quinta-feira, setembro 27, 2007

Andar a cavalo

Os cavalos sempre me fascinaram. Mas nas poucas oportunidades que tive para experimentar, hesitei...e acabei por nunca experimentar.


O JP começou a andar a cavalo com 13 meses e inicialmente fazia só 15 minutos. A terapeuta dizia que mesmo assim era uma "sova", pois o esforço exigido era bem grande. No inicio ele tinha medo do animal. Aos poucos passou a querer dar festas e despedir-se da sua amiguinha equina. Depois passou a ficar eufórico cada vez que via a figura de um cavalo, ou se falava em cavalos !


No outro dia fiz mesmo por experimentar. Morria de curiosidade de saber o que sentia o JP lá no topo e subi em cima da "Alentejana" . Passou-se qualquer coisa de mágico. Lá em cima senti-me muito especial e poderosa. E senti uma imensa ternura por aquela bichinha que me carregava. Era como se fossemos uma equipa. Senti o balanço...o relaxamento e depois acabou muito depressa ! Ainda equacionei se podia fazer umas aulinhas, mas acabei por desistir ! Achei um maravilhoso hobby a que facilmente me viciaria...


Digamos que há terapias mesmo boas !

terça-feira, setembro 25, 2007

A Felicidade

Qualquer mãe ou qualquer pai sabe que ter um filho com quaisquer que sejam os problemas, desde que sejam graves, não é o máximo ! Inicialmente então, é uma dor indescritível ! Mas acredito que muitas pessoas, embora que receosas com o futuro dos seus filhos, aprendem a desfrutar da vida de uma maneira mais gostosa.
Passam elas próprias a sentirem-se diferentes...e a defender a diferença e a conhecer uma realidade muito bonita.

Confesso que sempre pertenci 100 % aos estereótipos da felicidade, mas só sei que nunca fui tão feliz como passei a ser depois de ter nascido o JP, com todos os seus problemas.

Daí, que apesar de me sentir diferente, de sentir que não pertenço ao "molho" e ao estereótipo da felicidade, sinto muito orgulho em ser mãe de um menino muito especial.

Quem disse que o estereótipo da felicidade era uma família funcional, um bom carro, uma bela casinha e um par de filhos super-perfeitinhos e bem comportados ? Felizmente, a felicidade não é nada disso. A felicidade é muito mais que isso. É saber e ter quem amar. É apreciar pequenos momentos...é ter objectivos na vida. É sentirmo-nos realmente importantes para alguém...

A felicidade pode ser muita coisa...de muita maneira. Bom, é ir encontrando-a...no dia-a-dia.

Nota : Reflexão sobre este post do Pai do Pedro

domingo, setembro 23, 2007

Irresistível !

Sempre achei que não registaria aqui os primeiros usos do penico...mas é irresistível.
Sim, o JP já usa e ele é que o pede...tão naturalmente...sem insistências. Bastou ensinar.

Mas ainda falta o xixi...

A frase mais ouvida

"Oh matulão ! Sai do colinho da tua mãe e vai para o chão..."

Não levo nada a mal. Quem o diz não percebe o que se passa. E na verdade o JP está mesmo muito crescido e dão-lhe muito mais idade do que realmente tem...

Encontros

Esta manhã conheci por mero acaso uma daquelas mães que têm sido incansáveis. Inúmeros problemas com a sua menina. Fantasmas verdadeiramente assombrosos.

Muito trabalho...mas resultados tão encorajadores.

Ela meteu conversa comigo e com o meu JP. Eu adorei conversar.

Há vidas difíceis. Muito mais que a nossa. E há pessoas que parecem ter sido escolhidas a dedo. As contrariedades da vida não conseguiram tirar a luz do seu rosto e muito menos a expressão sorridente e optimista. Espero voltar a vê-las...

segunda-feira, setembro 17, 2007

Como mudam as nossas atitudes

Quando o JP nasceu, desejava que o tempo passasse depressa e me respondesse a todas as dúvidas. Tentei aproveitar o seu maravilhoso tempo de recém-nascido, mas havia sempre uma ansiedade como pano de fundo. Queria que o tempo passasse mais depressa.
Hoje, com algumas das perguntas respondidas, desejo que o tempo passe muito devagar. Que ele possa ser criança por muito tempo. Pois ele é uma criança muito feliz. E eu sou muito feliz com a criança que ele é.

