segunda-feira, outubro 17, 2011

Confiar e exigir (com paciência)

Fazem-me sentir muitas vezes "ingénua" por confiar no meu filho.
Vem de todo o lado incluindo de alguma família mais próxima que não o conhece tão bem. 

Quando o JP era muito, muito bebé, eu não tinha a certeza absoluta que qual era o nível de entendimento dele. Deveu-se também em parte a ser uma mãe inexperiente sem ponto de comparação. Parecia-me tão esperto...mas seria como eu achava? Afinal uma mãe é sempre suspeita...
Mas todas as outras pessoas (experientes) que contactavam com ele, teciam enormes elogios. E acabei por confiar. Foi a última vez que hesitei.

Mais tarde, tive vários comentários, que me alertavam para o facto da leitura e da escrita ir vir a ser muito complicado para ele devido ao facto de não verbalizar. Que me preparasse... Mas eu confiei. E não foi. 
Claro que também foi estimulado para prevenir e hoje está óptimo nesse campo. 
Está até à frente dos meninos da turma. Pelo menos, neste momento. 

Agora, sinto alguma desconfiança das pessoas sobre a sua maturidade para levar a sério as actividades.
Mas eu confio nele. 
Sim, a maturidade pode levar talvez algum tempo, mas em primeiro lugar temos de o responsabilizar e acreditar que ele a vai ter. Temos de ir "forçando a barra". 
Não sou a única mãe "especial" nesta situação. Conheço outros casos. 
Sei de mães que agem exactamente como eu, mas também sei de casos em que acreditam em tudo que dizem, acabam por "meter o rabinho entre as pernas" e deixar as profecias concretizarem-se...
Como mãe, não tenho dúvidas que se o tratarem como crescido que é, e se exigirem o que exigem a todos, o JP vai acabar por corresponder às expectativas. 
Tem sido a minha maneira de agir. Acreditar nele e exigir. Sempre. 


8 comentários:

Mocas disse...

acho que o 1º ano, para eles, é sempre um "choque". têm que estar "parados" mais tempo do que o habitual, aprender a estar atentos a coisas nas quais, às vezes, não estão muito interessados. no ano passado o rodrigo perguntava-me muitas vezes porque não podia simplesmente brincar. por mais maduros que sejam, são ainda muito pequenotes. dá-lhe tempo :)

Grilinha disse...

Obrigado pelo teu comentário, Mocas. O JP ainda pede para voltar à sala do Jardim de Infância....opss.... Beijinho.

Atena disse...

Apesar do medo que nunca me deixa descontrair a 100%, a minha postura com o meu filho, é a de acreditar... acreditar que é possivel. Graças a muitos factores que não estão na minha mão, as coisas têm corrido bem! Se não lhes dermos a oportunidade, nunca vamos saber e estamos a limitar-lhes os horizontes. Não é nada fácil, mas é um caminho... (para mim, o único). abraço grande
Cristina

Helena Barreta disse...

Quanto a mim, a sua maneira de agir é correcta. Sabendo das capacidades do seu filho é sensato acreditar nelas e exigir que faça e dê sempre o seu melhor.

Eu também acredito nas capacidades do JP e não me canso de lhe elogiar a capacidade de trabalho, por isso vejo a exigência como normal e que só vai dar bons frutos.

Um beijinho

ClaudiaMG disse...

Helena existe um tempo para tudo e acredito que esse tempo está a chegar, por vezes estamos a falar de dias para o "click" se dar!
Como tu descreveste até hoje todas as tuas decisões foram as mais acertadas, pois confiaste no teu filho mesmo quando as situações eram as mais adversas.
Por isso mais uma vez confia, deixa o teu instinto de mãe funcionar e tudo irá correr pelo melhor.
E claro que não podemos esquecer que o primeiro ano é um grande passo na vida de uma crianças e elas precisam de algum tempo para se habituarem.

Beijinhos grandes

Tita disse...

Sabes o JP tem muita sorte em te ter como mãe! Muita mesma. Sim porque és uma mãe muito mais que especial!!
Um xi grande

Romantica disse...

Acredite sempre no seu filho!! Eu faria o mesmo!! Uma das coisas que me diziam quando estava grávida e que hoje dou muita mas muita razão é, ninguém melhor do que uma mãe para conhecer o seu filho!! esta é uma grande verdade!! Confie sempre no JP ele é uma criança adorável pelo que leio aqui!! Confie confie confie e ele próprio vai acreditar!!

Mocas disse...

pois, o rodrigo tb pedia :D