segunda-feira, fevereiro 22, 2010

A sensibilidade que me faz sofrer

A minha ânsia de viver feliz cada dia como se fosse o último, é tantas vezes derrubada por acontecimentos que não controlo, mas que não sou, nem quero ser indiferente. Os mortos na ilha da Madeira, brutalmente apanhados pela natureza. O Sr que o vi estendido no alcatrão, vítima de atropelamento, sofrendo uma reanimação de um polícia. Um senhor que se atirou da Ponte 25 Abril no exacto momento que eu passava. Um jovem no meio da estrada com um lençol branco por cima, e a sua mota metros atrás....
Sempre penso no sofrimento das famílias. Sempre penso que há algures, uma esposa, uma mãe, um filho....que irão sofrer. E a ânsia de aproveitar o dia...desvanece-se na tristeza dos outros. Depois ergo-me. Tem de ser. Mas nunca esqueço. Fica um abraço por dar...a quem dele precisa.

2 comentários:

Docinho disse...

Sem palavras...
Sabes... digo muitas vezes... NUNCA temos tempo para nada... às vezes desmarcamos um almoço com amigos por causa de trabalho... mas quando alguém morre... desmarcamos TUDO para ir ao funeral?

Não valia mais o tal almoço?

: (

Paulinha disse...

Bolas...

Assino por baixo do comentário da Docinho, pode ser?!