terça-feira, novembro 16, 2010

Ser mãe de uma criança especial

É ter sempre a pulga atrás da orelha...
Fizemos a reunião, constatámos a situação actual, o que precisa de ser melhorado, o que se vai fazer a curto prazo e ficámos mais ou menos contentes...(eu mais ou menos fiquei).
Quando saímos ia com garantias que tudo está a ser feito e que continuará para que ele esteja pouco tempo na unidade e com os meninos da unidade, porque tem capacidade para acompanhar toda a turma. Ficaram definidas também estratégias para o uso da comunicação aumentativa e acesso à escrita através do computador na escola .
Será possibilitado nas próximas semanas e será outro passo em frente.
Já era hora de almoço e fui espreitá-lo...infelizmente não gostei do que vi. Em vez de estar a almoçar com os meninos da sua turma como sempre fez quando eu ia dar o almoço, estava num cantinho com os meninos da unidade.
Logo me disseram que hoje foi excepção pois as professoras estavam na reunião e por isso teve de assim ser.
Sim, acredito nas professoras e confio nelas mas logicamente que vou estar atenta.
Felizmente o JP tem capacidade de me contar tudo mesmo sem me falar...e isso é fantástico.

4 comentários:

Helena Barreta disse...

É bom saber que a integração do JP está a correr bem.

E que tal pela hora do almoço fazer umas visitas de surpresa?

Um beijinho

Grilinha disse...

Querida Helena, eu confio nas professoras e no que me dizem...mas uma mãe anda sempre com a "pulguita" com ansiedades que as coisas não corram bem...acho que é só isso.
O JP adora-as. Muitas vezes até acredito que ele queira ficar pela unidade, porque ele as adora !!! Mas a unidade não é a vida real. Na vida real ele tem de esperar pelas coisas, tem de interagir com miúdos que não têm papas na lingua....e por aí fora. A vida real é aquela sala de aula.
Por isso, eu insistir em que ele fique sempre que é possível com o grupo e "não o quero protegido"...
Basta-me perguntar ao JP com quem almoçado e ele conta...
Faz parte de o preparar para o duro futuro, não é ? Mas fica mais preparado e lidará com certeza melhor com ele.
Não sei se sou dona da verdade mas é assim que penso.

Tita disse...

Ser mãe de uma criança especial é ser uma mãe também especial.

Há pessoas para quem a porta da minha casa nunca será fechada, tu és uma delas.

Beijinhos grandes em vós

Marylight disse...

Olá Grilinha! Já tinha saudades de ver por aqui umas coisinhas vossas! Ainda bem que tudo está a correr bem. Como eu compreendo essa "pulga" atrás da orelha...O Tiago tb está inserido na Unidade Multidficência, o inicio de aulas não iniciou da melhor forma pq ele esteve com gastro e depois foi todo o ritmo novo. Muito trabalho, muitas sessões com as técnicas da Cercitop e ainda o acompanhamento das prof da Unidade. O rapaz começou a dizer que não queria ir para a escola. As prof começaram ir buscar o Tiago mais vezes à sala de aula, claro que não é isso que se pretende, mas nesta fase inicial teve de ser, pois a mudança foi "gigantesca" para ele.
Só te posso dizer que deves confiar, acho que precisamos de confiar que os nossso meninos estão bem e que estão a cuidar deles. É verdade que os temos de preprar para o mundo "cruel", mas posso dizer-te que só de saber que há pessoas especificas na escola que cuidam dele a certas horas do dia e que ele não anda por aí num canto, acalma muito o meu coração.

Beijinhos grandes e tudo de bom para vocês!