Viver devagar. Saborear cada minuto. Deliciar-me muito tempo com esta carinha doce e sorridente. Apetecia-me parar o relógio do tempo...


terça-feira, setembro 11, 2007

Menino

Estás um menino. Dizem-me que te portas muito bem na escola. Que comes lindamente...
Dormes (finalmente) bem a sesta.

Adoras as tuas actividades...ficas triste no fim de cada uma delas. Choras no fim da terapia da fala, no fim da hipoterapia, no fim da Natação...e até no fim da Fisioterapia.
Adoras que te pergunte o nome das coisas e ficas todo contente quando fico feliz pelo teu esforço...

Para aguentar tudo isto, faço para que te deites cedo.

Um dia a dia, exigente, mas delicioso.


quinta-feira, setembro 06, 2007

Desafio dos 7- Sete coisas sobre mim

Desafio dos 7
Desafiada por esta menina e para que me conheçam melhor , seguem 7 coisas sobre mim:



  1. Minhas origens: Nasci 6 meses antes da revolução dos cravos. Última e não-esperada filha. A minha mãe já tinha 32 anos quando vim ao mundo. Só mais um do que a idade em que tive o JP. Nunca me apercebi o quanto a vida era difícil naquela altura. Não vivíamos com grandes dificuldades, mas sendo uma familia de três filhos, tive sorte da minha mãe ser gestora. Dizem que fui muito mimada. Eu nunca achei...acho que era e ainda sou carente.

  2. O que me entristece: Ter perdido a minha mãe com 17 anos, altura em que ainda não sabia acarinhá-la como ela merecia. Ela não estar cá para me dar o conforto único e especial de mãe.

  3. Como me defino: Bem disposta, tímida, teimosa...empenhada e interessada. Demasiado emotiva para o que gostaria de ser. Demasiado exigente comigo própria. Insegura, por vezes.

  4. O que mais valorizo: A família e os amigos.

  5. O meu maior vício: Trabalho...e Férias. Refugio-me nos inúmeros problemas do meu dia-a-dia, para não pensar nos meus próprios. Esqueço tudo isso, para passar umas belas férias com a familia. Junto deles, não há problemas alguns...

  6. O que mais desejo: Criar um filho que seja uma boa pessoa. Que ele possa se sentir realizado e que seja autónomo. Criar algo que seja meu. Chegar à hora do Adeus e pensar que foi uma boa vida.

  7. A minha religião: Entre o zangada com Deus e agradecida...eu acredito Nele. E sei que ele olhará por nós.

7.1 Pensando no meu marido, tenho de deixar aqui uma nota especial: Tenho o péssimo e irritante hábito de deixar as luzes acesas pela casa toda...estou a tentar emendar isso.

terça-feira, setembro 04, 2007

Regresso à escola

Ontem, foi um dia em cheio. Regresso ao trabalho dos papás e para ti, regresso à escolinha. De manhã não querias ir. À tardinha não querias vir para casa. A verdade é que sei que todas aquelas actividades divertem-te muito e como és uma criança interessada e bastante social, estás muito feliz lá.

Começaste logo de manhã com a Terapia da fala. E tanto quanto me disseram, gostaste tanto que fizeste uma birra quando acabou. E a terapeuta acabou por me dizer que desde a avaliação feita em Junho, nota que já evoluíste. Dizes o nome de mais coisinhas...já o fazes melhor.

Continuas a gostar de brincar com carrinhos e volantes...continuas a comer feito gente grande e a crescer a olhos vistos.
Passas por fases tão diferentes, meu filho. Sempre foste bom para dormir. Práticamente desde que nasceste, que me deste noitinhas tranquilas. Adormecias com facilidade e sozinho, agarradinho ao teu amiguinho toda a noite...Nem a tala (a que já te habituaste há muito) te perturbou realmente nessas horinhas sagradas. Resmungavas quando te ia acordar. Agora a tua grande independência diurna relativa aos papás contrasta com a tua vontade nocturna de vir para a nossa cama. Estás numa fase que é só ma-mã...ma-mã....desesperado por ter a minha companhia.
O teu sorriso é tão ternurento...as tuas festinhas são caricias...Difícil é contrariar-te. Como todas as fases, espero com paciência que esta passe.