terça-feira, março 30, 2010

Reunião na escola - II

No ínicio do ano tinha pedido que na hora da expressão motora (que pensei que iria ficar a olhar para os outros) fosse levado a outra sala a uma aula de música. Uma das actividades que mais adora.
De há semanas para cá referia-lhe sempre: "Ah, hoje é dia de música !!!" e ele dizia-me que não queria. Achava bastante estranho... mas não sabia bem o que estava por detrás. Ela acabou por levá-lo uma vez à expressão motora e ele adorou, envolveu-se nas actividades de forma diferente, claro, mas participou com alegria. A partir daí e perante a sua reacção, a educadora assumiu a sua "desobediência" e nunca mais o mandou para a música. Executa exercícios com ele na bola e nos rolos, que sei que muitos fisioterapeutas que por aí andam não têm sequer esses conhecimentos básicos e fundamentais. Não sei onde aprendeu. Talvez na faculdade, mas tenho de lhe tirar o chapéu, porque nem educadora do ensino especial é e tanto quanto sei, nunca tinha tido uma experiência com um menino com problemas motores. Vendo as fotos percebe-se que o JP não prefira ir à música ( e se ele gosta de música).
Eu preocupei-me em saber sobre o seu comportamento. Se ele consegue esperar pela sua vez e a como está a sua maturidade. A Carla referiu-me que tirando as actividades que o entusiasmavam imenso ( e aí tinha dificuldade em esperar pela sua vez) e o facto de ser teimoso, tudo o resto era "bastante normal". Continua a usar e abusar da sedução com os adultos e mesmo com os pares.
A hora da sesta é muitas vezes problemática, tentando seduzir um adulto a dar-lhe atenção...
Imagino. Ainda aqui em casa, gosta de se agarrar a um boneco ou ter um abraço dos pais. Até aos 2 anos e meio era um mimo para dormir. Sozinho e sem dramas. Depois descambou.
Ele é mimado, seria difícil mudar de personalidade na escola. "Mea Culpa".

1 comentário:

Dulce Bregas disse...

Quais o quê!Mimo nunca é demais,quando há regras e disciplina qb,miminho SEMPRE!!!Que giro,o Francisco às vezes dorme a sesta na escola(o que não é usual nas prés),eu até levei um colchão de campismo para a sala,assim qualquer menino que adormeça já não precisam de improvisar uma cama.E sim há profissionais que mesmo não tendo a especialidade fazem maravilhas!O esperar a vez...tb se está aprender por estes lados,tudo a seu tempo,eles chegam onde os outros chegam...no seu tempo!