terça-feira, outubro 03, 2006

Largar tudo

Às vezes penso se o devia ter feito. Não passa pela cabeça de todas as recém-mamãs? Pois não fui excepção. Passou muito pela minha. Mas era e é inviável. As despesas são muitas...a vida não permite. Sempre gostei de trabalhar. Mas teria largado tudo para dar mais assistência ao meu pequenino que tanto precisa. E a recuperação seria talvez mais rápida. Porque eu "trabalharia" bastante em casa com ele. Mas será que o JP globalmente teria beneficiado? Estou convencida que não. Não sou uma boa mãe Full-time. Preciso do meu espaço, dos meus problemas...da minha vida própria...preciso de sentir aquela saudade que me faz correr para ele no final de cada dia. Sou melhor mãe assim, acho eu.
Há muitos anos atrás tinha dificuldade em entender quem tudo larga para ficar em casa com os filhos. Já nem sei porque pensava isso. Mudamos tanto !!!

23 comentários:

Silvia disse...

Eu penso muitas vezes em o fazer...por mim e por ela mas depressa essa ideia me sai da cabeça...a minha mãe fez isso por nós e hoje tem uma enorme frustração...Podemos n ser mães a tempo inteiro mas eles sentem-nos sempre presentes...Ou não? Jokitas

Grilinha disse...

Espero que sim...espero que sim...Tu andas aí, eh,eh...beijocas

Silvia disse...

miguita, ainda aqui ando...LOL à conversa no msg c outras mamãs...tens msg???

Grilinha disse...

Tenho...mando-te por mail se tiveres indicado no teu blog...se não manda-me uma mensagem para mim (tenho o mail no blog). Beijocas

Maria disse...

Quando o João nasceu era um ratinho de incubadora, com toneladas de riscos e valores acrescentados. Voltei a trabalhar e custou-me imenso, mas não seria eu se não o tivesse feito. As coisas não correram bem e as fragilidades dos bebés transparentes revelam-se, tive que ficar com ele por razões de assistência e acabei por me deixar estar até aos dois anos. Trabalhei sempre e bastante, curti bastante o rapazinho, deixei uma carreira a que não volto e uma estabilidade financeira a que não volto. Mas adoro o trabalho que faço hoje - nunca mais deixei de trabalhar por conta própria, adoro liberdade. E, sabes, acho que em cada momento estamos sempre a tempo de optar pelo que nos parece ser melhor para nós e para eles. Ser mãe vai-se construíndo, não há soluções iguais nem fórmulas mágicas. Percebo-te bem porque eu própria dei voltas inexplicáveis várias vezes às minhas decisões. Aprendi a ser flexível comigo através do João. Em qualquer dos momentos. E foi sempre bom. Sê tu mesma, portanto, que também tens por aí um companheiro de armas lindo! Beijo.

Mãe Frenética disse...

É isso mesmo, grilinha!
Tu és como eu, embora gostasse de poder estar em casa com ele, se calhar nem seria uma boa Mãe.. ou aprendia?

Se eles continuarem felizes, podemos ter a certeza q estamos a fazer um bom trabalho!

marysmother disse...

O que eu acho é que o tempo que estamos com eles temos que estar a 100%. Se são 2, 8, 24 horas por dia não será assim tão importante.Importa a qualidade do tempo de lhes dedicamos. Precisamos de ir buscar energias para eles às coisas que nos dão prazer. Por isso tão importante é o tempinho para a nossas coisas, tanto para nós como depois para eles, dada a nossa melhor disposição e disponibilidade. 24 horas a "viver" tudo... é muito esgotante e quem perde são todos...Eu acho assim! Beijos
(Mandei um mail!)

Ana Paula disse...

Acho que essa dúvida assola todas as mamãs. Claro que era óptimo podermos estar 24 horas com os nossos mais que tudo. Mas e o resto? E a nossa vida? E o sentirmo-nos realizadas? Isso também faz falta, pois apesar de tudo também somos mulheres. Não apenas mães.
Pensa que o teu JP está a adaptar-se muito bem. E isso é o importante.

Beijocas

GE disse...

Nós mudamos tanto quando nascem os filhos. Gostei muito de conhecer o teu Blog, e acho espectacular o teu empenho em ajudar o teu filhote.Felicidades
Bjinhos

mulher elástica disse...

Eu também sou como tu, era incapaz de estar a 100% em casa com eles.
Não porque não goste de estar com eles mas porque me falta a parte profissional.
Fico burra se estiver muito tempo em casa.
Beijos grandes

PS. muito obrigada pelo mail

Sandra J. disse...

Eu gostava de desistir de tudo para ficar com eles mas sei que não posso. E ao mesmo tempo tenho a dúvida se seria boa mãe pois acho que afinal preciso do meu espaço.
Bjs

Sorrisos da minha Alma disse...

