segunda-feira, maio 21, 2012

É pena

às vezes verificar que as pessoas se levam muito a sério, remoendo situações, ficando cheias de sentimentos negativos que transmitem para todos e até para os filhos.

Tento sempre que o JP não seja assim e que o Rafael também não. Nós não damos demasiada importância ao que realmente não tem.
Perdoamos e tentamos não nos encher de quaisquer sentimentos de ofensa. Quem nos aprecia, quem nos quer, realmente aparece, liga, mima e está para nós. Se não quer, também não faz mal. 
Nós nem levamos a mal. Preferimos estar com quem quer. 
Preferimos conviver com pessoas de bom e grande coração. Corações cheio de amor, de entendimento, de perdão.

Há mal entendidos que podem ser tão penosos para nós se os alimentarmos.
Alguém amigo passa por algo assim. Às vezes não conseguimos evitar os mal-entendidos, apenas a forma como reagimos a eles...

Nunca vou esquecer  quando escrevi más coisas neste blogue sobre um pequeno incidente na festa do colégio do JP que há muito apaguei.  Magoou-me porque estava vulnerável e a seguir eu magoei quem eu gostava e tanto gostava  e acarinhava o JP. Cheguei a pensar mudar de escola, no calor da situação. Depois percebi que tinha sido um tremendo mal-entendido. Na altura pedi desculpa, temendo nunca ser desculpada. Mas sei que fui. A pessoa também me pediu desculpa mas nunca tinha havido má intenção. Apenas algo normal. E hoje ainda somos grandes amigas...
E estou contente por terem tido esse grande coração. 
Foi o colégio que ajudou o JP a ir a Cuba nas 2 vezes. Sempre tiveram os braços estendidos para nós e lá deixámos muitos amigos. Porque ambas as partes esqueceram os erros e mal entendidos e seguimos em frente, construindo uma relação tão rica. O que tinha perdido se tivesse sido diferente. Como estou contente de ter sido assim. 
Espero conseguir fazer que o JP seja uma pessoa de coração limpo de rancores que não se leve demasiado a sério.

5 comentários:

Helena Barreta disse...

Pior do que errar é não admitir que se errou, que nos equivocámos e que se calhar falámos antes do tempo. O rancor deve ser dos piores sentimentos.

Deve ser quase impossível o JP e o Rafael não terem o coração limpo de rancores, as crianças tendem a imitar o que vêem nos pais.

Um beijinho

Flor Guerreira disse...

Não sou de rancores...mas quando vejo que não querem estar connosco sigo em frente e procuro quem se diverta comigo como eu com eles!

Mina disse...

São tão aborrecidos os mal entendidos.
Mas quando se resolvem e esclarecem até podem fortalecer.
Saber perdoar é uma virtude e pelos vistos tinham na as duas beijinhos.

tens de me explicar como se vota na mãe blogger, pode enviar por mensagem:-)
Esta semanita vou estar ausente espero que não acabe já a votação.

Anónimo disse...

É verdade, acabamos por relativizar os assuntos com pouco conteúdo e só damos importância aos que realmente merecem.
Parabéns pela força e coragem de teres mais um filhote lindo...
Gostava de ter essa força, um dia quem sabe...

Jinhos tudo de bom
Patrícia e Rodrigo

Anónimo disse...

É verdade acabamos por relativizar os certos problemas que outrora era problemas e agora não têm esse carácter. Damos muito mais importância aos que realmente importam.
Que força e coragem, parabéns pelos filhos lindos...

Jinhos
Patrícia e Rodrigo