quarta-feira, julho 15, 2009

Um telefonema positivo

Se foi esta reportagem decisiva para o "acelerar" repentino do processo...nunca saberei.
Hoje o telemóvel tocou e asseguraram-me que está tudo resolvido. Obstáculos ultrapassados. Só um pouco mais de calma. Durante todo esta processo pensei nas injustiças que existem neste país. Pensei em muitos outros pais que estão ou irão estar na nossa situação e só retiro uma só ilação: de todos os defeitos que Portugal tem, um não conhecemos.
Existe pelo menos liberdade de expressão. Algo que aprendi a valorizar muito desde as semanas que estive em Cuba. Apesar de me assegurarem que os estrangeiros podiam falar à-vontade...a repressão sentia-se em cada rosto, em cada esquina. Não me atrevia a falar demais. Pesava cada palavra e frase proferida. Das coisas boas que trouxemos de lá, o apreciar deste poder de "reclamar" foi uma delas.
E só graças a esta suposta "liberdade" se vai conseguindo a muito custo obter o que temos direito.
Este verão não tem nada de férias para esta família. Tive-as em Cuba, onde consegui esvaziar a minha cabeça de preocupações. Aproveitando cada minuto passado com o JP, entre as suas sessões duras. Umas férias com bons proveitos. Agora mamã e papá com muito trabalho, até mesmo aos fins de semana. Por isso entre obrigações, aproveitamos os fins de semana ao máximo. Entre piscinas, praia, estar com amigos. Caracoladas em família. Tentamos "curtir" este verão enfarruscado.O JP está a ficar muito crescido. Antes dava comigo a pensar quando deixaria ele de dar confiança a todos. Quando deixaria de sorrir para crianças desconhecidas, mesmo quando estas não lhe davam troco? Agora seleciona-as com interesse.
Continua a desenvolver paixões fortes. Continua muito ligado à mulatita cubaninha que lhe fazia a terapia ocupacional. Talvez por isso queira tanto voltar a Cuba. Mas continua a afeiçoar-se a novas pessoas com relativa facilidade, Quando se concentra numa actividade que gosta (nem que seja mergulhar a cara na água), consegue estar assim horas e horas.
Irrita-se quando o interrompem (volta e meia lá vem a mania de cravejar dentadas ou dar-me estaladas, mas não chega a fazê-lo). Tento ensinar a dominar a sua frustração e lá vou conseguindo. Dizem-me que é normal na idade. As dúvidas assaltam-me mas também acredito que sim.

p.s: A propósito de um comentário do sr Manuel Fernandes : As palavras podem ser enganadoras. Não tem mal nenhum gostar da mulatinha que preferi não revelar o nome... e adoro que ele goste. Simplesmente sofre de saudades (embora que isso faça parte da vida) . Ela é mesmo mulatinha e podia ser de qq modo e cor e feitio que todos nós a adoramos de coração. Temos é muita pena que não viva aqui perto de nós. O meu filho pode ter ligações com quem quiser com excepção de pedófilos (esses são os únicos que discrimino). Detesto qq tipo de discriminação. Não acho que deva substituir a frase porque não sou, nunca fui racista, não suporto quem é , e não concordo que a frase ofenda quem quer que seja. Para mim, foi escrita com profundo carinho.

6 comentários:

Mina disse...

Grilinha
As boas notícias,já dá para aliviar a tensão, e temos de acreditar que depois da tempestade vem a bonança...
Ontem tinha escrito um comentário no post anterior, que hoje já não fazia sentido, mas ele também se terá perdido no caminho looool
Esperemos que agora seja só aguardar serenamente...
Bjocas

Manuel Fernandes disse...

Desculpe-me, mas não acredito que seja muito correto afirmar "Ainda está muito ligado à mulatita cubaninha que lhe fazia a terapia ocupacional". Seria interessante que substituisse essa frase forte... (para não usar outro adjetivo!).
Sei que não o deve ter feito por mal...
Continuo a fazer força pelo sucesso de JP.

Cristina disse...

Ainda bem que tudo se resolveu!

:)

Maria disse...

Foi com muita luta, mas só assim o JP vai ter o que tem direito, boa!


Doce carinho

:)M.M.G.

Rosa Silvestre disse...

Ainda bem que assim é!
Bjinhos para ambos, RS.

Maria disse...

Mulata:
Mulher procedente de pai branco e mãe negra ou vice-versa.( definição do dicionário de lingua portuguesa online). O equivalente, no Norte de Portugal, para a palavra "trigueira".

Desculpe a invasão, mas a palavra "mulata" exprime isso mesmo, não tem qualquer conotação prejorativa e foi muito bem empregue neste seu texto. O facto de não se saber o significado das palavras, leva muita vez a juízos de valor como o do Sr. Manuel Fernanades.
Parabéns pela sua resposta!

Desejo tudo de bom nesta sua caminhada com o seu menino. Vou divulgar o seu site.

Abraço