Mts são as maes que estam a 100% com os filhos e nem por isso a qualidade se compara com as mães que estam apenas uma pequena parte do dia.
Acredito que fazes o melhor do melhor por ele. Vai em frente!
Beijos

Tixa disse...

Sabes se sentes que o teu trabalho te faz bem não desistas porque isso tb faz bem ao JP, sentir a sua mamã bem. E tu és uma excelente mãe.
Sabes cada vez acho mais que a idade e a vida nos mudam, antes tinha tantas certezas e hoje já não as tenho, mudei de visão, estou mais sensivel, mas tb acho que não me imagino sem trabalhar, sem ter o meu mundo fora da familia.
Bjs grandes

dixubo disse...

Olá mamã Grilinha.
Andei ausente mas não deixei de ler os teus posts!! :)
E agora que me actualizei fica aqui um beijinho muito grande de parabéns ao JP pelos seus 22 mesinhos cheios de cor e alegrias! :)
Pelo que li anda cheio de genica e com uma curiosidade enorme com tudo o que meta brincadeira! :)) ihihihih (ele é que sabe o que é bom!).

Uma beijokinha grande e um xi *******

p.s. a ver se tudo acalma para eu voltar mais vezes à blogosfera! Parecendo que não uma pessoa fica mesmo com saudades! :)

docinho disse...

tantas vezes penso assim... mas sei que sou melhor assim... ocupada e com tempo para dedicar a mim... sinto-me mais completa! E faço-a mais feliz se estiver bem comigo!

Mas faz pensar... isso faz!

Beijos maternos

GuerreiradaLuz disse...

Olá... tenho andado longe, mas mal consegui um bocadinho vim espreitar o teu blog. Ultimamente ando a pensar cada vez mais em ter tempo útil para me dedicar à familia. A acompanhar os meus meninos... dou voltas e voltas a pensar como posso fazer isso e continuar s sentir-me realizada profissionalmente, útil, criativa e mãe activa e participante... ufa.... que vida esta.... mas mesmo assim tem piada. Acima de tudo, não nos podemos esquecer de nós. Beijinhos grandes

vera disse...

olá

a maternidade faz-nos realmente pensar em coisas que antes não compreendiamos.

eu penso como tu, ás vezes apetecia-me largar tudo e ficar com ela os dias todos mas ... isso não é possível. a nível financeiro é uma coisa impensável e, tal como tu, também gosto do meu espaço e ela também tem de aparender a ter a vidinha dela.

mas que custa estar tão pouco tempo com ela, lá isso custa!!

jocas
vera

mother_24 disse...

Eu tb sou como tu, não consigo largar tudo e ficar em casa, claro que gostava de estar mais tempo com o meu canininho, mas o meu feitio não é de ser mãe-galinha-dona-de-casa, prefiro vê-lo e poder disfrutar ao maximo do pouco tempo que temos.

Eu acho que é melhor para o nosso bem estar não sei talvez esteja errada, mas eles tb precisam de conviver com outras pessoas para não dependerem tanto de nós, talvez esteja errada, não sei!

Bem hoje é o dia dos animais, por isso um miminho especial á minha grilinha de estimação :)

beijocas

Mikas disse...

Sê como tu mesma desejas. És uma mãe maravilhosa, disso tenho a certeza.

Beijinhos *
[no mail que te mandei, esqueci-me de te dizer que o msn é aquele que está no mail]

Miguel disse...

Se eu pudesse ou tivesse essa possibilidade, largava tudo ou aceitava sem pensar 2 vezes!

Excelente musica ambiente!

Bjks da Matilde

DIV de divertida disse...

Concordo plenamente: não somos melhores ma~es a full time, antes pelo contrário.
quanto a mudanças... xiii! tanta...

Mamã P. disse...

Penso que todas as mães pensam nisso, eu não fui excepção, mas não seria capaz de o fazer. Porque tb eu preciso de uma vida próspria extra B. e tb acho que não seria melhor mãe por estar com ela em casa. Acredito até que assim dou mais valor aos feriados e fins de semana.

cloinca disse...

Olha... pessoalmente acho que fazes lindamente em manter essa postura... e isso torna-te numa mamã ainda melhor!!
teóricamente, e segundo os técnicos e especialistas... a opinião é a mesma! Antes de sermos mamãs de... somos nós próprias... e precisamos de nos preocupar com o nosso mundo também.
É terapeutico...
Eu sei o que é estar em casa com o André a tempo inteiro... e como isso me fez mal... a qualidade é muito mais importante que a quantidade!
Mas nem duvides disso...
Fora o facto de o teu JP receber muitos mais estímulos, e muito diversificados. As crianças beneficiam sempre com esse alargar de horizontes...
beijos!