quarta-feira, julho 15, 2009

Uma conversa recorrente

Quem me conheceu antes de ser mamã, duvidava certamente do tipo de mamã que seria. Talvez até eu própria.
Nunca me imaginaria a trocar um par de calças essenciais para mim, por umas roupinhas para o meu bebé !
Desde que o JP nasceu, muitas pessoas observaram a relação que tenho com ele e elogiam-me. Não me sinto nada merecedora. O que faço é banal. Apenas sigo o coração. Dou-lhe o amor gigantesco que todas as mães sentem pelos seus filhos. Sejam eles perfeitos ou não.
Tento dar uma boa educação. Dar-lhe armas para sobreviver o mais independentemente possível neste mundo e ser feliz. E preocupo-me em manter uma relação muito forte com ele.
Por vezes vejo pessoas "deliciadas". E que logo se lembram de me perguntar a minha idade e se quero ter mais filhos. "É que era bom para o JP. Que sou uma mamã tão boa, ia ser maravilhoso ter oportunidade de criar e educar mais crianças. "
Eu diria que se me saísse o Euromilhões, pensaria nisso já amanhã. Mas mesmo assim iria ter dúvidas. O meu coração não me chama...nem nenhum relógio biológico. Eu também acho que seria bom, mas não sinto disposição, nem qualquer tipo de energia....
Não me consigo imaginar a dar amor a outra criança.Sinto que seria uma traição para com o JP ! Como que uma espécie de "infidelidade"...
Se não tiver mais nenhum filho, estou muito bem.
Mas quem sabe a "loja" não tenha fechado ? Logo se vê se surge algum "chamamento". Para mim, é algo que não penso muitas vezes. Se pensar tarde demais...paciência. Talvez adopte.


15 comentários:

Maria João disse...

Olá,

Não será nenhuma novidade para si aquilo que lhe vou dizer, é de facto uma grande Mulher e Mãe.

Acho que aquilo que faz pelo seu filho é amor, dedicação e não mais que o nosso dever como mães.

Também tenho um João Pedro com 4 anos que é a luz dos meus olhos. Estou à espera de outro bebe que ainda não sei o sexo, o que não é importante, importante é que ele esteja bem.

Mas voltando ao seu post, percebo perfeitamente quando diz que não pensa por enquanto em voltar a ter filhos, o JP precisa de si 24 horas/dia, tenho a certeza q com o amor que tem para dar não seria dificil dividir afectos, mas o JP é uma criança especial e feliz pelas imagens que tenho visto na TV, não o prive disso, pelo menos por enquanto, continue o seu trabalho que tão bem sabe fazer.

Obrigada "grilinha" pelo exemplo de mãe que é.

Um grande beijinho para si e para o JP.

Um grande bem haja.

MJF

ClaudiaMG disse...

Olá amiga

Ser mãe é efectivamente algo maravilhoso, para o qual náo conseguimos ter palavras para o descrever. O amor que sentimos pelos nossos filhos também, é o maior do mundo, é incondicional e tem uma força brutal, mas por mais que seja dificil pensar como conseguiremos partilhar o nosso amor com mais que um filho, acredita que é possível e acredita que esse amor é todo igual, pois o coração de mãe não tem tamanho.

Um beijinho grande e um abraço muito especial para o JP

Mrs_Noris disse...

Eu costumo dizer que tenho um filho que vale por três ou quatro. E é bem verdade! ;)
Também já pensei no assunto pois acho triste não ter irmãos. Mas agora que entrei nos "enta" tenho uma boa desculpa: Estou velha para ser mãe outra vez. Serei avó, daqui a uns anitos, e vou adorar cuidar dos meus netinhos.
Beijinhos.

Anónimo disse...

Pois é, também tenho uma menina de 5 anos com paralisia (comparada com o JP não tem nada) e desde bebé que a terapeuta me dizia para lhe arranjar uma mana ou um mano pois para além de me fazer bem a mim também iria puxar pela irmã. Finalmente resolvemo-nos e a mana vem a caminho. Só tenho pena que a diferença de idades não seja menor mas acredito que mesmo assim vai ser mais uma aliada para a vida.
Vá pensando nisso...

Cristina disse...

Eu acho que conseguias gostar de outro filho de igual maneira. Claro que o JP é especial porque deu-te muita luta mas o nosso coração desdobra-se facilmente...

