quarta-feira, julho 22, 2009

A vida não é um conto de fadas...

Voltei a ler muitos contos de fadas desde que nasceu o JP. Foi bom reler histórias que mexeram com o meu imaginário de criança e partilhar agora com o meu menino. Porque nos transmitem tantos sentimentos positivos !
Ontem li um texto maravilhoso da não menos maravilhosa amiga Ana. Duro, mas bonito. Ela não sabia que pela hora que o escrevia começava o parto atribulado de um menino das minhas relações próximas. Não correu mesmo nada bem. Nasceu "afogado em liquido amniótico e mecónio".
Luta desesperadamente pela vida. Desesperados estão os pais.
Sou próxima da tia do menino que mora aqui muito perto de nós. Que é um anjo. Que acolhe o meu JP sempre carinhosamente e gasta 25 Euros num brinquedo para ele nos anos. E sei que é demais para ela. Digo-lhe e ela encolhe os ombros e diz: É para o meu JP...
E sofro por todos. Pelos pais que não conheço tão bem e por ela que é uma tia genuínamente boa. Neste momento os médicos só dizem que deve-se esperar para ver o que vai acontecer ...mas que é seguramente um processo que vai levar meses.
Hoje tinha pensado em escrever sobre a primeira terapeuta do JP, a Cristina. E depois sobre a querida Ana Rita que vai casar brevemente...mas ficará para outra oportunidade.
Hoje dedico este Post a esta família, rezando e desejando que a sua dor seja ultrapassada e transformada rapidamente em enormes alegrias. Que possam ler ao bebé muitos contos de fadas...que ele brinque de príncipe e de pirata....que corra tudo bem.


10 comentários:

Dina disse...

Olá,

A vida às vezes é mesmo, muito dura!!!

Desejo que tudo corra pelo melhor.

Se tiveres oportunidade de falar com eles, diz-lhes que nós estamos de mãos dadas com eles, rezando, com muita fé e muita esperança e que ACREDITEM, como nós sempre acreditámos...

Beijinhos muito, muito especiais para o bebé, para os pais e para toda a familia, que a vida lhes permita atingirem tudo o que desejarem e que nunca se esqueçam que o limite é o sonho...

Mãe Sisa disse...

Nós sabemos bem que a vida não é um conto de fadas...
Infelizmente ainda acontecem coisas destas, que nos "tiram o chão". Espero que esta família tenha a força necessária para enfrentar aquilo que for preciso.
As minhas orações também estarão com eles!
O texto da amiga Ana é LINDÌSSIMO!
Abraço bem forte

carmo pinto disse...

realmente ...até doi...
espero do fundo do coração que tudo acabe em bem...
um beijo bem grande para essa familia...
jitos pa voces

Luz de Estrelas disse...

Tb rezarei por eles, querida.

Anónimo disse...

O texto está da amiga Ana está muito bem escrito, nós passamos a vida a planear e sonhar como vai ser, a dar importancia ao que às vezes não tem, e depois a vida prega-nos uma partida.

Desejo que corra tudo bem com esse menino e que os pais tenham a resiliência suficiênte para não se deixarem ir a baixo.

Beijinhos
Cristina
http://blogs.clubedospais.pt/ccsantos

ClaudiaMG disse...

Bem acho que todas nós que temos em mãos crianças muito especiais ficamos sempre sensibilizadas com este tipo de situações, mais ainda quando são passadas com pessoas próximas de nós.

Só posso desejar muita força, muita fé e muita esperança a essa família e rezar a Deus para que lhes dê a força necessária para enfrentarem o dia-a-dia.

Beijinhos grandes para vós

Maria disse...

"G" que Deus carregue em seus braços este bébé e seus pais, pois ele tudo pode, nós sentimos sempre uma dor imensa, quando acontece estes acidentes, neste momento só podemos rezar por este bébé e sua família, e desejar que tudo corra da melhor forma.

:) Beij. gordos ao JP e para todos vós
M.M.G.

Magnólia disse...

Desejo que tudo corra bem para essa tua amiga. Eu acredito sempre numa solução e que muitas vezes o que clinicamente é previsto pode não ser exactamente assim.

Um beijo

Vanessa disse...

Também estou a torcer que tudo corra pelo melhor.
Beijinho grande aos pais. Que tenham fé!

Nala disse...

Cada um de nós, vai aprendendo ao longo da vida, que os contos com final feliz e contos de fadas são das fantasias dos nossos filhos. A nossa realidade é bem diferente.
Antes, já sofria pelos outros. Depois de ter perdido a R, sofro muito mais, porque descobri uma dor diferente de outras que já tinha tido na minha vida. E este tipo de dor faz a diferença.
Sofro por ler este post, mas rezo muito para que esse bébé lute e viva sem sofrimento e a ouvir muitas histórias com um final feliz...
Um abraço forte