sexta-feira, março 12, 2010

Queria ser uma fada mágica...

Quantos livros de psicologia já devorei à socapa na Fnac, ou que trago da biblioteca. Educar uma criança com inúmeras frustrações não é fácil. Se não fosse inteligente, aceitaria mais pacificamente. Mas o JP revolta-se e tem atitudes de agressividade.
Por outro lado é um doce. Um miúdo que não tem grandes carências emocionais, gosta de ir distribuindo sorrisos e ir-se apaixonando pelas meninas. Há meninas que não o deixam entrar pelo portão sem dizer: "dá cá um beijinho, JP". E agarram-se a ele...
Elas e eles são a motivação para colaborar mais nas actividades diárias. Fazem-no sentir aceite apesar das diferenças.
E eu, em casa, muitas vezes tenho de ir já, gerindo algum desconforto por ele não conseguir ir ou chegar onde quer. E nós não conseguimos, nem devemos estar 100 % à sua disposição. Esta parte doí. Doí mesmo.
A educação é um desafio que vou aprendendo a lidar e a estar à altura. Trato-o muito normalmente e converso francamente sobre algumas limitações, deixando a porta da esperança sempre aberta. Mas na gestão desta fase, as feridas que ficam no meu coração, são difíceis de sarar. Ele escuta, sério e com uma expressão aliviada por lhe explicar tudo.
Quem me dera ser uma fada mágica....

7 comentários:

Mina disse...

Grilinha
Todas, nós gostariamos de ter uma,
varinha de condão...
E não era para mudar os nossos filhos...
Mas para mudar os olhos de quem os vê...

Ainda, e desculpa o ainda, estás na fase doce da beleza e inocência infantil...
(lá estou eu com o meu mau feitio)rss, mas eu sei que tu entendes,e até já estás preparada.

Vai continuando à socapa a ler, mas o melhor livro é mesmo o da tua, nossas vidas, que vamos escrevendo diáriamente com a realidade vivida...

Pronto para não te zangares comigo rsss, também podemos fantasiar um pouquinho ihihihi
bjos e bom fim de semana

Anjos disse...

Olá minha querida "Grilinha!
Um dia também eu pedi uma varinha mágica porque queria tanto inverter o diagnóstico...fazer com que fosse um engano...queria a cura e quero...mas quero-a já...para depois podermos viver todos os anos tranquilamente e felizes! Aos poucos fui entendendo que as coisas demoram muito mais do que desejado...que Deus se esconde e temos que andar à sua procura...enfim...labirintos de emoções que ora aparecem ora se escondem...e lá vamos nós desejando quebrar esta impotência...esta dor com contos de fadas...e varinhas mágicas!Mas a fé...move montanhas...por isso nunca deixes de sonhar!
Queria te pedir se posso partilhar na minha página do Facebook a tua escrita, o teu cantinho...porque o acho tão sublime que penso que muitos outros gostaram de o conhecer!
Beijinhos
Silvia

Paulinha disse...

Ensina-me como...

Bom fim de semana!

Grilinha disse...

Mina: Tu e o teu humor acutilante....adoro-te !!!

Anjos: sente-te à vontade para partilhar...eu partilho o que quero...para todos os que se interessarem...
Já agora queria-me ligar no facebook. Que tal mandares-me o mail ??? Beijocas

Paula: ensinava-te....se soubesse.

Dulce Bregas disse...

Também eu temo o dia em que o Francisco me vai confrontar com a pergunta:"eu sou diferente?"
Ele distribuiu beijinhos como se não houvesse amanhã,19 meninos,4 adultos,e depois pelo corredor vai dando e recebendo beijos e abraços...afectuoso como nunca vi.Mas a inteligência deles às vezes ajuda,outras corta-nos o coração...mas temos algo de fadas mágicas sim!Transformamos as mágoas em barreiras ultrapassadas,logo em vitórias!beijinhos,e Bom fim de semana!

ClaudiaMG disse...

Amiga por mais livros que possamos ler, os mesmos nunca nos ensinam a lidar com o mundo real, com a nossa realidade.
O nosso melhor livro é mesmo a nossa vida, que a vamos construindo aos poucos e poucos e o melhor que sabemos.
Imagina se soubessemos tudo à partida? Provavelmente a vida não teria o mesmo gosto não achas?
Educar é uma tarefa dificil e por mais que nos preparemos a nós e aos nossos filhos, na realidade nunca estamos devidamente preparados, mas isso faz parte não é?
Beijinhos grandes

Travessa disse...

Olá Grilinha,
o meu marido tem uma prima com um problema de atrofia muscular, nunca andou e a mobilidade dela é muito reduzida, mesmo dos membros superiores. É uma miúda incrivelmente meiga, querida e inteligente. Tem como grande suporte uns pais fabulosos, que lhe proporcionaram ao longo da vida, divertimento, acesso a tudo e mais a alguma coisa, viagens, boas escolas, curso superior, saídas à noite... (eles são mais "malucos" que os amigos/jovens dela).
Recentemente convidei-a para madrinha da minha Pequena, para mim foi uma grande alegria, ela ter aceite com a lágrima no olho. Comprou-lhe o vestidinho do baptizado com o dinheiro do ordenado dela. Sei que a minha menina não poderia ter melhor madrinha. Com isto só lhe queria dizer que, com certeza, há 30 anos os pais dela também pensaram em fadas e milagres, mas neste momento sabem que fizeram um bom trabalho, sem necessitarem do pó mágico. Eu ganhei uma nova e espectacular família. Eles têm e já tiveram muitos anos mágicos, mesmo com as imensas limitações inerentes à doença.
Um beijinho e força.