Bjos grandes

a mamã Paula disse...

Eu tenho dois, e o amor parece que se multiplica, se houver o tal chamamento quem sabe...

Queria deixar-te os parabéns pela mãe e mulher lutadora que és.
Visito-vos habitualmente mas nem sempre consigo comentar, pois o tempo não o permite, mas hoje tinha de fazê-lo.
Parabéns pela tua coragem e determinação, e quanto ao JP nem sei o que dizer, é um menino lindo, um lutador.

Bjs
Paula

Maria disse...

Bem "G" só tu poderás sentir que está na altura de teres mais um filhote, creio e tenho a certeza que quando decidires o JP vai ficar radiante e tu também, amor de mãe chega a todos os bébés .
Beij. especiais ao JP
beij. gordos para todos.
:) M.M.G.

Anónimo disse...

Antes de ter o meu filho eu tinha um sentimento parecido com o que descreves. Achava que se tivesse outro filho ia estar a compremeter a relação que tinha com a minha menina, que tinha (e tem) uma relação mesmo muito próxima comigo. Achava que não ia dar o mesmo tratamento aos dois e que isso era injusto para um deles (ou ambos) achava que não me podia dividir... que estava a trair os laços que tinha criado com ela. Foi com muitas reservas que resolvi engravidar outra vez e ainda por cima tudo correu de forma diferente do planeado e ele teve que ter, no início da vida, todas as atenções voltadas para ele.

Hoje em dia trato os dois de forma totalmente diferente, eles não podem nem devem (julgo eu) ser tratados de forma igual porque são tão diferentes... a minha relação com cada um deles é diferente mas o amor que sinto por ambos é igual.

O que mais me surpreendeu é que, não só a minha relação com ela não foi prejudicada, como ela tem uma relação com ele incrível, neste momento acho que o melhor presente que já alguma vez ofereci a cada um deles foi o irmão(ã), e é sem dúvida um presente para a vida toda.

beijinhos
Cristina
http://blogs.clubedospais.pt/ccsantos

Ana - www.nascerprematuro.org disse...

Com um coração desse tamanho tenho a certeza absoluta, mas mesmo, mesmo absoluta que irias também amar muito outro filhote. E o JP iria adorar!!!
Mas...(que coisa há sempre um "mas" ;-)), amar só não chega, é preciso mais umas coisitas...como por exemplo, disponibilidade, paciência e... outras!
Estás bem assim, não estás? Isso é que é importante! Se um destes dias o relógio começar a tocar, resolve-se o "problema".
Se ele não tocar...bem...ainda há a hipótese de haver algum precalço!!eh!eh!eh!
bjs de admiração,
ana

Grilinha disse...

Maria João: Por vezes é mesmo a ideia que tenho...que o ia privar de muita atenção. E que é a atenção que o faz feliz. Outras dizem-me que ele tem é atenção a mais....
Mas a vinda de uma irmão não seria para fazer bem, nem mal, nem porque já tenho 35... Devia ser porque o coração deseja...

Grilinha disse...

Claudia

Tu és um grande exemplo...mas a M. veio antes. Tiveste muito tempo para lhe dar atenção só a ela.

De qq forma, mesmo não sabendo , imagino que o coração cresce inexplicávelmente...

Grilinha disse...

Anónimo

Um irmão ia puxar pelo melhor pelo do pior do JP....
Do melhor não tenho medo. lol.

Grilinha disse...

Cristina, mamã paula, Cristininha e maria: Deve ser verdade isso que o coração é enorme e cabem lá diferente amores. Por isso é que lá raramente me surge uma dúvida.

Só mesmo por isso. sinto que tenho muito amor para dar também.
Bjs

Grilinha disse...

Ai Ana, tu não fales em precalços. Para fazer o JP foi tão fácil como respirar, e eu ando uma "despistada" ....

Isso é que eu desconfio que possa acontecer. Ou arranjo outro meio de me precaver, ou o irmão /irmã, acaba mesmo por vir , quer queira ou não !

Beijos para ti.

mother_24 disse...

Eu sou cumplice, ando novamente com a mania de trazer um mano ao puto, mas...

Só acho que se tu não tens vontade deixa lá, ser filho unico tb tem muitas vantagens!
Agora assim que sentires essa necessidade, tu avança mulher, 35 anos pá tu vê lá :D

jocas