quarta-feira, setembro 12, 2012

Lá vou eu para a guerra novamente....

A escola não tem funcionários em número suficiente. Por isso o JP não poderá ir à escola que começa já sexta feira.
Nem sequer a unidade de multideficiência que existe na escola (mas que o JP não frequenta), abrirá. Mas e eu sou a única que me passo dos carretos com isto ?

Lá terei que ir para guerra, mas deixa-me triste e ansiosa saber que me resta apenas UM DIA !!!

Deixo aqui o texto do papá Grilinho que deixou no FB dele e que me fez ter consciência que vamos ser uma equipa.


Este, que muitos de vocês já conhecem, é o Pedro. Tem 7 anos e é o meu filho mais velho. Um dos meus tesouros. Como é também do conhecimento de alguns de vós, o Pedro é deficiente motor. Nada disso impede que seja uma criança linda, super-inteligente, astuta, divertida, meiga e extremamente "activa".
Pois, é esta a criança que um novo ATL no Seixal acaba de recusar a inscrição com a desculpa que

"têm falta de meios humanos" para lidar com uma criança como o Pedro. Como se o Pedro passasse o dia a correr de um lado para outro, a fazer tropelias, a desenhar nas paredes ou a bater nos outros meninos... Curiosamente, uma recusa que surgiu depois de, inicialmente, ele ter sido aceite. Até porque uma das responsáveis do ATL conhecia o Pedro da escola. Uma recusa que chegou através de uma SMS fria e seca.

A crise que este país vive começou também aqui, na cabecinha deste tipo de pessoas. E neste sistema podre que permite estas discriminações. Não basta posar para a foto ao lado dos nossos atletas paralímpicos. É preciso zelar por estas pessoas, pelo seu bem estar. E é crucial que estes tenham as mesmas oportunidades dos demais. Até porque nunca se sabe se um dia não seremos nós a sentar-nos numa daquelas cadeiras...

A insensibilidade das responsáveis deste ATL apenas demonstram que não estão habilitadas para lidar com crianças. Qualquer criança. Muito menos com um filho meu. Portanto, por um lado, ainda bem que mostraram a sua verdadeira face. Torna tudo mais fácil.

Não tenho dúvidas que o Pedro irá encontrar um ATL que o queira receber de braços abertos. Nem que seja preciso ir até ao fim do mundo para o encontrar. Ele sabe os pais que tem. Uns pais que nunca desistem.

P.S.: Como está a ser uma semana em grande, hoje ficamos também a saber que a escola do Pedro está com dificuldades em encontrar assistentes para o Pedro e outros meninos como ele. É bom saber que os meus impostos servem para alguma coisa...para os carros de alta cilindrada dos representantes do Estado :(
Mas, se querem luta, vão tê-la!

6 comentários:

Sandra Nogueira disse...

Querida Helena,

o que posso fazer daqui por vocês? Acredito que muito pouco de concreto, mas segue a minha solidariedade e orações por esta "guerra" que vcs iniciam...se houver algo a ser compartilhado via FB para que o movimento se torne maior farei de bom grado e será uma honra lutar pelo bravo JP!

abraços

Luísa disse...

Grilinha

Posso partilhar no meu Facebook?

Bjs

CláudiaMG disse...

Que mais posso eu dizer a não ser que mais 1 ano se passou e tudo continua na mesma e que se não forem vocês o JP bem fica sem auxiliares, professoras, etc.
Perguntas bem e mais ninguém se chateia??? Em tempos fiz a mesma pergunta e cheguei a conclusão que não e sabes porquê? Porque existem UNS PAIS que se preocupam e esses PAIS são vocês.
Já não basta tudo e mais alguma coisa e ainda por cima ainda temos de lutar por um sistema injusto que continua a descriminar.
Enfim haja paciência e muita força para continuarmos a lutar.
Se quiseres divulgar a carta do papá Grilinho envia-me pff, situações como esta devem ser divulgadas e expostas ao mundo. Beijinhos e desejo que tudo vos corra bem.

A Senhora do Trevo disse...

Queridos primos passei por aqui para ver como estavam e deixo-vos uma mensagem de força. Com persistência tudo se resolve. Quanto à actitude da direcção do ATL nem faço comentários.
Muitos Beijinhos,
V.

Grilinha disse...

Obrigado pelos vossos comentários e apoio. Partilhem, sim...a união faz a força e as pessoas precisam de perceber o que nós passamos de dificuldades para criar o JP...já bem basta as limitações naturais, quanto mais dificultar todo o seu percurso com entraves desnecessários .

Anónimo disse...

Fiquei muito triste com atitude que tomaram com o teu filho!why? Não tem direito a viver como as outras crianças?! Que mentalidade!
Bj
Joana (Porto)