quarta-feira, outubro 31, 2012

38 semanas + 5 dias

O meu Rafael nasceu pelas 38 semanas e 5 dias. E esta semana completou 38 semanas e 5 dias fora da minha barriga. 
Nós muitas vezes nos desiludimos quanto sonhamos muito com algo, mas o Rafael foi exactamente oposto. Nunca na vida consegui imaginar na minha cabeça um bebé tão querido como ele. 

Encheu as nossas vidas de cor e alegria. Veio completar o nosso lar, dar e receber amor do mano, dos pais e até do nosso gato.

Nos últimos meses tenho sido principalmente mãe. Mãe destes 2. E apesar de gostar de o ser, sei que não é tudo para mim. Já fui e quero continuar a ser mais. 
Recomeçar a vida profissional na área que trabalhava. Como gostava do que fazia... porém não tem sido nada fácil.
Mas os sonhos perseguem-se e em último caso, se nada resultar, têm de ser construídos da base.
Já ultrapassei desafios que considerei muito piores, nomeadamente a fase em que estive doente.
E aproveita-se o que se tem...

Manter o ânimo e não desistir...(digo para mim própria vezes sem conta)...



segunda-feira, outubro 29, 2012

Fiz tudo certo ?

Por vezes dou por mim a reflectir se todas as opções que tomei na minha vida foram acertadas. 
Quando tinha dúvidas, perguntava, investigava e depois decidia,  sempre segundo o meu coração.

Não há muito por onde me arrepender. Fiz tudo o que tinha a fazer.  Se tivesse possibilidades, ainda hoje faria mais pelo JP. 
Se bem, que nesta fase, em que ele já tem os seus interesses, seja muito mais difícil. E com menos frutos.

Sinto-me em paz com a sensação de ter dado tudo por tudo. Os primeiros 6 anos são determinantes e nós trabalhámos como loucos. E por isso, sempre aconselho os outros pais a fazer o mesmo.
Hoje, olhando para o que ele alcançou na parte motora, vejo que fica bastante aquém do que eu sempre sonhei e tanto trabalhei. Fico triste, com uma sensação de frustração. Falhei ? Poderia ter sido diferente? A dúvida pairará sempre no ar.
Mas de alguma maneira sinto a consciência bastante tranquila. Valha-me isso. 
Continuamos a lutar mais devagar. Mas não desistimos.

Curiosamente ele é um menino muito pouco preguiçoso para a parte física. Dá muito nas terapias e tem uma enorme preguiça no que é bom- na escolinha.

Somos como somos


Não há a mínima dúvida que estou a aprender a ser mãe de uma maneira totalmente diferente. O Rafael já praticamente faz tudo desde os 8 meses. Percorre a casa toda, gatinha, põe-se de pé e chega a muitos lados, anda agarrado às coisas, mete o "dedinho"na tomada. Não me dá um segundo de tranquilidade. 

Tento fazer algumas coisas que adorava fazer com o JP (e ainda adoro), como seja ter um momento sossegado a ver figuras e a ler um livro adequado mas é muito difícil. 
Obviamente, estar a olhar para um livro, para um miúdo activo como o Rafael, sem o trincar e manipular, não tem piada. Resumindo, estar quieto, não tem piada, ponto final.

Nessas alturas penso sempre, que o JP é de facto muito diferente. Mas com escassos meses tomava uma atenção incrível, olhando para as figuras, absorvendo a história. Muitas pessoas ainda hoje pensam que por ele não olhar directamente pode não estar a prestar atenção. Errado. Há poucos pormenores que lhe escapam.

Se Deus fecha uma porta, abre uma janela. Acredito nisso. Talvez ele possa explorar essa sua capacidade.


quinta-feira, outubro 25, 2012

Dias da treta

Há aqueles dias na nossa vida que não só não acrescentam nada, como só desejamos que passem depressa e nunca mais lembrá-los. 
No domingo o papá grilinho teve um desses dias. Vomitou todo o dia. Tínhamos todos comido o mesmo. Disse logo que devia ser um vírus. Não tocou mais nos pequenotes.

Ontem, era o meu aniversário. Nada de especial programado, a não ser partir um bolinho aqui em casa, depois de cantarmos os parabéns com os putos. O pai ainda nem estava restabelecido.
Acordei pelas 5 da manhã...sensação terrível. Estava muito mal disposta. Lá se repetiu o filme, pelo qual passou o papá. Mas pensava "antes eu, que algum dos miúdos". E consolava-me com esse pensamento.
Despachei o JP que não queria ir à escola. Por ser aniversário da mamã, queria ficar em casa. Todos juntos em festa. 
Mas não havia festa nenhuma. O pai ia trabalhar. Eu ia tentar tomar conta do Rafael como conseguisse. E já ia ser uma "tarefa" das grandes.

Quando o JP voltou da escola pelas 15.30 h, percebi logo o pior. Vomitou na escola e continuou a vomitar em casa. Dei-lhe banho (o que me custou, raios...), dei-lhe chá e deitei-o a ver televisão. Adormeceu e o Rafael também. Eis que depois da sesta vi que o Rafael também não estava bem. Recusava-se a comer, eram gases constantes e gritos não habituais. Não gatinhava, só queria colo e mais colo. Mais um doente. O pior dia do ano, sem dúvida. E era o dia dos meus anos. 

