terça-feira, agosto 18, 2009

Acordei a pensar nesta história de vencer batalhas...

Que se não fosse tanta gente boa, não estaria à espera de receber a cadeira e não estaria agora a contar os dias cheia de entusiasmo. Nem teria ido a Cuba...nem teria tanto ânimo que por vezes falta e as palavrinhas e acções de encorajamento ajudam tanto !

Pessoas anónimas seguidoras do blogue, amigos pessoais, em especial a mamã Sisa, a Cláudia e a Ana e também a mamã do Dinis (que também precisa da nossa ajuda), à Rita M. C., Andreia da TVi 24, ao Nós por cá, à agência Lusa, ao Correio da Manhã, JN e ao Diário Digital, mas a juntar a esta lista tenho muita gente que reecaminhou o mail da petição (peço desculpa a quem não mencionei). Alguns que nem conheço realmente bem, mas não dúvido que torçam muito por nós. A todos que assinaram a petição (8500). A mais uma vez o Colégio do Cantinho que até na festa da escola divulgou o endereço da petição.

Cada vez fico mais feliz com a sorte que me calhou na minha escolha. Infelizmente talvez este seja o último ano por ali.

É provável que para o ano vá para a escola pública. Mas isso , mais tarde se verá (agarrem a vaga que vale ouro !!!). Um dia de cada vez...

À mamã Vanda que me deu a noticia que já tínhamos chegado aos 7500. A Amorinha que colocou posts de divulgação nos fóruns. Tantas e tantas mamãs e papás da escolinha do meu filho...

A mamã Sisa destacou-se na divulgação, mas está a passar pelo mesmo que nós (também está à espera de uma muito parecida, mas continua sem resposta...) . Resta-lhe juntar 30 toneladas de tampinhas, já que a segurança social de Mira Sintra nada diz. Nem se compromete. Revolta-me.
Vamos ter mais ideias para ajudar o Principezinho, grande amigo do meu JP ? Não me consigo sentir feliz pensando que ainda há gente injustiçada. Pensei que em divulgar esta situação pudesse fazer mais do que ajudar-me a mim própria. Disse na reportagem do Nós por cá tudo o que sabia de outras pessoas a passar pelo mesmo, mas isso não passou, pois o tempo era curtinho...
Acordei também a pensar que este desejo tão grande de possuir a dita cadeira até me fez esquecer o choque que vai ser ver o meu filho sentado numa cadeira já muito reveladora da sua condição.

Mas que interessa realmente isso, se ele é feliz, tem uma vontade de ferro e a cadeira vai contribuir para a sua melhoria geral?
Os médicos em Cuba disseram-me já depois de conhecerem a personalidade do JP : Mamã...aqui ou em Portugal, dê oportunidades a este menino. A sua recuperação será sempre difícil e lenta, mas a sua vontade é algo verdadeiramente incrível. Vale mesmo a pena dar-lhe todas as oportunidades, porque ele bem faz por merecer...

Para mim, FOI UMA ORDEM !!! Espero estar à altura.
E agora, ajudam-me a ajudar os nossos amigos ? A união faz mesmo a força e o nosso Príncipe precisa de nós !!! Ideias solicitam-se !!!
Adenda: Na foto é a mamã sisa abraçada ao seu Joãozinho !!! E estão lindos.

12 comentários:

Tita disse...

Um xi grande grande em vós!

Paulo Rosa disse...

Não consigo deixar de me emocionar ao ler estas palavras... o sorriso dos nossos meninos, as suas conquistas são a força que nós precisamos para continuar a acreditar.

Vânia e Mariana disse...

Um beijinho mto grande,

Sara disse...

Olá Grilinha! Não prometo que tenha alguma ideia brilhante...mas vou tentar!!

Beijinhos

Grilinha disse...

Mais uma petição ?

Tenho receio que se confunda com a anterior (que já não aceita mais assinaturas) mas não a consigo sequer retirar ...

E que tal uma série de mails, mandados por muitas pessoas diferentes para o MTSS (ministério do trabalho e segurança social ) ??? Quantos mais mails iguais receberem mais percebem a divulgação ?

Vanda disse...

Olá Grilinha.
Não sou grande coisa de ideias, mas sou empenhada...na petição pública não "descansei" enquanto não chegámos lá. Vivi essa batalha como se fosse minha, a acompanhar minuto a minuto e a ansiedade a aumentar. Houve momentos em que também eu esmoreci a pensar que não chegávamos lá, mas quando chegámos as 3500...achei que nada nos faria parar. Foi com enorme satisfação que lhe dei a notícia. Para o que for preciso, contem com a família Garcia.

Mina disse...

Grilinha

Eu tenho andado a recolher tampinhas, e se houvesse uma empresa que se disponibilizasse a fazer a recolha, em várias cidades, era num instante as 30 toneladas,podiasse pedir a comunidade em geral, as escolas quase sempre apoiam essas iniciativas.
Quanto à tua ideia dos emails, talvez, fazendo um email guia e pedir o reencaminhamento, que ninguém melhor que vós para poder explanar o assunto.
Por último, porque não organizarem uma caminhada, onde cada pessoa contribuisse com uma quantia...
Não são ideias originais, mas tudo já foi descoberto.
Se aparecer por aí outro coment deste genero publica só um, que eu não sei se outro foi xD, e estou quase a repetir loool
beijocas

Grilinha disse...

Mina: não tenho nada contra recolher tampinhas. Só Acho que o estado, na figura da segurança social está escandalosamente a demitir-se das suas funções e não podemos deixar. Hoje são os Joões, amanhã podemos ser nós a precisar de um aparelho auditivo que tb custam largas centenas de contos...e pensamos assim : porque é que descontámos? Se não tivesse descontado tanto, durante estes 12 anos de trabalho, já teria comprado várias cadeiras....
Não me importo de andar a pagar subsidios de desemprego e rendimentos minimos. Mas quando preciso da segurança social, tb exijo ter direitos que estão na constituição mundial e Portuguesa.
Tem de funcionar. Entendes ?
Temos de obrigar a funcionar. Reclamando os nossos direitos. Está na lei.
As vezes ser solidário demais é o que estar fica à espera para se demitir das suas funções. Não pode ser...

Grilinha disse...

repito: ser solidário demais é o que o estado fica à espera, para se demitir das suas funções. Mas isso não pode ser. Cidadãos deficientes não são cidadãos de segunda. Mas obrigado pela tua tão boa vontade. Sabemos que podemos contar contigo.

ASSOCIAÇÃO DE AMIGOS E PAIS DA CRIANÇA COM DOENÇA CRÓNICA disse...

Se você quer vencer, não fique olhando a escada. Comece a subir, degrau por degrau, até chegar ao topo.

Quando perder, não olhe para o que perdeu, e sim para o que ainda existe por ganhar.

Use a sua imaginação, mas não para se assustar, e sim para se inspirar e alcançar o imaginável.

Se não sonhar, nunca encontrará o que existe além dos seus sonhos.

É duro fracassar, mas é muito pior não haver tentado.

Magnólia disse...

Amiga,

Vou tentar juntar tampas.
Espero que esteja tudo bem.

Um beijinho
Joana

Maria João disse...

Estou demasiado emocionada, para conseguir escrever algo.

Apenas me ocorre dizer-lhe:
- UM GRANDE BEM HAJA.

Um grande mimo para o João Pedro.