia ser assim...

Grilinha disse...

Sisa: às vezes há mesmo sintonia, temos experiências diferentes, mas também muitas comuns, E pelos vistos pensamos coisas parecidas sobre algumas delas....

Grilinha disse...

Cindy: Estou mais optimista, sim. De facto é preciso ter muita paciência, mas tem de ser....

Grilinha disse...

Mina: Quem está no convento é que sabe o que lá vai dentro....
Nós sabemos...temos o click. Se não tivessemos eramos umas pedras da calçada. Beijocas

Avessa disse...

Visito este blog há algum tempo e não tenho dúvidas que além da Grilinha ser uma super mãe tem um filho que merece e aproveita toda a dedicação e perseverança que lhe é transmitida. É um menino com um M grande, que apesar das suas limitações fisicas tem uma personalidade forte, um pequeno guerreiro que há-de superar muitas batalhas pela vida fora, vivendo feliz. E eu acho que é um orgulho ter um filho assim. Acredito que às vezes seja penoso, mas também uma grande alegria com pequenas vitórias. E quem não compreende, ou só vê a parte negativa da situação realmente não faz falta nenhuma. Beijinhos.

Ana - www.nascerprematuro.org disse...

Não, não tenho problemas em convidar-vos para o que quer que seja... :-)
Sim, confesso que sim...que tenho problemas em carregar com o teu filho ao colo, mas porque ele é um matulão e está muito pesado!!! :-)
Mas mesmo assim não resisto...adoro aqueles bjs lambuzados :-)

Nala disse...

Querida amiga,

Espero que tenhas conseguido ver a entrevista q te mandei, q me foi pedida pelo jornal cá de aveiro. Foi só um começo. O lançamento do próximo sábado será outra pedra para a construção de um sonho.
Quero criar uma Fundação para todas as crianças que aqui falas, mães, e por isso, as receitas que fizer de todos os livros que escrever dentro dos moldes de "Flor de Água", serão para ciar uma Fundação que se chamará Rita Leonor.
Porque tal como tu, eu via, eu ttrabalhava com elas e pensava "Graças a Deus que tive uma menina saudável". Continuo a agradecer a Deus, não só pela Leonor, que é saudável, mas pela irmã, que me transformou e me deu voz e força para conseguir ajudar os outros. Esse é um dos meus grandes objectivos de vida que criei, depois de perder a Ritinha.
Queria muito que viesses, mas compreendo a distância.
Um beijo gd e um xi p o JP.

Maria disse...

Passando para te dizer sómente, continua sempre com muita força, é essa força, que nos ajuda a ultrapassar os obstáculos.
Sorrir é a melhor arma.

:)) beijjjjjjjjjjjjjjj

Sandra Morato disse...

E quem fala assim,é uma grande Mulher e Mãe. Ese é o espírito e somos de facto como as corujas, por muito que os nossos filhos incomodem os outros eles são a Luz do nosso viver. Aos outros que olham com desrespeito, descrédito, só mesmo a indiferença e a luz e energia do Amor que nos faz mover montanhas e ultrapassa-las. Pelos nossos filhos o Céu é mesmo o Limite. E nem nos momentos mais dificeis, mesmo a custo de suor e lágrimas, limpamos toxinas, renovamos energias e aí vamos nós prontas para enfrentar o Mundo. Pelos nossos filhos o Céu é mesmo o limite! Quando quiseres vir experimentar uma refeição Penicheira, amiga avisa e faz-se aí um programa, com direito a uma voltinha à beira-mar. A diferença aqui em casa não existe, cada um com a sua está salvaguardada a biodiversidade da família. Estende bem os teus ramos, que logo logo a Primavera está de volta bem mais reforçada e renovada. Um beijinho grande. Sandra

Sandra Morato disse...

Porque não publicas em livro estas "Reflexões de Mãe"? Fica aqui o desafio. Beijinho. Sandra

Grilinha disse...

Avessa: Benvinda aos comentários ! E que belo comentário.
Sim , tenho esperança que ele tenha fibra. Neste momento acho que tem...vamos ver se continua. Tem de ter muito mais força que eu e o pai juntos, porque a vida vai ser muito mais dificil para ele do que nós.
Um bj

Grilinha disse...

Ana: Não pegas no JP ao colo ???Andas fraquinha rapariga! Alimenta-te bem, miúda.
Tens de comer mais espinafres e coisinhas boas. O JP só pesa 12 Kgs...
Ou é isso ou o PDI, lol.
Beijos gostosos para vós.

Grilinha disse...

Nala, Maria e Sandra: Por eles não olhamos a nada. Vamos à Luta. Sempre.
Instinto maternal, acho...

Ana - www.nascerprematuro.org disse...

ok....está visto que temos que fazer uma jantarada!!!!
bjs
ana

Ratinho disse...

Olá!
Venho só dar um grande beijinho a voces.
Sinceramente, e quanto a mim (obviamente), acho que nunca vou chegar a esse estado de pureza que falas. Vou ter sempre este humor de cão que tenho (já antes tinha...mas agora é pior).
Em relação ás pessoas que pensam que "ainda bem que nao foi a mim"...nem sei que te diga. O que eu penso é "ainda bem que nasceu para mim" pois assim sei que é tratado com a dignidade e amor que merece.
Beijo grande

Grilinha disse...

Sabes Ratinho...
Não há nada que me aborreça mais que gente que escreve o que não sente. É verdade que não escrevo toda a minha vida, nem tudo no blogue e não acredito (que com sanidade mental ) algum dia o faça...mas não escrevo nada que não sinta ou pense !
Sabes bem que te entendo, pois já falamos ...
Acredito que esse humor de cão seja uma característica tua bem gira !
Vai passando sempre. Beijoca para ti e para o Ratinho.

Leoinha disse...

Olá,

Infelizmente ainda temos preconceitos relativamente à diferença e espero que as coisas mudem.
Não queremos que nos aconteça, é verdade, mas não está nas nossas mãos, pode acontecer a qualquer um. Ninguém sabe o que nos reserva o futuro. Por isso se pudermos ajudar ajudamos, não devemos nem pudemos ignorar e acima de tudo INCLUIR como às outras crianças!!!
E sim, quando a encontro e sorrio é de admiração, é um sorriso de apoio!

Bjs,
Leo

Dulce Bregas disse...

Este texto lê-me os pensamentos!A sério,sinto exactamente palavra por palavra...sou hoje melhor pessoa,melhor mãe,melhor tudo,graças à estalada que levei.Chorar baba e ranho por banalidades,já não é comigo,ficar feliz porque o meu filhote vestiu o casaco sozinho?Isso sim!O dia ganha outra cor,e falo a toda gente,mesmo os que andam de testa franzida,e nem reparam nas pequenas grandes vitórias que nós famílias especiais vivemos.Às vezes sinto que eles perdem muito,e que nós temos algo de muito bom reservado,porque merecemos.Uma escolha muito rigorosa nas amizades,e o saldo dá que pensar...mas ganham-se novas amizades,terapeutas,médicos,outras mães,porque o resto...que olhem e critiquem mas de longe.Beijinho.