Em meu socorro, veio o papá, ainda não restabelecido e lá ficámos os quatro doentinhos aqui em casa enquanto trovejava lá fora (e o JP tem imenso medo da trovoada).  No fim, porque somos cromos, colocámos as velinhas "39" em cima de um bolinho improvisado, cantámos os parabéns, com a avó a assistir pelo skype, registámos em vídeo e pronto.
O Rafael antes de dormir já estava melhor. Pode ter ajudado ter levado a vacina do Rotavirus...
O JP, picou-nos os miolos porque queria chá (na cabeça dele o chá cura tudo) o tempo todo. Foi um alívio quando fomos dormir. 
Hoje, a 25, estamos os 3 de molho, por casa, a ouvir a chuva lá fora. Por vários motivos, já não andava muito a gostar desta história de fazer anos. Este ano deixei de fazer !!! Fico-me por aqui :)


domingo, outubro 21, 2012

Educação para os afectos

O JP gosta da sua nova auxiliar. 

Quando chega da escola à tarde é frequente pôr os mails em dia. É giro como já mantém as amizades, escrevendo várias vezes por semana a saber das pessoas que mais gosta. 
A Lena (antiga auxiliar) é uma dessas pessoas.  Ela perguntou-lhe como se dava com a nova e ele disse que se dava bem e gostava dela. 

No dia da última consulta de neuropediatria, fez um inquérito completo à sua médica, que esteve muito tempo afastada de nós, (gravidez de risco e pós-parto) . Ela teve uma enorme disposição para conversar com ele. 
Disse-me até que as angústias que o JP já demonstra nesta fase, são muito precoces e não é comum começarem tão cedo. No fim ele pediu-lhe o mail e ela deu com muito gosto. Quando chegou a casa,  escreveu-lhe dizendo que tinha gostado muito dela.

(Ainda) tenho dias

que preciso de muito colo...

quarta-feira, outubro 17, 2012

Entre os meus dois amores (o loiro e o moreno)


Os dias vão passando e nada de especial acontece. Por vezes tenho a sensação de ser invisível.

O Rafael, pelo contrário, tudo acontece com ele. Já se aventura de pé, de um móvel para o outro. É incrível o desenvolvimento deste rapaz. É um regalo observá-lo por horas. Aproveito este privilégio de observar o seu crescimento dia-a-dia. O tempo passa depressa só de cuidar dele. Os filhos são mesmo as nossas âncoras à vida...
O Rafael dá em morder tudo e todos. Tem os dentinhos de cima a romper. Mas também já sabe dar festinhas. 

O JP está crescido. Revejo-o tanto nas atitudes sociáveis e sedutoras do Rafael, nas gargalhadas iguais, no sorrisinho malandro. Perdi um bebé, mas ganhei um crescido lindo e ganhei outro bebé. Foi um bom balanço. Sinto-me perfeitamente realizada nesta faceta da minha vida. 

Quanto ao restante sei que tenho de ser paciente...muito paciente. Eu sou aquela optimista incorrigível que ainda acha que tudo vai melhorar. As coisas acabarão por entrar nos eixos. É preciso não baixar os braços, trabalhar para isso e ser perseverante. Comigo nunca nada caiu do céu. Tudo é muito suado e  difícil.


segunda-feira, outubro 15, 2012

Já temos a nossa auxiliar

Chegou na sexta feira e estamos mesmo contentes. O JP fez-lhe o inquérito da praxe, se era casada, se tinha filhos, quantos, nomes, carro que conduzia, matrícula (sempre as matrículas) e ainda acredito que o inquérito dure mais alguns dias.
Eu só a vi por breves instantes e abençoei a diversidade do ser humano. Tem uma cara fresca, inspiradora, alegre. Bem diferente da senhora que lá tem estado, graças a Deus.  Se a impressão se mantiver, acho que pode ser uma pessoa que o JP goste e que o influencie de maneira positiva. Vamos ver se corre tudo bem.

quarta-feira, outubro 03, 2012

Mentalidadezinhas II

Na segunda feira fiquei logo a saber que o JP tinha uma nova auxiliar. Assim que chegou a casa, o JP contou-me tudo.
A "nova" auxiliar (que estará só por alguns dias), ficou com medo de ter de dar o almoço ao JP.
Explicaram-lhe que não é comum o JP engasgar-se. Mastiga sólidos bastante bem. O equivalente a uma criança de 3 anos. Mas até come uma boa quantidade.


Mas consta que ela chorou por saber que o teria de fazer.

Assim, de repente, o JP deixou de ser uma criança adorável para ser "um bicho-papão"...

Mentalidadezinhas I

O JP tem ido todos os dias sem excepção à escolinha. As condições são precárias. Continuam sem auxiliares. 
Curiosamente este é o único agrupamento do concelho nesta situação (agrupamento de escolas Dr António Augusto Louro). Recorre sistematicamente a funcionárias mandadas pelo centro de emprego (por isso precárias e não formadas), para colocar como pessoal auxiliar nas unidades de multideficiência e acompanhamento de meninos como o JP  e manda as efectivas fazer limpezas e trabalhos menos qualificados. Têm todas as 3 unidades fechadas nesta altura.  Os meninos estão em casa. Não vão à escola e os pais não podem ir trabalhar. Isto é pura exclusão, discriminação. Uma vergonha !!! Questiono fortemente a política de inclusão deste agrupamento de escolas e nesse sentido juntei-me com outros encarregados de educação para dar início a um processo para resolução desta situação. Todos os pais concordam. A maioria deslocou-se para vir assinar papeis e conversar.
Alguns (poucos felizmente), não mexem uma palha, não arranjam um minuto para assinar um papel,  não perguntam, não chateiam ninguém mas dizem "Espero que consigam...precisamos mesmo".
Exacto. É isso. Obrigado e deixem-se continuar sentadinhos no sofá. Haverá sempre alguém que vos virá tratar dos assuntos enquanto vocês aplaudem cómodos, serenos e agradecidos...