terça-feira, novembro 22, 2011

Maternidade atípica

Já muitas vezes ouvi dizer que os pais são mais condescendentes com os segundos filhos do que aquilo que foram com os primogénitos. O grau de exigência diminui, etc, etc...
Pois, mais uma vez, sinto que serei uma mãe que vai contra a regra. 
Já tive de tirar "um mestrado" em disciplina" e vai ser difícil esquecer.

Na percurso da descoberta da melhor forma de educar o JP, tenho ido constantemente contra as regras. Ou melhor, começo por segui-las e depois percebo que não se aplicam ao JP.
A tranquilidade e a paciência estão muito enraizadas em mim. Sempre me imaginei uma mãe tolerante e acho que durante muito tempo fui essa mãe. Mas ao fim de algum tempo, percebi que o JP, tinha a inteligência de um menino normal, com o habitual mimo e condescendência que os meninos especiais têm. E isto consegue ser uma mistura "explosiva".

Para dar um exemplo, nunca vi um livro ou manual que não dissesse para desvalorizar os "descuidos" das necessidades fisiológicas (para evitar a humilhação e o trauma).  Pois eu sei, que só acabei com eles, quando apliquei consequências, porque muitas vezes duvidei que fossem descuidos. Pareceram-me alguns bastante propositados. E resultou. Não me senti feliz e contente, mas foi a nossa maneira. Porque mais nenhuma resultou.

E hoje mais uma vez, de manhã, dei por mim, a dar os conselhos que poucas mães devem dar na escola: "por favor, apliquem consequências quando ele se portar mal". 
Soa horrível, eu sei. Mas só quem mora no convento sabe o que lá vai dentro.

6 comentários:

Mãe ao quadrado disse...

Sempre achei q os manuais nunca foram regra geral para ninguem, só quem sabe os filhos q tem em casa poderá julgar, e concerteza se tu chegas-te a essa conclusão foi porque tiveste provas disso! o importante é saber educá-los, muitas mães floreiam muito os filhos e no entanto em casa se calhar fazem o mesmo!!

jokas

Mara disse...

Eu sou mais condescendente numas coisas e outras mais disciplinadora. Por exemplo o Diogo quando chorava à noite acabava sempre por ir dormir para a nossa cama. Os gémeos nunca tiveram essa sorte, chorem o que chorarem. O Diogo tinha que comer tudo o que estava no prato, nem que demorasse a tarde toda, com estes comem o que quiserem, na próxima refeição comem melhor... Eu acho que depende da situação, da disposição, do cansaço... Em Janeiro logo vês como vai ser:)

Bjs
Mara

Helena Barreta disse...

Não me soa mal o conselho que deixou na escola, muito pelo contrário.

Sou tolerante, disciplinadora e condescendente, sou justa e intolerante com faltas de respeito e de educação. Ensinei e eduquei o meu filho com liberdade e responsabilidade, sempre lhe mostrei que só não lhe tolero faltas de respeito.

Sou de opinião que os comportamentos menos próprios não devem passar impunes.

Um beijinho

Grilinha disse...

Helena: é mesmo isso que quero dizer. Tenho imensa paciência, mas faltas de respeito não são comigo...
Ainda bem que concorda.

Mara: não quero imaginar essa trupe toda a dormir na caminha dos pais, lol. Ainda bem que foi diferente com os gémeos...

Mãe 2: É mesmo...os manuais temos de fazê-los nós..eheheh...beijocas

sandra disse...

Eu sou uma pessoa muito disciplinadora e luto pelo respeito ás regras. Sei que as crianças necessitam de limmites, mesmo as com necessidades especiais. Mas também devo dizer que sou um pouco mais flexível com as quatro do que fui com a Clara. Tem momentos que vira uma contra quatro e aí minha posição é bem difícil. Mas no fim tudo dá certo e as consequências tem que ser sofridas. Na vida não há ato sem consequencia, então temos o dever de mostrar isso para nossos filhos. Tem momentos que dá mais vontade de fingir que não vemos, como sempre digo, educar é muito cansativo, mas vale a pena. Você está no caminho certo!!!
Beijocas!!!! Sandra

Mina disse...

Disciplina e amor podem andar de mãos dadas...
Eu sou demasiado condescendente, e acho que no segundo filho temos é mais tranquilidade.
bjinhos